Liturgia católica – Anos A, B e C

Liturgia

ANO  C:  1º Domingo do Advento – 28/11/2021 à Solenidade de Cristo Rei – 20/11/2022

Leituras de Domingo: Missa do 1° Domingo do Advento 28/11/2021

Leituras de Domingo

(Roxo, creio, prefácio do Advento I – 1ª semana do saltério)

A vós, meu Deus, elevo a minha alma. Confio em vós, que eu não seja envergonhado! Não se riam de mim meus inimigos, pois não será desiludido quem em vós espera (Sl 24,1ss).

Com alegria, iniciamos a caminhada em preparação para o Natal do Senhor, nossa justiça. A liturgia nos convida à oração e à vigilância, para não esmorecermos diante dos desafios que a vida nos reserva. Dispostos a trilhar os caminhos de Jesus e progredir na fé e no amor, ergamos nossos olhos e acolhamos a libertação que se aproxima.

Primeira Leitura: Jeremias 33,14-16

Leitura do livro do profeta Jeremias – 14“Eis que virão dias, diz o Senhor, em que farei cumprir a promessa de bens futuros para a casa de Israel e para a casa de Judá. 15Naqueles dias, naquele tempo, farei brotar de Davi a semente da justiça, que fará valer a lei e a justiça na terra. 16Naqueles dias, Judá será salvo e Jerusalém terá uma população confiante; este é o nome que servirá para designá-la: ‘O Senhor é a nossa justiça’”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 24 (25)

Senhor meu Deus, a vós elevo a minha alma!

1. Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos / e fazei-me conhecer a vossa estrada! / Vossa verdade me oriente e me conduza, / porque sois o Deus da minha salvação! – R.

2. O Senhor é piedade e retidão / e reconduz ao bom caminho os pecadores. / Ele dirige os humildes na justiça, / e aos pobres ele ensina o seu caminho. – R.

3. Verdade e amor são os caminhos do Senhor / para quem guarda sua aliança e seus preceitos. / O Senhor se torna íntimo aos que o temem / e lhes dá a conhecer sua aliança. – R.

Segunda Leitura: 1 Tessalonicenses 3,12-4,2

Leitura da primeira carta de São Paulo aos Tessalonicenses – Irmãos, 12o Senhor vos conceda que o amor entre vós e para com todos aumente e transborde sempre mais, a exemplo do amor que temos por vós. 13Que assim ele confirme os vossos corações numa santidade sem defeito aos olhos de Deus, nosso Pai, no dia da vinda de nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos. 4,1Enfim, meus irmãos, eis o que vos pedimos e exortamos no Senhor Jesus: aprendestes de nós como deveis viver para agradar a Deus e já estais vivendo assim. Fazei progressos ainda maiores! 2Conheceis, de fato, as instruções que temos dado em nome do Senhor Jesus. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Lucas 21,25-28.34-36 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade / e a vossa salvação nos concedei! (Sl 84,8) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 25“Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão angustiadas, com pavor do barulho do mar e das ondas. 26Os homens vão desmaiar de medo só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as forças do céu serão abaladas. 27Então eles verão o Filho do Homem vindo numa nuvem com grande poder e glória. 28Quando essas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima. 34Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós; 35pois esse dia cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra. 36Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes em pé diante do Filho do Homem”. – Palavra da salvação.

Reflexão

O texto salienta expressões como “vigilância”, “libertação” e “alegria” e alerta (“Tomem cuidado!”) contra as distrações com as coisas e vícios mundanos (excessos, bebedeira e preocupações com a vida). A linguagem é simbólica e indica mudanças, superação do passado e início de nova realidade, “um novo céu e uma nova terra”, dirá o Apocalipse (cf. Ap 21,1). Os estudiosos aprofundam seus conhecimentos para interpretar como será essa nova realidade. Nesse emaranhado de figuras e informações, quem desponta, “com poder e grande glória”, é o Filho do Homem, Jesus Cristo. Portanto, a vitória não está em poder dos agentes do mal. A injustiça não triunfará. A vitória está em Cristo, que nos convida a mantermo-nos vigilantes, “rezando em todo momento” e empenhados na prática da justiça e da fraternidade.

Oração

Senhor Jesus, em linguagem figurada, falas de abalos da natureza e angústia nos corações. Contudo nos confortas dizendo: “Levantem-se e ergam a cabeça, pois a libertação de vocês está próxima”. Ajuda-nos, Senhor, a viver sempre alertas e, pela oração, a crescer na constante comunhão contigo. Amém.

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós

28 de novembro – Missa do 1° Domingo do Advento 2021

1° Domingo do Advento 2021

Com esta celebração, iniciamos o tempo do Advento e também um novo ano litúrgico – ainda sob o impacto da longa pandemia. Embora em meio a tantas dificuldades, queremos viver bem este tempo de feliz expectativa, que nos prepara, na alegria e na esperança, para a solenidade do Natal do Senhor. A liturgia anime e fortaleça nossa fé, para caminharmos vigilantes e firmes na oração, dispondo-nos a crescer no amor e a acolher a salvação de Deus que vem ao nosso encontro.

APRENDENDO COM O YOUCAT – (Catecismo para crianças)
Deus às vezes fala por meio das lágrimas de uma criança que se encontra triste.

Missa do 1° Domingo do Advento 2021

GESTOS QUE ALIMENTAM A ESPERANÇA

A tragédia que se abateu sobre o povo, após a destruição de Jerusalém e do templo pelo Império Romano, estava na mente da comunidade do evangelista Lucas. A terra das promessas estava em ruínas e Jerusalém destroçada. Para o povo de Israel, essa tragédia abalou até os astros e a natureza. Em meio a tal realidade, o povo é convidado a levantar a cabeça e não desanimar, tendo o cuidado de não se deixar levar pela embriaguez da alienação.

Diante de tão grande destruição, o Evangelho nos aponta caminhos de reconstrução e renovação. Há um mundo que deve acabar: aquele contaminado pelo “deus dinheiro” e pelo “deus mercado”, que tanto marginalizam e matam. Em seu lugar precisa ser construído o “mundo do encontro”, da fraternidade e da solidariedade.

No início deste tempo do Advento, somos convidados a desfazer os caminhos que vêm impedindo a presença de Cristo e reconstruir novos. Para isso, cumpre-nos erguer a cabeça e perceber que o Filho de Deus irrompe na história humana, surgindo como sinal de libertação para a humanidade. No meio de uma sociedade envolvida em trevas, precisamos de muita fé e esperança para fazer brilhar a Luz que ilumina o mundo.

Nestes dois últimos anos, temos vivido tempos de angústia, dor e medo trazidos pela pandemia, que dizimou milhões de vidas no planeta (assim como outras doenças). O Brasil foi um dos campeões de mortes (por ser um país com mais de 212,6 milhões de habitantes), também em consequência de ser um doença nova e  ainda estudada pela ciência. Quando o “deus mercado” domina uma sociedade, a vida das pessoas passa a valer pouco e vigora a lei do mais forte.

No entanto, ainda que imersos nessa realidade tão desumana, testemunhamos também muitos gestos anônimos de solidariedade e, particularmente, o empenho heroico dos profissionais da saúde e afins – atitudes renovadoras da esperança. Assim, diante dos sinais de morte, somos todos convidados a resgatar os sinais do Advento: a busca de um futuro melhor e o começo de uma vida de amor que alcance a todos.

Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós

Reflexão e sugestão para a Missa do 1° Domingo do Advento 2021 do Ano C

Para: 28/11/2021 – Novembro

1° Domingo do Advento 2021 – Ano C

Jr 33,14-16; SI 24; 1Ts 3,12-4, 2; Lc 21,25-28.34-36

1° Domingo do Advento 2021

Retiro de Advento e Natal 2021 simplificado:

Na Área Especial

Retiro de Advento e Natal 2021 Especial:

A comunidade eclesial é chamada a celebrar o início de um novo ano e tempo litúrgico. É Cristo presente na vida de sua igreja, guiando, por meio do Espírito Paráclito, os passos de seus discípulos. Neste tempo favorável, a Comunidade discipular é chamada a orar e a vigiar, pois a libertação, que vem de Deus, está próxima. Os cristãos foram criados para a liberdade e não para serem escravizados por aqueles que não se deixam guiar pelos valores do evangelho.

O Senhor, desde a criação, nunca se esqueceu do homem e da mulher. Em todos os tempos, mesmo diante das infidelidades de seu povo, mostrou-se sempre fiel a seus filhos. Diante de Reis, que tentaram escravizar os pequeninos, seus favoritos, Ele se revelou como justiça e misericórdia, mostrando os caminhos que levam ao céu, convidando a todos a se deixarem guiar pela verdade de sua Palavra, que procura reconduzir os pecadores ao bom caminho, a uma vida livre, que nasce da consciência e preocupação com o bem comum.

A entrada do verbo de Deus, na história humana, fez nascer uma nova esperança: a possibilidade de um novo céu e uma nova terra. Lucas, no evangelho proclamado, descreve muitas catástrofes, que causam espanto; todavia, seu objetivo é auxiliar a Comunidade dos discípulos de Jesus a ler os sinais dos tempos, isto é, o indicativo da plenitude do Reino de Deus, neste mundo, é a queda de todos os impérios e todas as forças, que impedem os membros da Comunidade cristã de ficarem em pé diante do Filho do Homem, o Cristo Jesus.

Hoje são muitas as situações que escravizam o homem, que o faz viver de um modo egocêntrico, fechado em si mesmo e pouco inclinado a práticas altruístas. Orai e vigiai, eis a estrada a que somos convidados a percorrer neste tempo de advento. Orar significa colocar-se na presença do Senhor, em uma atitude dialógica. Vigiar significa estar atento, para que a Palavra de Deus, que em Cristo assume um corpo, seja o referencial para toda ação humana. Estar atento, eis o desafio para os membros da Comunidade cristã para não se deixar seduzir por projetos que colocam em xeque a liberdade, introduzida por Cristo, na história humana.

Sugestões litúrgicas para a Missa do 1° Domingo do Advento 2021 – Ano C

– Antes da procissão de entrada: destacar o tema da renovação total, com a ideia de que, ao reiniciar novo ano, algo totalmente novo deverá ser gestado. Pode-se demonstrar simbolicamente isso na procissão de entrada: algo velho dando lugar ao novo…

– Após a procissão de entrada: chamar atenção para o rito de acender as velas. Um pequeno rito pode ser feito no início da celebração, na liturgia da palavra ou em qualquer outro momento, conforme designar o celebrante. O acender das velas, normalmente, é feito com a bênção das velas, canto e oração própria. Seria bom convidar a assembleia a fazer, em sua casa, uma breve oração e acendimento das velas nos Domingos que antecederem o Natal 2021.

– Ofertório: motivar a Comunidade a desapegar-se de si e de coisas, em favor do irmão.

– Antes da bênção final: convidar a Comunidade a participar, efetivamente, não só de uma novena do Natal em família, mas de uma campanha de Natal solidário, sem fome, sem violência e sem preguiça ou omissão.

Músicas para a Missa do 1° Domingo do Advento 2021 – Ano C:

Folhetos do 1° Domingo do Advento 2021 – 28/11/2021 para imprimir:

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Reflexão e sugestão para a Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo 2021 do Ano B

21/11/2021 – Novembro

Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo 2021 – Ano B

Dn 7,13-14; SI 92; Ap 1,5-8; Jo 18,33b-37

Rei do Universo 2021

O fio condutor das leituras deste domingo é o exercício do poder a serviço da vida. O poder eterno do Filho do Homem e de Jesus serve a vida, faz o povo viver em paz e revela o Reino de Deus. No começo do Evangelho de Marcos, Jesus pregava dizendo: “o Reino de Deus está próximo!” (Mc1,15). O povo conhecia bem o significado da expressão “Reino de Deus”. Ela resumia toda a Aliança. No Evangelho de hoje, diante de Pilatos, Jesus assumiu sua realeza. Mas que tipo de rei é Jesus?

Naquela época, havia muito sofrimento, causado por uma violência estúpida, vinda da parte dos governantes, dos reis, das lideranças do próprio povo e do império romano. O império era o mundo. Jesus disse com clareza que seu Reino “não é deste mundo”, ou seja, não podemos confundir a proposta de Jesus com qualquer proposta política em nossa sociedade.

O Reino de Deus não pode ser fruto de uma revolução violenta ou de regimes nacionalistas messiânicos, por mais que eles se apresentem assim. O Reino não vai surgir com perturbações armadas ou com cataclismos apocalípticos. Jesus ensina que o Reino já está no meio de nós. O Reino já está presente na humanidade (cf. Lc 17,21). Deus já está reinando. Onde? Na própria manifestação de Jesus. Em seus gestos, suas opções e suas palavras, Ele nos revelou o Reino de Deus. Ao longo das leituras dos domingos deste ano, conhecemos um pouco mais Jesus.

Sabemos que Ele foi um rei bem diferente das imagens dos que conhecemos, que foi, antes de tudo, um rei pobre. Não possuiu exércitos nem qualquer tipo de força militar. Em sua ação, combateu os males causados por uma sociedade injusta e desigual. Mesmo desarmado, mas com a força do Pai a seu lado, combateu a fome, as doenças, a ignorância, a solidão, os preconceitos, a violência, a injustiça, o medo, o sofrimento, o pecado e a morte. Veio trazer a bênção da vida que tínhamos perdido por causa do pecado. Nesta festa de Cristo Rei, queremos ser bons e fiéis súditos de seu Reino. Queremos renovar o compromisso de seguir na estrada de Jesus. Compete a nós, hoje, combater o bom combate em defesa da vida, guardar a fé e não perder a esperança. Nessa luta pelo Reino, descobriremos a presença de Deus no meio de nós.

Sugestões litúrgicas para a Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo 2021 – Ano B

– Antes da procissão de entrada: lembrar que a festa de Jesus, Rei do Universo 2021, coroa o ano litúrgico e marca um grande final vitorioso para cada um, se houver participação efetiva das pessoas de bem.

– Procissão entrada: fazer a procissão motivada pela aclamação a Cristo Rei, semelhante à do Domingo de Ramos, com um cântico apropriado.

– Ação de graças: lembrar os eventos significativos, operados na Comunidade neste ano.

– Após a bênção final: cantar o cântico “Vitória! Tu reinarás! Ó Cruz, tu nos salvarás…!”

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Abertura do Ano C: São Lucas Evangelista 2021/2022

São Lucas Evangelista 2021/2022

São Lucas Evangelista 2021/2022

Instruções para a liturgia

– Coroa de Advento: feita com ramos verdes, geralmente, é envolvida por uma fita vermelha e nela quatro velas são fixadas. Ela simboliza e comunica que, naquela igreja, casa, naquele escritório ou em qualquer espaço em que ela esteja, vivem pessoas que se preparam com alegria para celebrar a vinda de Deus ao mundo, o Natal.

– O círculo da coroa: simboliza a nova aliança de Deus com a humanidade, celebrada no sacramento da Santa Ceia. O círculo da coroa pode ser relacionado à coroa de espinhos, colocada na cabeça de Jesus; a nova aliança foi feita pelo Jesus negado e rejeitado, com humildade e doação.

– Os ramos verdes: mesmo cortados, permanecem verdes por semanas: comunicam a esperança, que leva à perseverança, a uma entrega total da vida a Deus.

– A fita vermelha: a cor vermelha, na tradição litúrgica, está ligada à cor do fogo e do sangue. Simboliza a cor da vida, do amor e, ao mesmo tempo, o derramamento do sangue, o sacrifício. A nova aliança de Deus com a humanidade foi feita com amor, doação, sacrifício e trouxe a vida plena e eterna.

– As quatro velas: é acesa uma vela para cada domingo que antecede ao dia 25 de dezembro. Alguns registros históricos contam que a coroa de advento surgiu em uma instituição que abrigava crianças pobres. Inicialmente, ela continha entre 22 a 28 velas, uma para cada dia do tempo de advento. Devido aos custos, diminuiu-se o número de velas.

Cada vela da coroa, feita para iluminar a vigília do advento, simboliza a preparação para vinda de Jesus Cristo, luz do mundo, e também comunica a alegria da vida, que procede de Deus e vai além dos limites que a vida, no mundo, impõe. Suas cores são apenas uma convenção, pois todas podem ser de uma única cor. O importante é o sentido, o significado da LUZ.

Leia mais

Palavra oficial do Papa