Campanha da Fraternidade 2016 – Eventos

curta_saneamento_basico

Projeto Curta na Educação tem proposta do tema da CFE 2016

curta_saneamento_basico

O Encontro de Abertura da Edição Temática 2016 do Projeto Curta na Educação, Curta Saneamento Básico, será realizado na próxima sexta-feira, 13 de novembro, no Anfiteatro do Palácio do Ministério Público (Praça Marechal Deodoro, 110, em Porto Alegre). A Edição 2016 do Projeto é elaborada a partir da proposta da IV Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) que, em 2016, apresenta o Tema “Casa comum, nossa responsabilidade”.

A atividade, dirigida aos professores de todas as redes de ensino, diretores, coordenadores e lideranças estudantis, é realizada com a finalidade de formar multiplicadores para a Edição do Projeto que tem como objetivo refletir sobre o saneamento básico, a partir da construção de uma cultura de educação em direitos humanos, considerando as medidas adotadas no País, nos Estados e nos Municípios para controlar os fatores físicos que exercem ou podem exercer efeitos danosos sobre o bem-estar físico, mental e social das pessoas, promovendo a cultura do cuidado e da responsabilidade com a vida e a saúde.

Questões relacionadas ao saneamento básico serão abordadas pelos assessores do encontro no turno da manhã: Me. Ademir Barbosa Koucher, coordenador de informações da unidade do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no RS, com a palestra “Saneamento Básico no Brasil”; promotor Dr. Daniel Martini, coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa do Meio Ambiente (CAOMA) – MP/RS – com a palestra “Saneamento Básico e o Ordenamento Jurídico”; Patrícia Tompsen Bandel, embaixadora do Instituto Trata Brasil e coordenadora da Assessoria de relacionamento com a Comunidade do DMAE de Porto Alegre, com a palestra “Saneamento Básico: Desafios e Perspectivas”.

À luz da reflexão proposta no turno da manhã, bem como das pistas de ação apresentadas, no turno da tarde, serão realizadas oficinas para a formação de multiplicadores voltados à Educação Infantil e ao Ensino Fundamental I, ao Ensino Fundamental II e ao Ensino Médio, a fim de que as atividades relacionadas ao Projeto sejam desenvolvidas junto às Instituições de Ensino, promovendo, também, a participação no Concurso Cultura de Curtas e em Audiência Pública sobre o tema.

As inscrições, gratuitas, devem ser realizadas através do formulário disponibilizado na página de divulgação do evento http://bit.ly/1MelWwc.  Para informações adicionais entre em contato através do e-mail: projeto@curtanaeducacao.org.br.

Projeto Curta na Educação tem proposta do tema da CFE 2016
eaitche.com.br

cartaz_cfe_2016_m_corte_pk

Dioceses do Regional Nordeste 2 programam a CFE 2016

As 21 dioceses do Regional Nordeste 2, que compreende os Estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, estiveram reunidas do dia 05/11 até o sábado dia 07/11,  em Patos-PB, no SEMINÁRIO REGIONAL DE FORMAÇÃO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016, em preparação e organização das atividades da CFE 2016.

A programação do encontro foi a seguinte, e serve de exemplo pra sua comunidade:

05/11 – Quinta-feira

16h – Cadastramento e acolhida
18h – Jantar
19h30 – Mística
20h – Palavra de abertura do Seminário – Dom Eraldo
20h30 – Avaliação dos trabalhos da CF 2015 nas dioceses
21h15 – Repouso

06/11 – Sexta-feira

07h – Café
08h – Mística de abertura
08h30 – Introdução à temática da CF 2016: “Casa comum, nossa responsabilidade”
10h – Lanche
10h30 – A realidade do ‘VER’
12h – Almoço
14h – A realidade do ‘JULGAR’
15h – AGIR
16h – Lanche
17h – Missa na Igreja matriz de Santo Antônio presidida por Dom Lucena
18h – Jantar
19h30 – Apresentação de experiências de Fundos Diocesanos de Solidariedade (FDS)
21h – Repouso

07/11 – Sábado

07h – Missa no C.T.L presidida por Dom Eraldo
08h – Café
08h45 – Aprofundamento da dimensão do AGIR
09h45 – Lanche
10h15 – Avaliação do Seminário
11h – Encaminhamentos, calendário e comunicações
11h30 – Palavra e encerramento do Seminário – Dom Eraldo
12h – Almoço

Dioceses do Regional Nordeste 2 programam a CFE 2016
PasCom Diocesana

cartaz_cfe_2016_m_corte_pk

Encontro da Campanha da Fraternidade 2016 em Curitiba

Data do Evento: 05/12/2015
Hora do Evento: 09:00

Tema: “Casa comum, nossa responsabilidade”
Lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24)
Assessoria: Pe. Elias Wolff, mestre em filosofia e teologia em Roma, atualmente é professor na PUC-PR.

Dia: 05/12 (sábado)
Horário: das 9h às 12h
Local: Auditório da Paulinas Livraria – Rua Voluntários da Pátria, 225 – Curitiba – PR
Informações: tel. (41)3224-8550/Fax (41)3223-1450 ou pelo e-mail: promocuritiba@paulinas.com.br

Encontro da Campanha da Fraternidade 2016 em Curitiba

cartaz_cfe_2016_m_corte_pk

Seminário sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016

cnbb_logo

Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016

O Regional Sul 3 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), através de sua representação junto ao Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), realizará no dia 28 de outubro de 2015, nas Livrarias Paulinas, Rua Andrades, 1212, em Porto Alegre (RS), um Seminário sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016, com o tema: “Casa comum: nossa responsabilidade”.

Inscrições e mais informações através dos contatos: Edison Costa (51) 8100-6428 ou com Waldir Bohn Gass (51) 9222-7787. Será disponibilizado almoço, lanche e material da CF no local.

Alguns elementos para reflexão
1. As Igrejas que integram o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC) assumem como missão expressar em gestos e ações o mandato evangélico da unidade, que diz: “Que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti; que também eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste” (Jo 17,21).

2. O testemunho ecumênico coloca-se na contramão de todo tipo de competição e de proselitismo, tão frequentes no nosso contexto religioso. É uma clara manifestação de que a paz é possível. É um apelo dirigido a todas as pessoas religiosas e de boa vontade para que contribuam com as suas capacidades para a promoção do diálogo, da justiça, da paz e do cuidado com a criação. É, também, uma comprovação de que Igrejas irmãs são capazes de repartir dons e recursos na sua missão.

3. A caminhada ecumênica realizada pelo CONIC tem mais de três décadas. É uma trajetória marcada por fraternidade, confiança, parceria e protagonismo. Dessa trajetória, podem ser destacados como expressões concretas de comunhão fraterna as três Campanhas da Fraternidade Ecumênicas, realizadas nos anos 2000, 2005 e 2010. Todas elas marcaram profundamente a vida das Igrejas que nelas se envolveram.

4. A motivação para essas Campanhas fundamentou-se na compreensão de que, no centro da vivência ecumênica está a fé em Jesus Cristo. Isso se deu porque o movimento ecumênico está marcado pela ação e pelo desafio de construir uma Casa Comum (oikoumene) justa, sustentável e habitável para todos os seres vivos. Essa luta é profética, pois questiona as estruturas que causam e legitimam vários tipos de exclusão: econômica, ambiental, social, racial, étnica. São discriminações que fragilizam a dignidade de mulheres e homens.

5. É exatamente isso que acontece quando, neste ano, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) coloca outra vez à disposição do CONIC a Campanha da Fraternidade, seu mais conhecido projeto de evangelização.

6. Com esse espírito, no ano 2000, na virada do milênio e no contexto do Grande Jubileu, foi realizada a primeira Campanha da Fraternidade Ecumênica com o tema “Dignidade Humana e Paz” e com o lema “Novo Milênio sem Exclusões”. No ano de 2005, foi realizada a segunda Campanha da Fraternidade Ecumênica. O tema foi ”Solidariedade e Paz” e o lema: “Felizes os que promovem a paz”. A Campanha Ecumênica de 2010 provocou o debate sobre o papel da economia na sociedade. O tema foi “Economia e vida” e foi aprofundado com o lema bíblico “Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro” (Mt 6,24c).

7. A Campanha da Fraternidade de 2016 apresenta o tema “Casa Comum, nossa responsabilidade” e tem como lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24). O objetivo principal é assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum.

8. Nesse tema e nesse lema, duas dimensões básicas para a subsistência da vida são abarcadas a um só tempo: o cuidado com a criação e a luta pela justiça, sobretudo dos países pobres e vulneráveis. Nessa Campanha da Fraternidade Ecumênica, queremos instaurar processos de diálogo que contribuam para a reflexão crítica dos modelos de desenvolvimento que têm orientado a política e a economia. Faremos essa reflexão a partir de um problema específico que afeta o meio ambiente e a vida de todos os seres vivos, que é a fragilidade e, em alguns lugares, a ausência dos serviços de saneamento básico em nosso país.

9. Perguntamos: como estão estruturadas as nossas cidades? Quem realmente tem acesso ao saneamento básico? No ano de 2014, o sudeste do Brasil viveu uma das maiores crises hídricas já registradas na história recente do país. Quem foi responsabilizado por isso? Por que os serviços de saneamento básico, considerados como direito humano básico pela Organização das Nações Unidas estão em disputa?

10. Com essa CFE colocamo-nos em sintonia com o Conselho Mundial de Igrejas e também com o Papa Francisco. Ambos têm chamado a atenção para o fato de que o atual modelo de desenvolvimento está ameaçando a vida e o sustento de muitas pessoas, em especial as mais pobres. É um modelo que destrói a biodiversidade. A perspectiva ecumênica aponta para a necessidade de união das Igrejas diante dessa questão. Nossa Casa Comum está sendo ameaçada. Não podemos, portanto, ficar calados. Deus nos convoca para cuidar da sua criação. Promover a justiça climática, assumir nossas responsabilidades pelo cuidado com a Casa Comum e denunciar os pecados que ameaçam a vida no planeta é a missão confiada por Deus a cada um e cada uma de nós.

11. É uma alegria compartilhar que nessa CFE, além das cinco Igrejas que integram o CONIC, somaram forças também: a Aliança de Batistas do Brasil, o Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP) e a Visão Mundial. Outra novidade é que a IV Campanha da Fraternidade Ecumênica será internacional, porque a Misereor, organização dos bispos católicos alemães para a cooperação e o desenvolvimento, integrou-se nesse mutirão. Nossa oração e desejo é que mais Igrejas e religiões entrem nessa caminhada.

Judinei Vanzeto
Assessoria de Imprensa
Regional Sul 3 / CNBB

Destaques