Reflexão e sugestão para a Missa 2° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Para o dia: 17/01/2021

Missa 2° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

ISm 3,3b-10.19; SI 39; ICor 6,13c-15a.l7-20; Jo 1,35-42

2° Domingo do Tempo Comum 2021

Antuérpia – Cena do Sermão de Jesus em Joriskerk ou St. Igreja de George do século 19, em 5 de setembro de 2013 em Antuérpia, Bélgica.

Jesus veio pregar o Reino de Deus, que não é uma ideia grandiosa nem um catecismo de verdades dogmáticas. O Reino de Deus é, antes de tudo, um novo modo de viver a vida no seguimento de Jesus Cristo. Ele só se tornará concreto se houver pessoas que respondam positivamente às propostas de Jesus. Sua adesão pede gestos de vida bem concretos. No encontro com Jesus, surge um novo horizonte na vida das pessoas e uma adesão ao caminho de Jesus. O batismo é o sinal dessa adesão, pois por ele passamos a ser discípulos de Cristo. Neste domingo, celebramos o surgimento do novo Povo de Deus, por meio da vocação e da missão dos primeiros discípulos de Jesus. Pelo batismo, todos somos chamados para a missão. Vocação e missão são os sinais de que o Reino de Deus está entre nós.

A primeira leitura narra o chamado profético de Samuel, cuja vocação acontece gradativamente. Depois de vários chamados, o jovem Samuel, com a ajuda do velho Eli, começa a entender que é Deus quem o está chamando. E, quando fica claro o que Deus está pedindo, ele acolhe sua vontade e responde: “Fala, Senhor, que teu servo escuta”. Vocação é estar atento aos chamados de Deus e saber assumir a missão. Toda pessoa vocacionada é uma resposta de Deus ao grito de alguém. Samuel exercerá sua vocação profética guiando e defendendo o povo de Deus. “No Evangelho de hoje, percebemos que existem várias formas de vocação. Os dois primeiros discípulos seguem Jesus porque João Batista o apontou e dele testemunhou. Outros, como Simão, são chamados por pessoas que já estão no seguimento de Jesus.

André simboliza os discípulos que buscam outros discípulos. Independentemente da forma como as pessoas são chamadas ao seguimento, este só acontece depois de um encontro da pessoa vocacionada com o próprio Jesus. Toda proposta vocacional encontra sua confirmação nesse encontro. Afinal, vocação é “caminhar na estrada de Jesus”

Sugestões litúrgicas para a Missa do 2° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Dinamizar o símbolo da Pedra que Jesus apresenta no evangelho, enfatizando a dimensão vocacional.

– Antes da procissão de entrada: preparar uma Pedra, de tamanho médio, para ser entronizada, enfatizando que Cristo é a Pedra fundamental de nossa fé.

– Ofertório: ofertar todas as pastorais, simbolizadas por pedras (feitas de papel pedra) de modo a formar uma pequena construção, dando o sentido de que todos somos pedras vivas na construção da Igreja de Cristo, entronizada no início.

– Antes da bênção final: convidar os fiéis para fazerem parte das pastorais. Com a imagem do corpo como templo do Espírito, entronizar uma imagem do Espírito Santo, que poderá ser colocado sobre as pedras. Enquanto isso, pedir para que representantes das pastorais distribuam pequenos papéis ornamentados, com a frase: “Tu és pedra viva na Igreja de Jesus” e com o nome das pastorais e de seus respectivos representantes.

Sugestões de repertório para a Missa do 2° Domingo do Tempo Comum 2021 –  Ano B (O Domingo)

Abertura: Toda a terra
Aclamação: Aleluia! Fala, Senhor
Oferendas: De mãos estendidas
Comunhão: Jesus passa

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – catequético – Cantos para a Celebração – 2° Domingo do Tempo Comum 2021

 

Áudios para a Missa do 2° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B CNBB:

 

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Leituras de Domingo: Missa do 2° Domingo do Tempo Comum 17/01/2021

Leituras de Domingo

(Verde, glória, creio – 2ª semana do saltério)

Que toda a terra se prostre diante de vós, ó Deus, e cante louvores ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 65,4)

Iniciando a primeira etapa do Tempo Comum, somos iluminados pelas palavras de João Batista, que nos encaminha a reconhecer em Jesus o Cordeiro de Deus. Dispostos a atender ao chamado do Senhor para conviver com ele e cumprir a vontade do Pai, renovemos nosso compromisso de segui-lo e nos tornarmos com ele um só espírito.

Primeira Leitura: 1 Samuel 3,3-10.19

Leitura do primeiro livro de Samuel – Naqueles dias, 3Samuel estava dormindo no templo do Senhor, onde se encontrava a arca de Deus. 4Então o Senhor chamou: “Samuel, Samuel!” Ele respondeu: “Estou aqui”. 5E correu para junto de Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Eli respondeu: “Eu não te chamei. Volta a dormir!” E ele foi deitar-se. 6O Senhor chamou de novo: “Samuel, Samuel!” E Samuel levantou-se, foi ter com Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Ele respondeu: “Não te chamei, meu filho. Volta a dormir!” 7Samuel ainda não conhecia o Senhor, pois, até então, a palavra do Senhor não se lhe tinha manifestado. 8O Senhor chamou pela terceira vez: “Samuel, Samuel!” Ele levantou-se, foi para junto de Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Eli compreendeu que era o Senhor que estava chamando o menino. 9Então disse a Samuel: “Volta a deitar-te e, se alguém te chamar, responderás: ‘Senhor, fala, que teu servo escuta!’” E Samuel voltou ao seu lugar para dormir. 10O Senhor veio, pôs-se junto dele e chamou-o como das outras vezes: “Samuel! Samuel!” E ele respondeu: “Fala, que teu servo escuta”. 19Samuel crescia, e o Senhor estava com ele. E não deixava cair por terra nenhuma de suas palavras. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 39(40)

Eu disse: “Eis que venho, Senhor! / Com prazer faço a vossa vontade”.

1. Esperando, esperei no Senhor / e, inclinando-se, ouviu meu clamor. / Canto novo ele pôs em meus lábios, / um poema em louvor ao Senhor. – R.

2. Sacrifício e oblação não quisestes, / mas abristes, Senhor, meus ouvidos; / não pedistes ofertas nem vítimas, / holocaustos por nossos pecados. – R.

3. E então eu vos disse: “Eis que venho!” / Sobre mim está escrito no livro: / “Com prazer faço a vossa vontade, / guardo em meu coração vossa lei!” – R.

4. Boas-novas de vossa justiça † anunciei numa grande assembleia; / vós sabeis: não fechei os meus lábios! – R.

Segunda Leitura: 1 Coríntios 6,13-15.17-20

Leitura da primeira carta de São Paulo aos Coríntios – Irmãos, 13o corpo não é para a imoralidade, mas para o Senhor, e o Senhor é para o corpo. 14e Deus, que ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará também a nós, pelo seu poder. 15Porventura ignorais que vossos corpos são membros de Cristo? 17Quem adere ao Senhor torna-se com ele um só espírito. 18Fugi da imoralidade. Em geral, qualquer pecado que uma pessoa venha a cometer fica fora do seu corpo. Mas o fornicador peca contra o seu próprio corpo. 19Ou ignorais que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que mora em vós e que vos é dado por Deus? E, portanto, ignorais também que vós não pertenceis a vós mesmos? 20De fato, fostes comprados, e por preço muito alto. Então, glorificai a Deus com o vosso corpo. – Palavra do Senhor.

Evangelho: João 1,35-42

Aleluia, aleluia, aleluia.

Encontramos o Messias, Jesus Cristo, / de graça e verdade ele é pleno; / de sua imensa riqueza, / graças sem fim recebemos (Jo 1,41.17). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João – Naquele tempo, 35João estava de novo com dois de seus discípulos 36e, vendo Jesus passar, disse: “Eis o Cordeiro de Deus!” 37Ouvindo essas palavras, os dois discípulos seguiram Jesus. 38Voltando-se para eles e vendo que o estavam seguindo, Jesus perguntou: “O que estais procurando?” Eles disseram: “Rabi (que quer dizer mestre), onde moras?” 39Jesus respondeu: “Vinde ver”. Foram, pois, ver onde ele morava e, nesse dia, permaneceram com ele. Era por volta das quatro da tarde. 40André, irmão de Simão Pedro, era um dos dois que ouviram as palavras de João e seguiram Jesus. 41Ele foi encontrar primeiro seu irmão Simão e lhe disse: “Encontramos o Messias” (que quer dizer Cristo). 42Então André conduziu Simão a Jesus. Jesus olhou bem para ele e disse: “Tu és Simão, filho de João; tu serás chamado Cefas” (que quer dizer pedra). – Palavra da salvação.

Reflexão

O testemunho de João Batista a seus dois discípulos é como uma “carta de recomendação” favorável ao Messias. A partir daquele momento, João entrega os próprios seguidores a um novo Mestre, o “Cordeiro de Deus”, aquele que, por sua morte, libertará o mundo da condição de pecado. Atitude sábia e desprendida, a de João. Não se apega aos próprios discípulos, nem os enche de recomendações. Sabe que estarão em boas mãos. Doravante, caberá a Jesus prepará-los para a realidade do Reino de Deus. A primeira pergunta que Jesus lhes dirige é: “O que vocês estão procurando?”. Esse questionamento é fundamental em nossa vida. Somos convidados a dar conta do que realmente é importante para nós: a quem estamos seguindo? O que nos realiza como seres humanos? O que de fato agrada a Deus?

Oração

Ó Jesus, Cordeiro de Deus, mediante teus ensinamentos e atitudes, cativas os dois discípulos de João. Eles te acompanham e, depois de testemunharem tua ação libertadora em favor do povo, tornam-se teus fervorosos seguidores e bons instrumentos para convidar novos adeptos para o Reino de Deus. Amém.

 

(Dia a dia com o Evangelho 2021 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

17 de janeiro – Missa 2° Domingo do Tempo Comum 2021

Missa 2° Domingo do Tempo Comum 2021

Esta Eucaristia nos motiva a estarmos atentos ao Senhor, que continuamente nos chama ao encontro com ele. Queremos responder, com alegria e generosidade, ao seu convite para vivermos e anunciarmos o amor, a bondade e a misericórdia como seus discípulos e discípulas. Celebremos com muita fé o Cordeiro de Deus, que veio ao mundo para nos conduzir no caminho da salvação.

Com nossa fé e nosso testemunho, queremos anunciar que Jesus Cristo veio ao mundo para nos conduzir à salvação.

ONDE MORA JESUS?

Vendo Jesus passar, João Batista anuncia aos seus dois discípulos: Eis o Cordeiro de Deus. Ambos se animam e seguem Jesus. O Mestre quer saber o que procuram, e a resposta é a pergunta sobre onde ele mora. Jesus não lhes dá essa informação, mas os convida a conhecer por si próprios. Foram e ficaram com ele naquele dia. André, um dos dois, convida seu irmão, Simão, para conhecer o Mestre.

Segundo o Evangelho de João, temos aí o germe da comunidade de Jesus. Começa com a experiência que duas pessoas fazem ao conviver com ele. Com seu testemunho e ao seu convite, outros se integrarão à pequena comunidade. Os dois querem partilhar a experiência e convidam outros a também fazê-la.

As primeiras palavras de Jesus, no Evangelho de João, consistem na pergunta: O que vocês procuram? Tal pergunta pode ser dirigida a cada um de nós. O ser humano sempre procura algo na vida: emprego, melhores condições de vida, sentido para a própria existência… Quem não olha para o horizonte ou deixa de buscar, acomoda-se ou perde o sentido do viver.

Além da busca de coisas, as pessoas procuram alguém com quem conviver. A convivência com os outros sempre nos complementa e realiza. Buscar o Mestre de Nazaré e deixar-se seduzir por ele leva à descoberta do sentido da vida. Os dois discípulos que o seguem querem aprender dele novo jeito de viver.

O Mestre convida quem se dispõe a segui-lo: Vinde ver onde moro. Ora, quem o acompanhou ao longo da vida descobriu que ele não tinha sequer uma pedra onde reclinar a cabeça. Jesus encontrava-se com frequência no meio da multidão faminta e necessitada de cura. Vivia junto aos doentes, aos pecadores, às prostitutas, aos pobres. Fazia refeições com os desprezados pelos “cidadãos de bem”. Esse era seu ambiente favorito.

Hoje, onde encontramos Jesus? Ele está lá junto aos moradores de rua, acompanhando os doentes nos centros de saúde, caminhando com os milhões de desempregados em busca de trabalho, convivendo no barraco com a mãe desesperada por ver suas crianças sem comida… Quem se habilita a segui-lo?

 

Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós

Reflexão e sugestão para a Festa do Batismo do Senhor 2021 – Ano B

Para: 10/01/2021

Batismo do Senhor 2021 – Ano B

Is 42,1-4.6-7; SI 28; At 10, 34-38; Mc 1,7-11

Batismo do Senhor 2021

Reggio Emilia – O ícone do Batismo de Jesus nas iconostas na igreja Chiesa di San Giorgio em Reggio Emilia desde o século 20.

Cartaz Batismo do Senhor 2021 (Alta Qualidade):

A vida cristã começa com o Batismo. Os evangelhos narram que Jesus começou sua vida pública ao se deixar batizar por João Batista, no Rio Jordão. Marcos, em seu Evangelho, que vai nos guiar neste Ano Litúrgico, também inicia seu livro com o batismo de Jesus, contando seus gestos e suas palavras durante seu ministério evangelizador. Os sinais grandiosos, que se manifestam no batismo de Jesus, revelam-nos a Trindade Santa. É como se Marcos iniciasse seu Evangelho “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. O Espírito desce sobre Jesus em forma de pomba, e a voz do Pai, vinda do céu, atesta que Jesus é o Filho bem amado. Por meio dessa manifestação do Espírito, o batismo recebe um novo e profundo significado. As pessoas batizadas pela água se tornam templos de Deus, já que o Espírito de Jesus habita nelas com toda sua força e plenitude (cf. ICor 3,16).

A primeira leitura, do profeta Isaías, ajuda-nos a compreender a missão de Jesus. O batismo o revela como o Servo de Deus, obediente ao Pai e aos apelos do povo. Ao se deixar batizar por João; Ele torna-se um sinal da presença de Deus, colocando-se em uma atitude de serviço às pessoas mais humildes. Jesus mostra que Deus vem em socorro dos pobres, dos enfermos, dos marginalizados. Para Jesus colocar-se a serviço dos pobres não será uma opção fácil. Haverá reações e resistências a sua proposta. O Servo de Deus é também o Servo Sofredor. Jesus viverá sua paixão por fidelidade ao Pai e à Humanidade. Jesus vem para servir aos pobres e necessitados, aos que estão excluídos da convivência humana por causa dos preconceitos e das violências.

A segunda leitura nos apresenta Jesus como o anúncio vivo da Boa-Nova de Deus. Por meio da boca de Pedro, recebemos o anúncio da comunidade cristã primitiva. Deus unge Jesus com o Espírito e o poder para anunciar a Boa Notícia do Reino de justiça, paz e alegria. Na missão de Jesus, Deus cumpre todas as suas promessas. Sendo o guia da caminhada do povo em direção ao Reino, Jesus age em nome do Pai, trazendo uma resposta aos anseios mais profundos do ser humano. Dessa fidelidade de Jesus ao Pai e ao povo, surge sua autoridade para agir e falar, para ensinar e conduzir. Verdadeiramente, Ele é o Filho de Deus.

Sugestões litúrgicas para a Festa do Batismo do Senhor 2021 – Ano B

– Diante do altar: deixar bem visível para o povo os elementos, os símbolos, os objetos que são usados no sacramento do Batismo.
– Procissão de entrada: pedir para algumas crianças entrarem com frases sobre o que significa a teologia, a catequese do Batismo: Pertença ao Reino, Compromisso, Missão de Jesus e minha, Vida nova, Filho e filha de Deus, Comunidade, Bênção do Céu…
– Batismo: poderá ser celebrado um batismo nessa celebração, se for conveniente para a Comunidade, pois significativo o é, sem dúvida. É bom pensar sobre isso e procurar realizá-lo.

Sugestões de repertório para a Festa do Batismo do Senhor 2021 – Ano B (O Domingo)

Abertura: Eis que veio
Aclamação: Aleluia! Pois nós vimos
Oferendas: Cantai ao Senhor
Comunhão: Da cepa brotou

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – catequético – Cantos para a Celebração – Batismo do Senhor 2021

 

Áudios para a Festa do Batismo do Senhor 2021 – Ano B CNBB:

 

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Leituras de Domingo: Festa do Batismo do Senhor 10/01/2021

Leituras de Domingo

(Branco, glória, creio, prefácio próprio – ofício da festa)

Batizado o Senhor, os céus se abriram e o Espírito Santo pairou sobre ele sob forma de pomba. E a voz do Pai se fez ouvir: Este é o meu Filho muito amado, nele está todo o meu amor! (Mt 3,16s)

Concluindo o ciclo do Natal, reunimo-nos para celebrar o Batismo de Jesus. Contemplemos nesta festa a proclamação de Jesus como o Filho querido e amado de Deus que assume publicamente a missão recebida de seu Pai. A páscoa de Cristo se revela e continua em todos os batizados conscientes e comprometidos com o Reino da justiça e da paz.

Primeira Leitura: Isaías 42,1-4.6-7

Leitura do livro do profeta Isaías – Assim fala o Senhor: 1“Eis o meu servo – eu o recebo; eis o meu eleito – nele se compraz minha alma; pus meu espírito sobre ele, ele promoverá o julgamento das nações. 2Ele não clama nem levanta a voz, nem se faz ouvir pelas ruas. 3Não quebra uma cana rachada nem apaga um pavio que ainda fumega, mas promoverá o julgamento para obter a verdade. 4Não esmorecerá nem se deixará abater, enquanto não estabelecer a justiça na terra; os países distantes esperam seus ensinamentos. 6Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o centro de aliança do povo, luz das nações, 7para abrires os olhos dos cegos, tirar os cativos da prisão, livrar do cárcere os que vivem nas trevas”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 28(29)

Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!

1. Filhos de Deus, tributai ao Senhor, / tributai-lhe a glória e o poder! / Dai-lhe a glória devida ao seu nome, / adorai-o com santo ornamento! – R.

2. Eis a voz do Senhor sobre as águas, / sua voz sobre as águas imensas! / Eis a voz do Senhor com poder! / Eis a voz do Senhor majestosa. – R.

3. Sua voz no trovão reboando! / No seu templo, os fiéis bradam: “Glória!” / É o Senhor que domina os dilúvios, / o Senhor reinará para sempre! – R.

Segunda Leitura: Atos 10,34-38

Leitura dos Atos dos Apóstolos – Naqueles dias, 34Pedro tomou a palavra e disse: “De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas. 35Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença. 36Deus enviou sua palavra aos israelitas e lhes anunciou a Boa-nova da paz por meio de Jesus Cristo, que é o Senhor de todos. 37Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do batismo pregado por João: 38como Jesus de Nazaré foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder. Ele andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os que estavam dominados pelo demônio, porque Deus estava com ele”. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Marcos 1,7-11

Aleluia, aleluia, aleluia.

Abriram-se os céus e fez-se ouvir a voz do Pai: / Eis meu Filho muito amado; escutai-o, todos vós! (Mc 9,7) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 7João Batista pregava, dizendo: “Depois de mim virá alguém mais forte do que eu. Eu nem sou digno de me abaixar para desamarrar suas sandálias. 8Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo”. 9Naqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galileia e foi batizado por João no rio Jordão. 10E logo, ao sair da água, viu o céu se abrindo e o Espírito, como pomba, descer sobre ele. 11E do céu veio uma voz: “Tu és o meu Filho amado, em ti ponho meu bem-querer”. – Palavra da salvação.

Reflexão

João Batista cumpre sua missão encomendada por Deus, isto é, prega a vinda do Messias e batiza com água. E avisa: “Depois de mim, vem aquele que é mais forte do que eu”. Anuncia, pois, a chegada de outro superior a ele em força, pois possuirá a plenitude do Espírito Santo. Será superior a ele também quanto à missão, que consistirá em fundar uma sociedade nova (nova aliança). A Jesus caberá o papel de esposo da nova comunidade. “Tirar as sandálias” significa justamente apropriar-se do direito de esposo. Será com o Espírito Santo e com água que Jesus formará o homem novo, fundamento e construtor da nova sociedade, etapa terrena do Reino de Deus. A expressão “viu os céus se rasgando” indica que, a partir de Jesus, se estabelece total e permanente comunicação entre Deus e o ser humano.

Oração

Ó Jesus de Nazaré, quiseste ser batizado por João. Na hora do batismo, o céu se manifestou: o Espírito desceu sobre ti em forma de pomba, e a voz do Pai celeste confirmou que és seu Filho amado. Ajuda-nos a compreender que, pelo batismo, nos tornamos habitação da Santíssima Trindade. Amém.

 

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp / Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós