Liturgia católica – Anos A, B e C

Liturgia

Dezembro 2019 a Novembro de 2020 – Liturgia católica: ANO A

Reflexão e sugestão para a Missa do 25° Domingo do Tempo Comum 2021 do Ano B

Para o dia: 19/09/2021

Missa do 25° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Sb 2,12.17-20; Sl 53; Tg 3,16-4,3; Mc 9,30-37

25° Domingo do Tempo Comum 2021

É o Senhor quem sustenta minha vida!

Cartazes Especiais para a Missa do 25° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B
Baixe a imagem acima e mais uma, em Alta Resolução 300px para imprimir, para sua paróquia:

* Você pode mandar imprimir do tamanho que quiser, usar no Datashow, projetar durante a missa, ilustrar subsídios da sua paróquia e etc. São imagens com alta qualidade e especiais.

Colorindo a liturgia: 25° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B:

Mais materiais e subsídios de formação

Viver em comunidade é encontrar espaço para uma nova experiência de Deus, que, quando verdadeira, traz mudanças profundas na convivência humana. É também construir relações de fraternidade, de partilha e de reconciliação. Não é uma tarefa muito fácil nos dias de hoje, pois a sociedade está violenta, egoísta e consumista. E esses valores mundanos entram na comunidade e roem as relações, como cupins roem as madeiras que sustentam a casa. Em algum momento, tudo desaba! Esse é o alerta que Jesus nos faz hoje no Evangelho. Os valores do mundo trazem a competição, a disputa. Há pessoas que entram na comunidade e buscam poder, grandezas e posições. Querem se destacar, querem dominar; querem poder e não serviço.

Jesus vem nos ensinar os valores que sustentam a vida comunitária. Entramos na comunidade para viver a fraternidade, a igualdade e a partilha de bens e de serviços. Nela, existem pessoas amigas e não empregados. Nesse sentido, o exercício do poder se manifesta na disponibilidade e no serviço mútuo. A vida em comunidade exige perdão e reconciliação. Jesus chama uma criança e a coloca como exemplo. Ele não nos pede que sejamos infantis, mas sim que devemos aprender com as crianças o espírito de companheirismo, a facilidade em perdoar e esquecer. As crianças rezam com amor e devoção. Mesmo o barulho feito pelas crianças é sinal de alegria e de vida. Se não nos tornarmos como criança, não entraremos no Reino de Deus.

Uma comunidade cristã não pode fechar-se em si mesma. Jesus não quer que nossas comunidades sejam grupos isolados, vivendo para si mesmos. Todo fechamento contraria a proposta do Reino. Também não podemos querer monopolizar o Evangelho de Jesus. Temos de construir parcerias com outras comunidades, igrejas ou grupos que buscam viver os valores transmitidos por Jesus. Como lembra a carta de Tiago, nossa opção por Jesus se traduz em um comportamento humilde, pacífico, compreensivo, cheio de misericórdia e de bons frutos, sem discriminações nem hipocrisias. Temos de viver sua proposta dentro de um espírito ecuménico, aberto e tolerante.

Sugestões litúrgicas para a Missa do 25° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

 25° Domingo do Tempo Comum 2021

– Planejar a liturgia de hoje com a equipe de ministros da Eucaristia, para destacar que o espírito eucarístico amadurece cada um e cada Comunidade pelo espírito de serviço e de solidariedade.

– Liturgia da Palavra: como é o mês da Bíblia, indicar aos presentes, com palavras ou depoimentos, maneiras práticas de ler, individual e comunitariamente, com proveito, a Bíblia.

– Antes da bênção final: pode-se, lembrando o tema do serviço fraterno, fazer uma pequena encenação do momento do “lava-pés”, feito por Jesus ao instituir a Eucaristia. A equipe de ministros da Eucaristia pode encarregar-se disso. E também se pode sugerir que, no próximo domingo, cada um leve para a missa sua Bíblia.

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – Catequético – Cantos para a Missa do 25° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Áudios para a Missa do 25° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B CNBB:

Folhetos para a Missa:

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Reflexão e sugestão para a Missa do 26° Domingo do Tempo Comum 2021 do Ano B

Para o dia: 26/09/2021 – Dia da Bíblia

Missa do 26° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Nm 11,25-29; Sl 18; Tg 5,1-6; Mc 9,38-43.45.47-48

26° Domingo do Tempo Comum 2021

França. Haute-Savoie. Megève. Igreja de São João Batista. 1 de outubro de 2019. Esta imagem colorida mostra um mural do italiano, Mucengo, sob os cofres que datam de 1828: Jesus Cristo fala aos apóstolos. Por volta de 1853, monges beneditinos chegaram ao território de Megève para erguer um convento dedicado a São João Batista. A igreja é ampliada no século XIV.

Cartazes Especiais para a Missa do 26° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B
Baixe a imagem acima e mais uma, em Alta Resolução 300px para imprimir, para sua paróquia:

* Você pode mandar imprimir do tamanho que quiser, usar no Datashow, projetar durante a missa, ilustrar subsídios da sua paróquia e etc. São imagens com alta qualidade e especiais.

Colorindo a liturgia: 26° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B:

Mais materiais e subsídios de formação

A mensagem central das leituras de hoje é viver no Espírito. A primeira leitura ensina que ninguém pode se considerar um privilegiado portador do Espírito e querer excluir os outros. O apóstolo Paulo ensina que, pelo batismo, nós nos tornamos templos de Deus. O Espírito de Deus habita em nós em toda sua plenitude (cf. ICor 6,19). O povo todo é portador do Espírito de Deus, em igualdade. Todos têm condições de discernir, conscientemente, a construção do Reino e dela participar.

No evangelho de hoje, Jesus nos ensina a definir nossas opções de vida a partir de três dimensões: a mão, o pé e o olho. Na linguagem figurada daquela época, a mão simboliza o trabalho, pois, na época de Jesus, todo o trabalho era manual. O questionamento que Jesus faz é este: o trabalho que se está realizando ajuda ou atrapalha na construção do Reino? O trabalho reforça ou destrói as relações familiares e comunitárias? Se, de fato, é um trabalho destrutivo e desagregador, deve-se “arrancar a mão”, ou seja, parar com esse trabalho. Nesse mesmo raciocínio, o pé simboliza rumo e direção de vida. E Jesus questiona: o rumo que se está dando na vida, aproxima Deus ou o afasta? É um rumo aberto, fraterno e comunitário ou fechado em si mesmo? Se demos um rumo egoísta para a vida, devemos “arrancar o pé”, ou seja, fazer um processo de conversão, que significa exatamente retomar o rumo certo na vida. Na linguagem bíblica, o olho simboliza o conhecimento. Da mesma forma, Jesus questiona:

o que está sendo feito com os conhecimentos que se têm ou se adquirem pelo estudo? A serviço de quem se estão colocando os estudos, a ciência, os conhecimentos? Usam-se os conhecimentos para dominar os outros e enriquecer-se à custa dos outros? Caso não se tenha colocado aquilo que se sabe a serviço do Reino de Deus, deve-se “arrancar o olho”, ou seja, devem-se redirecionar os conhecimentos para a construção de relações humanas e fraternas. Com muita facilidade usamos nossos dons para dominar os outros. Na carta de Tiago temos uma das mais violentas condenações aos que se enriquecem à custa do trabalho alheio. Visando unicamente a seus lucros pessoais, os proprietários cometem graves injustiças sociais. Vivemos em um país com profundas desigualdades entre ricos e pobres. A riqueza, ao invés de servir ao bem comum, fica concentrada nas mãos de poucos. A Palavra de Deus proclamada hoje serve de alerta: de que maneira estamos contribuindo na construção de um Brasil mais justo e igualitário?

Sugestões litúrgicas para a Missa do 26° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

26° Domingo do Tempo Comum 2021

– Antes da procissão de entrada: pensar na possibilidade de destacar a Bíblia como instrumento de unidade entre cristãos, realizando algum gesto ecuménico que poderá ser visualizado na procissão de entrada.

– Ato penitencial: pedir perdão pelos ruídos do mundo, dos meios de comunicação de massa, das propagandas enganosas, que nos impedem de ouvir e praticar a Palavra de Deus.

– Ação de graças: fazer um momento para a bênção da Bíblia, ou algo semelhante, visando dar destaque ao “Dia da Bíblia“. Pode-se rezar uma oração, preparada com antecedência, para se ler com proveito a Palavra de Deus e sugerir que ela seja rezada em casa antes de se começar a ler e estudar a Bíblia.

– Antes da bênção final: fazer uma grande louvação à Palavra de Deus, concretizada no livro da Bíblia. Pode-se apresentá-la solenemente para o aplauso dos presentes.

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – Catequético – Cantos para a Missa do 26° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Áudios para a Missa do 26° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B CNBB:

Folhetos para a Missa:

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Reflexão e sugestão para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 do Ano B

Para o dia: 12/09/2021

Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Is 50,5-9a; Sl 114; Tg 2,14-18; Mc 8,27-35

24° Domingo do Tempo Comum 2021

Andarei na presença de Deus, junto a ele, na terra dos vivos.

Cartazes Especiais para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B
Baixe a imagem acima e mais uma, em Alta Resolução 300px para imprimir, para sua paróquia:

* Você pode mandar imprimir do tamanho que quiser, usar no Datashow, projetar durante a missa, ilustrar subsídios da sua paróquia e etc. São imagens com alta qualidade e especiais.

Colorindo a liturgia: 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B:

Mais materiais e subsídios de formação

Pedro fez a profissão de fé. Fé é um dom de Deus, como lemos em Mateus: “Não foi carne ou sangue que te revelaram isso, mas meu Pai que está nos Céus” (Mt16,17). Crer significa também aceitar Jesus como ressuscitado e como humano.

Por essa razão, os outros acreditavam que Jesus fosse um personagem do passado que voltara. A proclamação de Pedro o coloca no caminho de Jesus. Por isso, a seguir, Jesus lhes mostra o que iria acontecer com Ele, que é o sofredor, como o Servo (Is 50, 5-9). A fé assume também essa condição de Servo Sofredor e participa com Ele de seus sofrimentos, como nos disse Paulo: “Justiça que vem de Deus na base da fé. Esta consiste em conhecer a Cristo, experimentar a força de sua Ressurreição, ficar em comunhão com seus sofrimentos, tornar-me semelhante a Ele em sua morte para ver alcançar a ressurreição de dentre os mortos” (Fl 3,9-10). Jesus foi recusado por não corresponder a uma fé criada pelos homens. Ele, que viveu a condição humana, tem condições de acolher o coração humano em sua fragilidade. É nessa condição que obtemos a salvação e a construímos.

Obediência é um dom, que é estar atento ao projeto de Deus. Abrir para compreender e defender contra a tendência de recuar, mesmo nos momentos de duro sofrimento por estar no exercício da vontade de Deus. Assim o fez Jesus. Rezamos no salmo: “Nosso Deus é compassivo”.

Quem rejeita o caminho de Jesus é um satanás, que quer dizer, aquele que divide. Pedro queria desviar Jesus de seu caminho de fidelidade ao Pai: “Arreda-te de mim, satanás, porque não pensas as coisas de Deus, mas as dos homens” (Mc 8,33). O dom da obediência une o cristão ao caminho redentor de Jesus.

São Tiago enfrentou uma interpretação errada sobre Paulo, que diz que só a fé salva, afirmando: “A fé, se não tiver obras, será morta em seu isolamento” (Tg 2,14-18). Paulo ensina que a fé deve “agir na caridade” (Gl 5,6). Jesus realizou essa verdade da fé na caridade quando foi proclamado Messias por Pedro. Mostrou que sua missão passava pela morte e ressurreição. Para seguir Jesus, cada cristão deve deixar muitas coisas para ter tudo, isto é, salvar sua vida (Mc 8,35). Cristo manifestou sua caridade em sua abnegação e entrega total.

Sugestões litúrgicas para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

– Antes da procissão de entrada: como estamos no mês em que inicia a primavera, destacar o tema, de forma planejada, dando destaque à consciência ecológica.

– Ato penitencial: pedir perdão pela destruição do planeta, pela poluição da natureza e, especialmente, pelo desrespeito à obra-prima da criação: a pessoa.

– Ação de graças: motivados pelo amor à natureza, pode-se rezar um dos salmos que destacam a beleza da obra da criação de Deus.

– Antes da bênção final: simbolicamente, pede-se para destronar a Bíblia, que está junto ao altar, para entronizá-la no coração de cada um.

Sugestões de repertório para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B (O Domingo)

Abertura: Senhor, escuta
Aclamação: Aleluia! Ó Senhor
Oferendas: As mesmas mãos
Comunhão: O Mal que Sai

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – Catequético – Cantos para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Áudios para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B CNBB:

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Reflexão e sugestão para a Missa do 23° Domingo do Tempo Comum 2021 do Ano B

Para o dia: 05/09/2021

Missa do 23° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Is 35,4-7a; Sl 145; Tg 2,1-5; Mc 7,31-37

23° Domingo do Tempo Comum 2021

Arma – O afresco Jesus na cura no Duomo de Lattanzio Gambara (1567 – 1573).

Cartazes Especiais para a Missa do 23° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B
Baixe a imagem acima e mais uma, em Alta Resolução 300px para imprimir, para sua paróquia:

* Você pode mandar imprimir do tamanho que quiser, usar no Datashow, projetar durante a missa, ilustrar subsídios da sua paróquia e etc. São imagens com alta qualidade e especiais.

Colorindo a liturgia: 23° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B:

Mais materiais e subsídios de formação

O fio condutor das leituras da celebração de hoje é acolher a opção de Deus pelos mais pobres. Na primeira leitura, o profeta Isaías anuncia a vinda de Deus para salvar o povo de suas angústias e de sua opressão. A ação de Deus é libertadora e transformadora. Tudo se renovará. Por isso não podemos nos deixar abater pelo desânimo, pelo cansaço e pelo medo. O que o povo pode esperar da parte de Deus é que irrompam a verdade, a alegria e a paz. O Reino vai chegar!

Da mesma forma, a segunda leitura, da carta de Tiago, diz que esse Reino tem como destinatário os pobres. Tiago afirma que Deus escolhe os que são pobres aos olhos deste mundo para torná-los ricos na fé e herdeiros do Reino prometido. Por serem herdeiros, devem ser respeitados em sua dignidade. A comunidade cristã não os pode excluir e marginalizá-los, favorecendo os mais ricos. Seria ir na contramão das propostas de Jesus, que veio reafirmar o que tinha sido dito pelo profeta Isaías: não tenham medo! Sejam fortes! Deus está chegando. O olhar da fé nos ajuda a saber acolher essa presença de Deus e a perceber os sinais transformadores feitos por Deus na vida.

Viver no Espírito de Jesus é deixar-se transformar pela ação libertadora de Deus. No evangelho, Jesus acolhe um homem excluído devido a suas deficiências: surdo e quase mudo. A missão de Jesus é levar a Criação de Deus a sua plenitude. Por isso ele mistura sua saliva com a terra, com o pó. É uma volta à argila original, conforme o livro do Génesis: você é pó e.ao pó voltará (Gn 3,19). Jesus está começando uma nova criação. A saliva, a água que sai da boca de Jesus, é o Evangelho. Mas também simboliza nosso batismo. A ação criadora de Jesus restaura os ouvidos e a voz do homem deficiente. Ele se torna capaz de ouvir e de falar. A nova criação, trazida por Jesus, restaura a vida das pessoas. Jesus vem superar nossas deficiências e nos tornar capazes de ouvir bem a Palavra para que possamos proclamar seu Evangelho.

Toda a mensagem deste domingo se concentra no Salmo de meditação, que canta a vitória do reinado de Deus a favor dos pobres. O projeto de Deus quer restaurar sua vida. Ele é mais forte do que qualquer projeto humano. O Salmo canta a ação criadora de Deus, manifestada na justiça divina em favor dos oprimidos, famintos, prisioneiros, cegos, encurvados, estrangeiros, órfãos e viúvas. Esse é também o cerne do Evangelho de Jesus.

Sugestões litúrgicas para a Missa do 23° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

– Procissão de entrada: planejar com a equipe de catequese uma forma de dar destaque à Palavra de Deus. Isso pode ser feito com uma entronização da Bíblia.

– Antes da proclamação da palavra: é oportuno indicar as várias formas de Deus falar à humanidade. Pode-se fazer referência a documentos do magistério, os documentos episcopais, as declarações humanitárias, como a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

– Ofertório: pode-se encarregar a equipe de catequese a colocar no altar os livros usados na catequese, seus planos de ensino e seu trabalho de ensinar.

– Antes da bênção final: pode-se sugerir aos presentes uma pequena campanha para doar uma Bíblia ou um Novo Testamento para pessoas que não os podem comprar

Sugestões de repertório para a Missa do 23° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B (O Domingo)

Abertura: Deus, nosso Pai
Aclamação: Aleluia! Ó Senhor
Oferendas: As mesmas mãos
Comunhão: O Mal que Sai

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – Catequético – Cantos para a Missa do 23° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Áudios para a Missa do 23° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B CNBB:

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Leituras de Domingo: Missa do 23° Domingo do Tempo Comum 05/09/2021

Leituras de Domingo

(Verde, glória, creio – 3ª semana do saltério)

Missa do 23° Domingo do Tempo Comum 05/09/2021

Vós sois justo, Senhor, e justa é a vossa sentença; tratai o vosso servo segundo a vossa misericórdia (Sl 118,137.124).

Somos convidados a bendizer o Senhor, que abre nossos ouvidos para acolher sua Palavra e desata nossa língua para anunciá-la. O Deus fiel nos adotou como filhos e filhas, fez-nos herdeiros do seu Reino e nos ajuda a superar toda prostração e desânimo. Celebremos Aquele que faz justiça aos pobres e oprimidos e nos chama à comunhão com eles.

Primeira Leitura: Isaías 35,4-7

Leitura do livro do profeta Isaías – 4Dizei às pessoas deprimidas: “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus; é ele que vem para vos salvar”. 5Então se abrirão os olhos dos cegos e se descerrarão os ouvidos dos surdos. 6O coxo saltará como um cervo e se desatará a língua dos mudos, assim como brotarão águas no deserto e jorrarão torrentes no ermo. 7A terra árida se transformará em lago, e a região sedenta, em fontes de água. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 145 (146)

Bendize, ó minha alma, ao Senhor. / Bendirei ao Senhor toda a vida!

1. O Senhor é fiel para sempre, / faz justiça aos que são oprimidos; / ele dá alimento aos famintos, / é o Senhor quem liberta os cativos. – R.

2. O Senhor abre os olhos aos cegos, / o Senhor faz erguer-se o caído; / o Senhor ama aquele que é justo. / É o Senhor quem protege o estrangeiro. – R.

3. Ele ampara a viúva e o órfão, / mas confunde os caminhos dos maus. / O Senhor reinará para sempre! † Ó Sião, o teu Deus reinará / para sempre e por todos os séculos! – R.

Segunda Leitura: Tiago 2,1-5

Leitura da carta de São Tiago – 1Meus irmãos, a fé que tendes em nosso Senhor Jesus Cristo glorificado não deve admitir acepção de pessoas. 2Pois bem, imaginai que na vossa reunião entra uma pessoa com anel de ouro no dedo e bem vestida, e também um pobre, com sua roupa surrada, 3e vós dedicais atenção ao que está bem vestido, dizendo-lhe: “Vem sentar-te aqui, à vontade”, enquanto dizeis ao pobre: “Fica aí, de pé”, ou então: “Senta-te aqui no chão, aos meus pés” – 4não fizestes, então, discriminação entre vós? E não vos tornastes juízes com critérios injustos? 5Meus queridos irmãos, escutai: não escolheu Deus os pobres deste mundo para serem ricos na fé e herdeiros do Reino que prometeu aos que o amam? – Palavra do Senhor.

Evangelho: Marcos 7,31-37

Aleluia, aleluia, aleluia.

Jesus Cristo pregava o Evangelho, / a boa notícia do Reino, / e curava seu povo doente / de todos os males, sua gente! (Mt 4,23) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 31Jesus saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galileia, atravessando a região da Decápole. 32Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão. 33Jesus afastou-se com o homem para fora da multidão; em seguida, colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e, com a saliva, tocou a língua dele. 34Olhando para o céu, suspirou e disse: “Efatá!”, que quer dizer “abre-te!” 35Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade. 36Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém. Mas, quanto mais ele recomendava, mais eles divulgavam. 37Muito impressionados, diziam: “Ele tem feito bem todas as coisas: aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

O surdo que fala com dificuldade representa os discípulos de Jesus, que continuam aferrados à ideologia nacionalista e exclusivista do judaísmo. Em outras palavras, consideram-se um povo privilegiado diante de Deus e, desse modo, permanecem inteiramente fechados (surdos) em relação aos pagãos. Não aceitam que estes façam parte do Reino de Deus. Jesus quer mudar essa mentalidade, por isso age primeiramente sobre o ouvido. Uma vez em condições de ouvir os ensinamentos do Mestre, seus discípulos serão capazes de passá-los adiante. Efatá (abre-te) é uma ordem de Jesus também para os cristãos de hoje. É necessário que tenhamos os ouvidos bem abertos para captar e assimilar a Palavra de Deus, pô-la em prática e difundi-la por toda parte, usando todos os meios da técnica moderna.

Oração:

Ó Jesus, que fazes os surdos ouvirem e os mudos falarem, de coração sincero te pedimos: abre nossos ouvidos e o coração para captarmos integralmente tua mensagem de amor, justiça e paz e fortalece nosso ânimo para que anunciemos, com ousadia, teu Evangelho por toda parte. Amém.

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós

Palavra oficial do Papa

Portal Kairós - Igreja e Música Católica