Liturgia católica – Anos A, B e C

Liturgia

ANO  C:  1º Domingo do Advento – 28/11/2021 à Solenidade de Cristo Rei – 20/11/2022

Reflexão e sugestão para a Missa do 1° Domingo do Advento 2021 do Ano C

Para: 28/11/2021 – Novembro

1° Domingo do Advento 2021 – Ano C

Jr 33,14-16; SI 24; 1Ts 3,12-4, 2; Lc 21,25-28.34-36

1° Domingo do Advento 2021

Retiro de Advento e Natal 2021 simplificado:

Na Área Especial

Retiro de Advento e Natal 2021 Especial:

A comunidade eclesial é chamada a celebrar o início de um novo ano e tempo litúrgico. É Cristo presente na vida de sua igreja, guiando, por meio do Espírito Paráclito, os passos de seus discípulos. Neste tempo favorável, a Comunidade discipular é chamada a orar e a vigiar, pois a libertação, que vem de Deus, está próxima. Os cristãos foram criados para a liberdade e não para serem escravizados por aqueles que não se deixam guiar pelos valores do evangelho.

O Senhor, desde a criação, nunca se esqueceu do homem e da mulher. Em todos os tempos, mesmo diante das infidelidades de seu povo, mostrou-se sempre fiel a seus filhos. Diante de Reis, que tentaram escravizar os pequeninos, seus favoritos, Ele se revelou como justiça e misericórdia, mostrando os caminhos que levam ao céu, convidando a todos a se deixarem guiar pela verdade de sua Palavra, que procura reconduzir os pecadores ao bom caminho, a uma vida livre, que nasce da consciência e preocupação com o bem comum.

A entrada do verbo de Deus, na história humana, fez nascer uma nova esperança: a possibilidade de um novo céu e uma nova terra. Lucas, no evangelho proclamado, descreve muitas catástrofes, que causam espanto; todavia, seu objetivo é auxiliar a Comunidade dos discípulos de Jesus a ler os sinais dos tempos, isto é, o indicativo da plenitude do Reino de Deus, neste mundo, é a queda de todos os impérios e todas as forças, que impedem os membros da Comunidade cristã de ficarem em pé diante do Filho do Homem, o Cristo Jesus.

Hoje são muitas as situações que escravizam o homem, que o faz viver de um modo egocêntrico, fechado em si mesmo e pouco inclinado a
práticas altruístas. Orai e vigiai, eis a estrada a que somos convidados a percorrer neste tempo de advento. Orar significa colocar-se na presença do Senhor, em uma atitude dialógica. Vigiar significa estar atento, para que a Palavra de Deus, que em Cristo assume um corpo, seja o referencial para toda ação humana. Estar atento, eis o desafio para os membros da Comunidade cristã para não se deixar seduzir por projetos que colocam em xeque a liberdade, introduzida por Cristo, na história humana.

Sugestões litúrgicas para a Missa do 1° Domingo do Advento 2021 – Ano C

– Antes da procissão de entrada: destacar o tema da renovação total, com a ideia de que, ao reiniciar novo ano, algo totalmente novo deverá ser gestado. Pode-se demonstrar simbolicamente isso na procissão de entrada: algo velho dando lugar ao novo…

– Após a procissão de entrada: chamar atenção para o rito de acender as velas. Um pequeno rito pode ser feito no início da celebração, na liturgia da palavra ou em qualquer outro momento, conforme designar o celebrante. O acender das velas, normalmente, é feito com a bênção das velas, canto e oração própria. Seria bom convidar a assembleia a fazer, em sua casa, uma breve oração e acendimento das velas nos Domingos que antecederem o Natal 2021.

– Ofertório: motivar a Comunidade a desapegar-se de si e de coisas, em favor do irmão.

– Antes da bênção final: convidar a Comunidade a participar, efetivamente, não só de uma novena do Natal em família, mas de uma campanha de Natal solidário, sem fome, sem violência e sem preguiça ou omissão.

Músicas para a Missa do 1° Domingo do Advento 2021 – Ano C:

Folhetos do 1° Domingo do Advento 2021 – 28/11/2021 para imprimir:

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Reflexão e sugestão para a Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo 2021 do Ano B

21/11/2021 – Novembro

Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo 2021 – Ano B

Dn 7,13-14; SI 92; Ap 1,5-8; Jo 18,33b-37

Rei do Universo 2021

O fio condutor das leituras deste domingo é o exercício do poder a serviço da vida. O poder eterno do Filho do Homem e de Jesus serve a vida, faz o povo viver em paz e revela o Reino de Deus. No começo do Evangelho de Marcos, Jesus pregava dizendo: “o Reino de Deus está próximo!” (Mc1,15). O povo conhecia bem o significado da expressão “Reino de Deus”. Ela resumia toda a Aliança. No Evangelho de hoje, diante de Pilatos, Jesus assumiu sua realeza. Mas que tipo de rei é Jesus?

Naquela época, havia muito sofrimento, causado por uma violência estúpida, vinda da parte dos governantes, dos reis, das lideranças do próprio povo e do império romano. O império era o mundo. Jesus disse com clareza que seu Reino “não é deste mundo”, ou seja, não podemos confundir a proposta de Jesus com qualquer proposta política em nossa sociedade.

O Reino de Deus não pode ser fruto de uma revolução violenta ou de regimes nacionalistas messiânicos, por mais que eles se apresentem assim. O Reino não vai surgir com perturbações armadas ou com cataclismos apocalípticos. Jesus ensina que o Reino já está no meio de nós. O Reino já está presente na humanidade (cf. Lc 17,21). Deus já está reinando. Onde? Na própria manifestação de Jesus. Em seus gestos, suas opções e suas palavras, Ele nos revelou o Reino de Deus. Ao longo das leituras dos domingos deste ano, conhecemos um pouco mais Jesus.

Sabemos que Ele foi um rei bem diferente das imagens dos que conhecemos, que foi, antes de tudo, um rei pobre. Não possuiu exércitos nem qualquer tipo de força militar. Em sua ação, combateu os males causados por uma sociedade injusta e desigual. Mesmo desarmado, mas com a força do Pai a seu lado, combateu a fome, as doenças, a ignorância, a solidão, os preconceitos, a violência, a injustiça, o medo, o sofrimento, o pecado e a morte. Veio trazer a bênção da vida que tínhamos perdido por causa do pecado. Nesta festa de Cristo Rei, queremos ser bons e fiéis súditos de seu Reino. Queremos renovar o compromisso de seguir na estrada de Jesus. Compete a nós, hoje, combater o bom combate em defesa da vida, guardar a fé e não perder a esperança. Nessa luta pelo Reino, descobriremos a presença de Deus no meio de nós.

Sugestões litúrgicas para a Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo 2021 – Ano B

– Antes da procissão de entrada: lembrar que a festa de Jesus, Rei do Universo 2021, coroa o ano litúrgico e marca um grande final vitorioso para cada um, se houver participação efetiva das pessoas de bem.

– Procissão entrada: fazer a procissão motivada pela aclamação a Cristo Rei, semelhante à do Domingo de Ramos, com um cântico apropriado.

– Ação de graças: lembrar os eventos significativos, operados na Comunidade neste ano.

– Após a bênção final: cantar o cântico “Vitória! Tu reinarás! Ó Cruz, tu nos salvarás…!”

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Abertura do Ano C: São Lucas Evangelista 2021/2022

São Lucas Evangelista 2021/2022

São Lucas Evangelista 2021/2022

Instruções para a liturgia

– Coroa de Advento: feita com ramos verdes, geralmente, é envolvida por uma fita vermelha e nela quatro velas são fixadas. Ela simboliza e comunica que, naquela igreja, casa, naquele escritório ou em qualquer espaço em que ela esteja, vivem pessoas que se preparam com alegria para celebrar a vinda de Deus ao mundo, o Natal.

– O círculo da coroa: simboliza a nova aliança de Deus com a humanidade, celebrada no sacramento da Santa Ceia. O círculo da coroa pode ser relacionado à coroa de espinhos, colocada na cabeça de Jesus; a nova aliança foi feita pelo Jesus negado e rejeitado, com humildade e doação.

– Os ramos verdes: mesmo cortados, permanecem verdes por semanas: comunicam a esperança, que leva à perseverança, a uma entrega total da vida a Deus.

– A fita vermelha: a cor vermelha, na tradição litúrgica, está ligada à cor do fogo e do sangue. Simboliza a cor da vida, do amor e, ao mesmo tempo, o derramamento do sangue, o sacrifício. A nova aliança de Deus com a humanidade foi feita com amor, doação, sacrifício e trouxe a vida plena e eterna.

– As quatro velas: é acesa uma vela para cada domingo que antecede ao dia 25 de dezembro. Alguns registros históricos contam que a coroa de advento surgiu em uma instituição que abrigava crianças pobres. Inicialmente, ela continha entre 22 a 28 velas, uma para cada dia do tempo de advento. Devido aos custos, diminuiu-se o número de velas.

Cada vela da coroa, feita para iluminar a vigília do advento, simboliza a preparação para vinda de Jesus Cristo, luz do mundo, e também comunica a alegria da vida, que procede de Deus e vai além dos limites que a vida, no mundo, impõe. Suas cores são apenas uma convenção, pois todas podem ser de uma única cor. O importante é o sentido, o significado da LUZ.

Leia mais

Reflexão e sugestão para a Missa do 33° Domingo do Tempo Comum 2021 do Ano B

Para o dia: 14/11/2021 – Novembro

Missa do 33° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Dn 12,1-3; SI 15; Hb 10,11-14.18; Mc 13,24-32

33° Domingo do Tempo Comum 2021

Viena, Áustria – 9 de janeiro de 2012: Detalhe de uma representação pintada da ressurreição de Jesus Cristo, parte do afresco do século XVIII no interior da cúpula principal da Karlskirche (Igreja de São Carlos) em Viena. O afresco foi pintado por Johann Michael Rottmayr e Gaetano Fanti.

Estamos acabando mais um Ano Litúrgico B. As leituras de hoje apontam para um futuro de esperanças, em que as forças do mal serão definitivamente derrotadas e a Luz de Deus triunfará. Na primeira leitura, tirada do livro apocalíptico de Daniel, a força de Deus, simbolizada no arcanjo Miguel, protegerá o povo das angústias e das dificuldades. O povo será salvo, e os justos, os que souberam perseverar na vivência dos mandamentos, serão como estrelas brilhantes no firmamento do céu. O Salmo de meditação rejeita os reinos dos senhores da terra e agradece a Deus, que aponta o caminho da vida. Também Jesus, no Evangelho de hoje, segue essa mesma reflexão. Ele diz que, depois de um período de muita violência, triunfará o Filho do Homem, vindo sobre as nuvens do céu, de junto de Deus.

Como entender tanta violência? Até quando essas coisas deverão acontecer? Jesus manda observar a figueira. O que ele nos pede é atenção aos acontecimentos da história humana. Precisamos saber discernir os sinais dos tempos. Nossa missão é testemunhar nossa fé, sem desanimar diante das crises, que buscam roubar nossa esperança. Temos de descobrir, para além dos fatos graves e violentos, o verdadeiro
rosto de Deus, que se manifesta no próprio Jesus Ressuscitado. Jesus é o símbolo de todos os momentos da vida humana. Ele também sofreu muito. A violência caiu pesadamente sobre ele. Mas ele venceu a violência e a morte, ressuscitando pelo poder de Deus. Essa é nossa esperança. Como lembra a carta aos Hebreus, Jesus mesmo se ofereceu em sacrifício e, agora, por sua doação e coragem, está assentado à direita de Deus. Sua vitória é total. A Aliança chegou a sua plenitude.

Em 2016, o papa Francisco, fechando o Ano da Misericórdia, instituiu no 33º Domingo do Tempo Comum, o Dia Mundial do Pobre. Neste domingo, nossas comunidades devem refletir sobre a pobreza de Cristo. Para o Papa, “a pobreza está no cerne do Evangelho, e devemos tomar consciência de que não poderá haver justiça nem paz social enquanto Lázaro jazer à porta de nossas casas”. Lembrar os pobres, os migrantes, os enfermos, ensina o Papa, é a melhor maneira de nos prepararmos para a Festa de Cristo Rei 2021.

Sugestões litúrgicas para a Missa do 33° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

– Antes da procissão de entrada: motivar a celebração com elementos que apontem para a qualidade de vida, principalmente, para um ambiente de fraternidade na comunidade.

– Preces dá comunidade: fazer uma “prece” por todos os que jogam fora sua vida e por todos que são impedidos de ter acesso a uma vida digna.

– Ação de graças: cantar algum cântico que fale de nossa vida com Deus, em um clima de festa no céu, preparada na terra.

– Antes da bênção final: convocar a Comunidade para pensar um gesto concreto que envolva todos em um Natal solidário.

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Um simples retiro para o Advento 2021

O Advento nos faz lançar raízes no mais profundo de nossa condição humana e despertar todas as energias criativas, todas as grandes motivações adormecidas, toda bondade aí presente, toda decisão de assumir-nos como cooperadores de um novo tempo.

Retiro para o Advento 2021

Na mística da Encarnação

Mais uma vez chegamos até vocês com esta proposta do retiro para o Advento 2021 e Natal neste tempo litúrgico tão bonito e tão profundo contemplando este Deus que vem morar definitivamente com o seu povo.

É possível baixar o Retiro abaixo.

Baixe o Retiro de Advento e Natal 2021: 

Aqui no Portal Kairós também oferecemos um material alternativo, a mesma proposta mas de modo mais simples. Muitas comunidades populares e mais distantes estão usando este material.

Baixe o Retiro de Advento e Natal 2021 Simplificado: 

Leia mais

Palavra oficial do Papa