Reflexão e sugestão para a Missa 3° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Para o dia: 24/01/2021

Missa 3° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Jn 3,1-5.10; SI 24; ICor 7,29-31; Mc 1,14-20

3° Domingo do Tempo Comum 2021

ANTUÉRPIA, BÉLGICA – 22 DE ABRIL DE 2017: Vitral na Capela Elzenveld do século 15 em Antuérpia, Bélgica, representando Jesus chamando quatro pescadores para segui-lo.

O evangelho deste domingo narra o início da vida pública de Jesus. Depois de um longo tempo em silêncio, preparando-se para sua missão, Jesus sai de Nazaré e vai até o Jordão, onde João Batista faz sua pregação e batiza as pessoas que buscam novos rumos para sua vida. No momento em que Jesus é batizado, acontece nele uma profunda experiência de Deus, que o faz descobrir com clareza sua missão, que começa somente “após João ser preso”; pois para Jesus, a prisão de João Batista é um sinal de Deus de que ele devia começar sua missão e, assim, dar continuidade à de João. O rei Herodes, em sua arrogância, pensa poder prender e calar a Palavra de Deus; porém o poder de Deus é mais forte que o de Herodes. Jesus resume sua pregação em quatro frases: “Esgotou-se o prazo! O Reino de Deus está próximo! Mudem de vida! Acreditem nesta Boa Notícia!” São pedidos simples, mas que, quando assumidos, promovem uma profunda transformação na vida das pessoas.

A primeira leitura deste domingo quer nos ajudar a perceber o Reino. No livro de Jonas, o profeta é enviado a Nínive, a grande cidade. Sua pregação, como a pregação de João e de Jesus, também é de conversão e de mudança radical de vida. Diante da conversão da cidade, Deus mostra sua misericórdia e não executa o castigo previsto. O momento que vivemos pede rumos novos para cada um de nós. Como ser fiel à Palavra nestes tempos de opressão e marginalização? Como o Salmo deste domingo, também nós devemos pedir a Deus: mostra-me teus caminhos, Senhor, e guia-me em tua verdade!

Atento aos fatos de sua época, Jesus descobre a presença do Reino e, por seu modo de pregar e agir, revela-a no meio do povo pobre e excluído. Jesus acolhe os doentes, os fracos, os desanimados. Também nós devemos buscar os sinais do Reino de Deus que estão acontecendo hoje no meio de nós. Eles pedem a nós uma radical conversão e uma fé firme no Evangelho de Jesus, fazendo uma opção pastoral pelos fracos e excluídos de nossa época.

A Palavra de Jesus vai atingindo pessoas como André, Simão, Tiago e João. Neles a Palavra vai produzindo efeito, e eles vão mudando seu modo de viver. Rompem com a vida que levavam e abandonam parentes, barcos, trabalhos e amigos. Começam a caminhar com Jesus. O efeito da Palavra é despertarem nós a missão, levando-nos a “caminhar na estrada de Jesus”.

Sugestões litúrgicas para a Missa do 3° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Dinamizar o tempo como valor a ser dedicado ao Senhor na totalidade da vida.

– Entronização da Palavra: fazer o seguinte teatro. Entronizar um relógio grande, feito de papelão, com a Palavra presa na parte de traz, como se fosse a máquina do relógio. Convidar várias pessoas, que poderão representar algumas profissões, para passarem, em frente ao altar, olharem o relógio e seguirem adiante, como se estivessem atrasadas. Pedir para que uma delas olhe, siga adiante, mas que, inconformada, volte e olhe com ar de questionamento para o relógio. Ela retirará a palavra de Deus, convidará os demais para voltarem e meditarem-na, pois ela dá sentido de como bem viver o tempo. A frase do chamado pode ser a de João Batista no Evangelho, no v. 15.

– Ofertório: pedir para as pessoas que participaram do momento da Palavra ofertarem os dons. Pode também entrar também uma pessoa idosa, uma criança, um casal de namorados e uma família, enfatizando que o tempo passa e matura as relações, a vida de cada pessoa e os frutos da terra.

– Antes da bênção final: pode-se oferecer, em um pequeno cartão, a imagem de um relógio, com a frase: “. Mostrai-nos, ó Senhor, vossos caminhos”. O presidente da celebração pode pedir que a assembleia repita essa frase em clima de oração, fazendo apelo à conversão, nas pequenas atitudes da vida, e empenhando-se para seguir o Senhor em todo o tempo.

Sugestões de repertório para a Missa do 3° Domingo do Tempo Comum 2021 –  Ano B (O Domingo)

Abertura: Toda a terra
Aclamação: Aleluia! Que o Pai
Oferendas: De mãos estendidas
Comunhão: Jesus passa

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – catequético – Cantos para a Celebração – 3° Domingo do Tempo Comum 2021

 

Áudios para a Missa do 3° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B CNBB:

 

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Leituras de Domingo: Missa do 3° Domingo do Tempo Comum 24/01/2021

Leituras de Domingo

(Verde, glória, creio – 3ª semana do saltério)

Cantai ao Senhor um canto novo, cantai ao Senhor, ó terra inteira; esplendor, majestade e beleza brilham no seu templo santo (Sl 95,1.6).

Diante da brevidade do tempo, somos convidados a vivê-lo como um dom de Deus. A liturgia nos recorda que este é o momento da conversão e da busca dos caminhos do Senhor. Acolhendo o tempo novo inaugurado por Jesus, vamos nos dispor a abandonar indiferenças e polarizações para anunciar o Evangelho. Celebramos hoje o domingo da Palavra de Deus.

Primeira Leitura: Jonas 3,1-5.10

Leitura da profecia de Jonas – 1A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, pela segunda vez: 2“Levanta-te e põe-te a caminho da grande cidade de Nínive, e anuncia-lhe a mensagem que eu te vou confiar”. 3Jonas pôs-se a caminho de Nínive, conforme a ordem do Senhor. Ora, Nínive era uma cidade muito grande; eram necessários três dias para ser atravessada. 4Jonas entrou na cidade, percorrendo o caminho de um dia; pregava ao povo, dizendo: “Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída”. 5Os ninivitas acreditaram em Deus; aceitaram fazer jejum e vestiram sacos, desde o superior ao inferior. 10Vendo Deus as suas obras de conversão e que os ninivitas se afastavam do mau caminho, compadeceu-se e suspendeu o mal que tinha ameaçado fazer-lhes, e não o fez. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 24(25)

Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, / vossa verdade me oriente e me conduza!

1. Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos / e fazei-me conhecer a vossa estrada! / Vossa verdade me oriente e me conduza, / porque sois o Deus da minha salvação. – R.

2. Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura / e a vossa compaixão, que são eternas! / De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia / e sois bondade sem limites, ó Senhor! – R.

3. O Senhor é piedade e retidão / e reconduz ao bom caminho os pecadores. / Ele dirige os humildes na justiça, / e aos pobres ele ensina o seu caminho. – R.

Segunda Leitura: 1 Coríntios 7,29-31

Leitura da primeira carta de São Paulo aos Coríntios – 29Eu digo, irmãos, o tempo está abreviado. Então que, doravante, os que têm mulher vivam como se não tivessem mulher; 30e os que choram, como se não chorassem; e os que estão alegres, como se não estivessem alegres; e os que fazem compras, como se não possuíssem coisa alguma; 31e os que usam do mundo, como se dele não estivessem gozando. Pois a figura deste mundo passa. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Marcos 1,14-20

Aleluia, aleluia, aleluia.

O Reino do céu está perto! / Convertei-vos, irmãos, é preciso! / Crede todos no Evangelho! (Mc 1,15) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – 14Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galileia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo: 15“O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!” 16E, passando à beira do mar da Galileia, Jesus viu Simão e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. 17Jesus lhes disse: “Segui-me e eu farei de vós pescadores de homens”. 18E eles, deixando imediatamente as redes, seguiram a Jesus. 19Caminhando mais um pouco, viu também Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca, consertando as redes; 20e logo os chamou. Eles deixaram seu pai, Zebedeu, na barca com os empregados e partiram, seguindo Jesus. – Palavra da salvação.

Reflexão

Até este ponto do Evangelho de Marcos, foi João Batista que ocupou o centro das atenções. João, porém, ao ser preso, sai de cena e abre espaço para o ingresso do Messias. Jesus surge consciente do que lhe compete realizar: implantar o Reino de Deus. E, nas suas primeiras palavras, deixa entrever em que consiste buscar o Reino: “Arrependam-se e acreditem no Evangelho”. Converter-se é abandonar o passado com vista a assumir vida nova, tendo à frente uma referência indispensável e digna de total confiança, Jesus. Quatro homens, em pleno exercício de sua profissão, são abordados por Jesus e dele recebem uma desafiadora proposta: ser pescadores de gente para o Reino de Deus. Trata-se de um projeto revolucionário, esperado durante séculos pelos antepassados.

Oração

Ó Jesus, incansável pregador do Evangelho, caminhas entre pescadores de peixes, convidando-os a ser pescadores de gente. Chamas Pedro e seu irmão, André; depois, dois filhos de Zebedeu, Tiago e João. Exiges que deixem a profissão e a família, a fi m de ajudar-te na implantação do Reino. Amém.1

 

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp / Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós

24 de janeiro – Missa 3° Domingo do Tempo Comum 2021

Missa 3° Domingo do Tempo Comum 2021

Nesta Eucaristia renovamos o propósito de acolher o convite que Jesus nos faz para segui-lo e para anunciar o Reino de Deus a todas as pessoas. A celebração deste “domingo da Palavra de Deus” nos inspire palavras e ações que tornem o Evangelho cada vez mais conhecido e nos motive a crescer em nosso compromisso cristão, na fé e na busca diária de conversão.

O seguimento de Jesus exige de nós conversão, disponibilidade e entrega generosa da própria vida.

 

JESUS INICIA SUA MISSÃO

Após a prisão de João Batista, chegou o momento de Jesus entrar em cena, anunciando a proximidade do Reino de Deus e convidando à conversão, a uma mudança de vida e de atitudes. O tempo decisivo chegou, já não há o que esperar, pois o Esperado já está entre nós.

O Reino de Deus é o Reino da harmonia, da paz, da justiça e do suficiente para todos viverem dignamente. Ele opera uma inversão dos critérios que mantêm de pé os reinos humanos. Com Jesus tem início essa proposta desafiadora para toda a Igreja e para as pessoas de boa vontade. É o tempo de abandonar a sociedade injusta e intolerante e deixar que nasçam a mulher e o homem novos.

Para perceber e acolher essa boa notícia da presença do Reino de Deus, há necessidade de mudança de vida: mudar as atitudes de convivência, deixando para trás preconceitos e certos legalismos farisaicos. Precisamos de olhos novos para ler e entender os acontecimentos como Jesus os via.

Para que essa boa notícia da presença do Reino seja anunciada, há necessidade de gente disponível. Por isso, o Mestre chama pessoas para auxiliá-lo na missão e dar continuidade ao que ele iniciou. Jesus vê as pessoas e lhes faz o convite a segui-lo. Seu convite nos tira da zona de conforto, lança-nos o desafio de ampliar as relações familiares e de trabalho para nos dedicarmos a todos, partindo dos mais necessitados.

Ainda hoje o mundo necessita de pessoas generosas, que se disponham a viver e anunciar sem temor o projeto do Reino de Deus. Quem se decide a segui-lo deve estar disposto a mudar de vida, acreditar nesse projeto e arcar com as consequências do seguimento.

O convite lançado por Jesus exige, portanto, generosidade. Pode-se segui-lo na vida familiar ou religiosa, no mundo do trabalho, na dedicação à política, nas diversas profissões, tendo como referencial a compaixão e a partilha com o próximo. Somos chamados a acreditar na possibilidade de tornar o mundo mais humano, justo e fraterno, começando em cada um de nós.

 

Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós

Reflexão e sugestão para a Missa 2° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Para o dia: 17/01/2021

Missa 2° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

ISm 3,3b-10.19; SI 39; ICor 6,13c-15a.l7-20; Jo 1,35-42

2° Domingo do Tempo Comum 2021

Antuérpia – Cena do Sermão de Jesus em Joriskerk ou St. Igreja de George do século 19, em 5 de setembro de 2013 em Antuérpia, Bélgica.

Jesus veio pregar o Reino de Deus, que não é uma ideia grandiosa nem um catecismo de verdades dogmáticas. O Reino de Deus é, antes de tudo, um novo modo de viver a vida no seguimento de Jesus Cristo. Ele só se tornará concreto se houver pessoas que respondam positivamente às propostas de Jesus. Sua adesão pede gestos de vida bem concretos. No encontro com Jesus, surge um novo horizonte na vida das pessoas e uma adesão ao caminho de Jesus. O batismo é o sinal dessa adesão, pois por ele passamos a ser discípulos de Cristo. Neste domingo, celebramos o surgimento do novo Povo de Deus, por meio da vocação e da missão dos primeiros discípulos de Jesus. Pelo batismo, todos somos chamados para a missão. Vocação e missão são os sinais de que o Reino de Deus está entre nós.

A primeira leitura narra o chamado profético de Samuel, cuja vocação acontece gradativamente. Depois de vários chamados, o jovem Samuel, com a ajuda do velho Eli, começa a entender que é Deus quem o está chamando. E, quando fica claro o que Deus está pedindo, ele acolhe sua vontade e responde: “Fala, Senhor, que teu servo escuta”. Vocação é estar atento aos chamados de Deus e saber assumir a missão. Toda pessoa vocacionada é uma resposta de Deus ao grito de alguém. Samuel exercerá sua vocação profética guiando e defendendo o povo de Deus. “No Evangelho de hoje, percebemos que existem várias formas de vocação. Os dois primeiros discípulos seguem Jesus porque João Batista o apontou e dele testemunhou. Outros, como Simão, são chamados por pessoas que já estão no seguimento de Jesus.

André simboliza os discípulos que buscam outros discípulos. Independentemente da forma como as pessoas são chamadas ao seguimento, este só acontece depois de um encontro da pessoa vocacionada com o próprio Jesus. Toda proposta vocacional encontra sua confirmação nesse encontro. Afinal, vocação é “caminhar na estrada de Jesus”

Sugestões litúrgicas para a Missa do 2° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Dinamizar o símbolo da Pedra que Jesus apresenta no evangelho, enfatizando a dimensão vocacional.

– Antes da procissão de entrada: preparar uma Pedra, de tamanho médio, para ser entronizada, enfatizando que Cristo é a Pedra fundamental de nossa fé.

– Ofertório: ofertar todas as pastorais, simbolizadas por pedras (feitas de papel pedra) de modo a formar uma pequena construção, dando o sentido de que todos somos pedras vivas na construção da Igreja de Cristo, entronizada no início.

– Antes da bênção final: convidar os fiéis para fazerem parte das pastorais. Com a imagem do corpo como templo do Espírito, entronizar uma imagem do Espírito Santo, que poderá ser colocado sobre as pedras. Enquanto isso, pedir para que representantes das pastorais distribuam pequenos papéis ornamentados, com a frase: “Tu és pedra viva na Igreja de Jesus” e com o nome das pastorais e de seus respectivos representantes.

Sugestões de repertório para a Missa do 2° Domingo do Tempo Comum 2021 –  Ano B (O Domingo)

Abertura: Toda a terra
Aclamação: Aleluia! Fala, Senhor
Oferendas: De mãos estendidas
Comunhão: Jesus passa

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – catequético – Cantos para a Celebração – 2° Domingo do Tempo Comum 2021

 

Áudios para a Missa do 2° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B CNBB:

 

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Leituras de Domingo: Missa do 2° Domingo do Tempo Comum 17/01/2021

Leituras de Domingo

(Verde, glória, creio – 2ª semana do saltério)

Que toda a terra se prostre diante de vós, ó Deus, e cante louvores ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 65,4)

Iniciando a primeira etapa do Tempo Comum, somos iluminados pelas palavras de João Batista, que nos encaminha a reconhecer em Jesus o Cordeiro de Deus. Dispostos a atender ao chamado do Senhor para conviver com ele e cumprir a vontade do Pai, renovemos nosso compromisso de segui-lo e nos tornarmos com ele um só espírito.

Primeira Leitura: 1 Samuel 3,3-10.19

Leitura do primeiro livro de Samuel – Naqueles dias, 3Samuel estava dormindo no templo do Senhor, onde se encontrava a arca de Deus. 4Então o Senhor chamou: “Samuel, Samuel!” Ele respondeu: “Estou aqui”. 5E correu para junto de Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Eli respondeu: “Eu não te chamei. Volta a dormir!” E ele foi deitar-se. 6O Senhor chamou de novo: “Samuel, Samuel!” E Samuel levantou-se, foi ter com Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Ele respondeu: “Não te chamei, meu filho. Volta a dormir!” 7Samuel ainda não conhecia o Senhor, pois, até então, a palavra do Senhor não se lhe tinha manifestado. 8O Senhor chamou pela terceira vez: “Samuel, Samuel!” Ele levantou-se, foi para junto de Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Eli compreendeu que era o Senhor que estava chamando o menino. 9Então disse a Samuel: “Volta a deitar-te e, se alguém te chamar, responderás: ‘Senhor, fala, que teu servo escuta!’” E Samuel voltou ao seu lugar para dormir. 10O Senhor veio, pôs-se junto dele e chamou-o como das outras vezes: “Samuel! Samuel!” E ele respondeu: “Fala, que teu servo escuta”. 19Samuel crescia, e o Senhor estava com ele. E não deixava cair por terra nenhuma de suas palavras. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 39(40)

Eu disse: “Eis que venho, Senhor! / Com prazer faço a vossa vontade”.

1. Esperando, esperei no Senhor / e, inclinando-se, ouviu meu clamor. / Canto novo ele pôs em meus lábios, / um poema em louvor ao Senhor. – R.

2. Sacrifício e oblação não quisestes, / mas abristes, Senhor, meus ouvidos; / não pedistes ofertas nem vítimas, / holocaustos por nossos pecados. – R.

3. E então eu vos disse: “Eis que venho!” / Sobre mim está escrito no livro: / “Com prazer faço a vossa vontade, / guardo em meu coração vossa lei!” – R.

4. Boas-novas de vossa justiça † anunciei numa grande assembleia; / vós sabeis: não fechei os meus lábios! – R.

Segunda Leitura: 1 Coríntios 6,13-15.17-20

Leitura da primeira carta de São Paulo aos Coríntios – Irmãos, 13o corpo não é para a imoralidade, mas para o Senhor, e o Senhor é para o corpo. 14e Deus, que ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará também a nós, pelo seu poder. 15Porventura ignorais que vossos corpos são membros de Cristo? 17Quem adere ao Senhor torna-se com ele um só espírito. 18Fugi da imoralidade. Em geral, qualquer pecado que uma pessoa venha a cometer fica fora do seu corpo. Mas o fornicador peca contra o seu próprio corpo. 19Ou ignorais que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que mora em vós e que vos é dado por Deus? E, portanto, ignorais também que vós não pertenceis a vós mesmos? 20De fato, fostes comprados, e por preço muito alto. Então, glorificai a Deus com o vosso corpo. – Palavra do Senhor.

Evangelho: João 1,35-42

Aleluia, aleluia, aleluia.

Encontramos o Messias, Jesus Cristo, / de graça e verdade ele é pleno; / de sua imensa riqueza, / graças sem fim recebemos (Jo 1,41.17). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João – Naquele tempo, 35João estava de novo com dois de seus discípulos 36e, vendo Jesus passar, disse: “Eis o Cordeiro de Deus!” 37Ouvindo essas palavras, os dois discípulos seguiram Jesus. 38Voltando-se para eles e vendo que o estavam seguindo, Jesus perguntou: “O que estais procurando?” Eles disseram: “Rabi (que quer dizer mestre), onde moras?” 39Jesus respondeu: “Vinde ver”. Foram, pois, ver onde ele morava e, nesse dia, permaneceram com ele. Era por volta das quatro da tarde. 40André, irmão de Simão Pedro, era um dos dois que ouviram as palavras de João e seguiram Jesus. 41Ele foi encontrar primeiro seu irmão Simão e lhe disse: “Encontramos o Messias” (que quer dizer Cristo). 42Então André conduziu Simão a Jesus. Jesus olhou bem para ele e disse: “Tu és Simão, filho de João; tu serás chamado Cefas” (que quer dizer pedra). – Palavra da salvação.

Reflexão

O testemunho de João Batista a seus dois discípulos é como uma “carta de recomendação” favorável ao Messias. A partir daquele momento, João entrega os próprios seguidores a um novo Mestre, o “Cordeiro de Deus”, aquele que, por sua morte, libertará o mundo da condição de pecado. Atitude sábia e desprendida, a de João. Não se apega aos próprios discípulos, nem os enche de recomendações. Sabe que estarão em boas mãos. Doravante, caberá a Jesus prepará-los para a realidade do Reino de Deus. A primeira pergunta que Jesus lhes dirige é: “O que vocês estão procurando?”. Esse questionamento é fundamental em nossa vida. Somos convidados a dar conta do que realmente é importante para nós: a quem estamos seguindo? O que nos realiza como seres humanos? O que de fato agrada a Deus?

Oração

Ó Jesus, Cordeiro de Deus, mediante teus ensinamentos e atitudes, cativas os dois discípulos de João. Eles te acompanham e, depois de testemunharem tua ação libertadora em favor do povo, tornam-se teus fervorosos seguidores e bons instrumentos para convidar novos adeptos para o Reino de Deus. Amém.

 

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp / Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós