Posts

Pe. Zezinho: romeiros de pés inchados

Romeiros de Aparecida, de Belém, Fátima, de Santiago de Compostela e de outros lugares de peregrinação ao redor do mundo, em geral terminam a peregrinação com os pés inchados e feridos.

Então, porque fazem isso? Em 85% a 90% dos casos, segundo enquete, caminham para agradecer por graça alcançada. Prometeram e agora cumprem. Acreditam que Jesus vê e que os santos a quem pediram intercessão junto a Jesus estão vendo.

Mas o mais bonito é que mais de 80% dos romeiros de pés inchados e joelhos esfolados fazem isso por pai, mãe, irmão, filhos e até por amigos. Os médicos não acharam a cura, mas Nossa Senhora ou o santo intercederam junto a Jesus e caminharam dois ou três dias, uma semana, 100 a 300 km para agradecer ou pedir.

Católico crê em prece solidária. Ora e se sacrifica pelo outro que não pode. Faz parte da nossa ascese e da nossa Teologia.

E como cremos que o céu está apinhado de Santos que já se salvaram, nada mais justo que peçamos que intercedam junto a Jesus por nós. Jesus leva a gente para o Pai onde faz trindade com o Espírito Santo. É a nossa ascende: amar como Jesus e levar um pedaço da Cruz dos outros. MARIA estava lá, aos pés da Cruz do Filho.

Cristão que não leva a própria Cruz e não carrega ao menos um pedaço da Cruz dos outros não entendeu Jesus. A recomendação foi dele.

Admiro romeiros de pés inchados e joelhos esfolados. Quando passam do limite os padres aconselham a levar a Cruz de outro jeito para que sua penitência não acabe num hospital. Mas que é bonito orar e ajudar os outros, isto é!

Romeiros saem de casa e caminham longe, mais para agradecer e pedir graças para os outros do que para si mesmos. E Deus vê tudo isso.

Fico em Aparecida onde me escondo e, de lá, vejo o povo católico orando mais pelos outros do que para si mesmos.

Entre eles há muita gente santa! É uma das minhas alegrias de padre e de católico!

A Catedral Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, também conhecida como Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, é um templo religioso católico localizado no município brasileiro de Aparecida, no interior do estado de São Paulo. É o maior templo católico do Brasil, segundo maior do mundo, menor apenas que a Basílica de São Pedro no Vaticano.

Romarias de súplica e de gratidão!

No grande dia dos 300 anos do resgate da imagem com sinais de que não foi por acaso, penso nos romeiros que caminham para os santuários de Aparecida e de Belém do Pará.

E minha experiência com eles é que caminham para suplicar a intercessão de Maria junto ao seu Filho Jesus. E caminham para agradecer as graças recebidas. E a maioria ora mais pelos outros do que por si mesma.

É uma das catequeses mais sólidas da nossa Igreja. Orar mais pelos outros do que em proveito de si mesmo.

Gosto desses romeiros. Tudo termina no sacrário porque 99% são corações solidários!

 

Pe. Zezinho, scj

A grande festa dos romeiros rumo a Aparecida

Rumaram para orar

Passei pela via Dutra que leva a Aparecida, como passei pelas estradas que levaram a Fátima, a Guadalupe. Em Aparecida fui conversar com os romeiros que caminharam 80, 200, 300 km.

Romeiros rumam na Itália, no Brasil, na Espanha, em Portugal, no México, na França para suplicar, pedir graças ou simplesmente para agradecer.

Romeiros são fiéis que rumam para algum lugar de oração para juntos com outros católicos, agradecer a Jesus, a Maria, mãe dele, ou a algum apóstolo ou santo que imitou Jesus em vida. Lá agradecem e pedem para amar como Jesus Amou. Fiz isso em Assis há 15 dias e estou fazendo esta semana em Aparecida,

Este mês os católicos estarão orando em Aparecida e em Belém no próximo dia 12 de outubro. É claro que não vão adorar aquelas imagens de Maria.

Somos suficientemente inteligentes para usar velas sem pôr fogo na casa, usar facas sem cortar os dedos e usar imagens de Jesus e de Maria sem adorar aquelas representações de ferro, argila ou barro. Não são nem Jesus, nem Maria, mas lembram quem eles foram.

Mas, como alguma coisa aconteceu há 300 anos em Aparecida e algumas décadas depois em Belém, os católicos lembram Maria cuja imagem foi pescada das águas e em Belém do Pará outro prodígio está sendo lembrado.

Adoramos Jesus e veneramos sua mãe! Somos católicos e temos este direito de ser cristãos desde modo!

 

Só uma observação…
Comportamento no Facebook deste Padre

Chamou-me de ignorante

Três vezes na minha página do Facebook ele me chamou de ignorante.

Na terceira vez entendi que ele não me considerava digno de dialogar com ele. Eu era ignorante demais para debater com ele que também leciona numa universidade.

Então o excluí. E ele escreveu que eu o agredira e que eu era intolerante e incapaz de diálogo, como o Concílio Vaticano II apregoava.

Você não precisa saber o nome dele. Basta saber que existe gente que quer o púlpito dos padres para dizer o que ele pensa como leigo para os seus ouvintes e leitores.

Na Igreja Católica quem prega no púlpito é o padre. Ao leigo cultíssimo e doutor, cabe pregar na internet e na sua própria página. Por enquanto, por mais culto que seja um leigo, ele não pode assaltar um púlpito e de lá pregar para outros leigos.

Assim, eu não invado a página de um leigo avançado ou conservador e ele não invade nem o meu púlpito, nem a minha página. É assim que funciona o púlpito católico. E também em todas as igrejas cristãs! Estamos conversados?

 

Pe. Zezinho, scj
https://www.facebook.com/padrezezinhoscj/posts/867160346766385

Nossa Senhora Aparecida entre nós

Nossa Senhora Aparecida está definitivamente entre nós. A imagem da Santa Padroeira, que peregrinou desde o início do ano passado, pelas Paróquias da Arquidiocese da Paraíba, ganhou um santuário nas dependências do Hospital Padre Zé, no bairro de Tambiá, em João Pessoa. Os filhos devotos podem ir em qualquer horário fazer orações e prestar homenagens a Ela.

No Padre Zé, a Padroeira do Brasil abençoa os paraibanos que precisam de amparo e assistência médica e que encontram no Hospital a única saída para um atendimento digno e de qualidade, com humanização. A caridade está presente nessa unidade, que é filantrópica, recebendo recursos do SUS, mas que depende principalmente de doações para permanecer de portas abertas. Há também parcerias com instituições como o Unipê.

São 110 leitos, sendo 60 de clínica médica, e 50 leitos numa unidade para aquelas pessoas, maioria idosos, que precisam de uma atenção maior por um período mais demorado de recuperação. É grande a diversidade de serviços oferecidos gratuitamente no Hospital, que hoje dá prosseguimento ao trabalho do seu criador, o Mons. José da Silva Coutinho – o Padre Zé. Tem laboratório de análises clínicas, unidades de fisioterapia, de radiodiagnóstico e de ultrassonografia, e ainda serviços de assistência social e psicológica, sem contar as consultas médicas em várias especialidades. No ano passado foram quase 20 mil pacientes atendidos. E a população mais carente vai poder contar, em breve, com mais opções, como atendimento em pediatria.

A imagem peregrina de Aparecida, que agora repousa em território arquidiocesano, veio nos preparar para a festa do Jubileu dos 300 anos da aparição da imagem original no Rio Paraíba do Sul, em São Paulo, que acontece no próximo mês de outubro. Este tempo é, para nós, de grande alegria e evangelização. Está sendo uma bênção para o nosso povo poder contemplar a Imagem da Rainha e Padroeira do Brasil de perto, podendo rezar e pedir a sua bênção e a sua intercessão! Aprendamos com Ela a fazer tudo o que Jesus nos diz!

Aproveito este espaço para fazer uma reflexão sobre as Bodas de Caná, quando Maria auxiliou o início da missão de Jesus com o milagre da transformação da água em vinho. Comparo aquela situação com o cotidiano das famílias hoje em dia. Todas as famílias passam por algum tipo de problema, mas é importante não perder a coragem e a fé. Não excluam Jesus de vossas casas. Convidem a Mãe Aparecida para a festa da vida de vocês, e então teremos sempre o vinho da alegria, o vinho do amor.

 

Dom Manoel Delson
Arcebispo da Paraíba
CNBB

 

Baixe materiais especiais para seu grupo

A Festa de Aparecida

nossa_senhora_aparecida_imagem

Nossa Senhora da Imaculada Conceição Aparecida é um título católico dedicado a Maria, mãe de Jesus de Nazaré. Ela é a Padroeira dos Católicos do Brasil, e celebramos sua festa no dia 12 de outubro de cada ano. Em 1717, três pecadores, moradores nas margens do rio Paraíba do Município de Guaratinguetá, desanimados por não terem apanhado peixe algum, depois de várias horas de trabalho, resolveram mais uma vez lançar a rede. Retiraram das águas o corpo de uma imagem sem cabeça e, num segundo arremesso, encontraram também a cabeça. Limparam a imagem de terra cozida e verificaram que se tratava duma imagem de Nossa Senhora da Conceição, de cor escura. Construiu-se, em 1745, uma capela para a imagem no morro dos coqueiros, o mais vistoso e alto que margeiam o Rio Paraíba e, aí celebraram a primeira missa.

Aquela capela foi reformada várias vezes e substituída em 1888 por outra capela maior e mais artística. O bispo diocesano convidou os padres redentoristas em 1894 para cuidar do santuário. Em 1908 o papa elevou o santuário à dignidade de basílica menor. Em 1930 o papa Pio Xl a pedido dos bispos do Brasil proclamou N.S. Aparecida Padroeira do Brasil. Com o crescer contínuo das romarias a Basílica se tornara demasiadamente pequeno, por isso, em 1950 começou a construção de um novo e mais espaçoso templo mariano. A construção durou mais de vinte e cinco anos e, finalmente foi solenemente consagrado na histórica visita do papa São João Paulo ll ao Brasil em 1980. No mesmo ano, o então Presidente da República do Brasil, João Batista de Figueiredo, promulgou a Lei No. 6.802, de 30 de junho de 1980, declarando o dia 12 de outubro como feriado nacional público e oficial a Nossa Senhora Aparecida. Em 2007 o papa Bento XVl visitou a Basílica para abrir a V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe. No dia 24 de junho de 2013, o Papa Francisco visitou e celebrou a Santa Missa na Basílica Nacional de Aparecida. Papa Francisco, como seu predecessor, ficou encantado pela beleza da Basílica e da fé dos peregrinos. Ele prometeu voltar novamente em 2017 para o trigésimo aniversário da retirada da imagem do Rio Paraíba. O imponente santuário tem mais de 18.000 metros quadrados de área coberta e capacidade para 32.000 pessoas. Mais recentemente foi construído o Centro de Eventos Pe. Vitor Coelho de Almeida para a realização de Congressos, encontros shows, teatros, apresentações musicais e, obviamente, para as atividades das grandes romarias. O total da área construída é 15.289,96 m2 com capacidade para 8.600 pessoas. No ano 2013, aproximadamente treze milhões de romeiros visitaram a Brasílica que é a maior basílica mariana no mundo.

 

Pe. Dr. Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

Nossa Senhora Aparecida

papa_nossa_senhora

Maria, a mãe de Deus, o qual se fez homem em Jesus para nos salvar, é chamada por nós com muito carinho de Nossa Senhora. E ela, de fato é Nossa Senhora, não porque os poderosos deste mundo a fizeram poderosa, mas porque foi escolhida por Deus para uma missão especialíssima, ser a mãe do Salvador. Entretanto, mesmo tendo missão tão importante para realizar, a mãe de Jesus se destacou por duas atitudes importantes para todo ser humano, sobretudo para os cristãos: a humildade o serviço.

O primeiro gesto de humildade e serviço que prestou foi dizer ao mensageiro de Deus: “Eis a serva do Senhor, faça-se em mim como você me disse” (Lc 1,38). Para expressar o grande desejo de Maria de servir e a sua humildade, o evangelista Lucas narra também como, logo depois de receber a notícia do anjo, ela foi servir sua prima Isabel, grávida já havia seis meses. A beleza desse encontro e do serviço prestado por Maria é coroada com o cântico chamado “Magnificat”, no qual a mãe de Jesus louva a Deus que não se esquece dos humilhados e fez grandes maravilhas em sua vida. Nesse mesmo cântico aprendemos que devemos chamá-la “bem-aventurada”, feliz, agraciada.

Viva a Mãe de Deus e nossa!

Nossa Senhora recebeu de Deus graças especiais, mas em sua humildade pôs essas graças a serviço dos irmãos e irmãs. O episódio da festa de casamento em Caná da Galileia (cf. Jo 2,1-12) é exemplo claro do serviço de Maria à Igreja. Ela é aquela que está atenta às necessidades das pessoas e se põe à frente para ajudar, de modo que as pessoas possam receber as graças de Jesus Cristo, seu filho. Quando chamamos por Maria, ela nos leva a Jesus. Ensina-nos a fazer tudo o que ele manda.

Pelo bem que nos fez e nos faz, a mãe de Jesus é honrada no mundo inteiro, recebendo nomes, títulos, coroas. No Brasil, nós a chamamos Nossa Senhora Aparecida, porque, por meio de uma simples imagem de terracota, encontrada por pescadores, ela expressou o cuidado que tem por seus filhos e filhas. A pesca milagrosa foi a primeira de muitas outras graças que o povo brasileiro receberia daquela que se tornou sua protetora, sua padroeira.

Que, olhando para a imagem de Nossa Senhora Aparecida, as lideranças do nosso povo possam aprender as virtudes da humildade e do serviço. Nossos políticos procurem, a exemplo de Maria, dizer sim a tudo que faz bem ao povo; os ministros da Igreja estejam atentos ao bem dos irmãos e irmãs; os pais e mães saibam cuidar dos filhos e filhas de modo que cresçam com saúde e sabedoria.
Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós!

 

Pe. Claudiano Avelino dos Santos, ssp