11 de junho: Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo 2020

Solenidade da Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo 2020

Solenidade de Corpus Christi 2020

JESUS: PÃO DA VIDA E DA ­FRATERNIDADE

Desde o início da humanidade, Deus se preocupou em alimentá-la: na criação oferece ervas, frutos e animais como alimento; no deserto, em busca da terra prometida, oferece o maná e os pássaros para alimentar o povo caminhante; o profeta promete ricos manjares ao povo; Jesus viveu o drama da fome no deserto e sentiu a necessidade de se alimentar, sendo tentado a transformar as pedras em pão; por conhecer o drama da fome, Jesus alimentou várias vezes o povo faminto; por fim, ele mesmo se oferece como alimento. Faz parte do projeto do Pai não deixar nenhum de seus filhos e filhas passar fome.

Corpo e Sangue de Cristo

Mesa não combina com uma pessoa apenas. Mesa é lugar da fraternidade, da partilha e da solidariedade. O pão (alimento) é para ser feito em pedaços e distribuído. Mesa farta para ser partilhada é sinal de festa e de alegria! À mesa celebramos os eventos importantes da vida, os quais nos tornam felizes e dão sentido à existência. A mesa deveria ser o espaço onde as pessoas se humanizam cada vez mais, convivendo pacífica e solidariamente. É isso que ocorre em nossas mesas?

A “mesa eucarística”, onde Cristo se oferece como alimento, deveria ser o momento propício e o sinal privilegiado de humanização. Ao ser tentado pelo diabo no deserto, Jesus responde: não só de pão vive a pessoa. Mesmo reconhecendo a necessidade fundamental do alimento, a pessoa necessita de algo mais. Em todo ser humano há uma fome e um desejo que transcendem o alimento físico. É a fome e o desejo de se tornar sempre mais humano, a ponto de se divinizar.

No evangelho desta solenidade, Jesus se apresenta como o pão da vida. Ele é o alimento da vida perene, sem fim. A solenidade do Corpo e Sangue de Cristo 2020 nos coloca diretamente dentro da Eucaristia, sacramento por excelência. Conforme o Concílio Ecumênico Vaticano II, o sacramento da Eucaristia é a “síntese e o cume para onde tendem todos os sacramentos”. A Eucaristia nos torna sempre mais “Corpo de Cristo”, formando no mundo a grande família de Deus. Alimentar-se da Eucaristia significa dispor-se a promover a fraternidade entre todos.

 

Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós

07 de junho: Solenidade da Santíssima Trindade 2020

Solenidade da Santíssima Trindade 2020

A solenidade da Santíssima Trindade 2020 que hoje celebramos nos recorda a união e o amor existentes entre o Pai do céu, Jesus e o Espírito Santo. Contemplando esse mistério de fé, acolhamos nesta liturgia o amor de Deus, que nos salva, e busquemos, com alegria e generosidade, viver esse amor entre nós.

A Santíssima Trindade nos ensina a viver unidos no amor e na fraternidade.

Santíssima Trindade 2020

COMUNHÃO DE AMOR

O infinito amor de Deus se mostra no presente que ele entrega à humanidade: seu Filho único, vindo ao mundo para que todos tenham vida.

Deus deseja alcançar e salvar a todos com o seu amor. É esse amor que celebramos hoje, amor que é a comunhão das três Pessoas divinas. Celebrar a Trindade é celebrar o infinito amor de um Deus que cria, salva e anima. De um Deus que nunca deixará de manifestar seu interesse, carinho e amor pela humanidade.

O Filho enviado, que se faz um de nós, é o presente mais belo de Deus. Ele não vem para julgar e condenar, mas para dar vida, doando sua própria vida por nós.

Este amor de Deus, derramado sobre nós com o Espírito Santo, nos convida a construir aqui relações fraternas, inspiradas na comunhão perfeita que existe nas Pessoas divinas. Pois somente pessoas de Deus conseguem viver neste mundo a comunhão que vem de Deus.

Nosso Deus, afinal, não é uma ideia vaga. É uma Comunhão de Amor que se revela concretamente, que se dá a conhecer chamando-nos ao compromisso. Contemplar e adorar este mistério é algo exigente, pois a experiência pessoal de Deus nos leva necessariamente ao outro, ao compromisso com a construção de comunidades de irmãos que se amam como nosso Deus ama. Se não fosse assim, nossa religião seria apenas uma espiritualidade vazia e estéril.

Que a celebração da Santíssima Trindade 2020 aumente em nós a consciência de que somos missionários de um amor infinito, que se desdobra por todos e cria comunhão. A comunhão que podemos viver hoje, e que só pode vir da comunhão de nosso Deus, a Trindade que nos quer participando do seu amor. Amando como o Mestre amou, entramos de algum modo no mistério da Trindade.

O Domingo

É um periódico que tem a missão de colaborar na animação das comunidades cristãs em seus momentos de celebração eucarística. Ele é composto pelas leituras litúrgicas de cada domingo, uma proposta de oração eucarística, cantos próprios e adequados para cada parte da missa e duas colunas, uma reflete sobre o evangelho do dia e a outra sobre temas relacionados à vida da Igreja.

Reflexão e sugestão para a Solenidade da Santíssima Trindade 2020

 

Pe. Paulo Bazaglia, ssp / Portal Kairós

Reflexão e sugestão para a Santíssima Trindade 2020

Solenidade da Santíssima Trindade 2020

Êx 34,4b-6.8-9; Ct- Dn 3,52-65; 2Cor 13,11-13; Jo 3,16-18

Solenidade da Santíssima Trindade 2020

Casorate Primo, Itália. 26 de outubro de 2017. O ícone da Santíssima Trindade (também chamada de Hospitalidade de Abraão), de acordo com o pintado por Andrei Rublev no dia 15 c. Igreja de Santo Vittore Martire.

Deus uno e trino, fonte de amor

O relacionamento de Deus com seu povo é dinâmico, ligado à realidade da vida cotidiana. Deus não busca um povo simplesmente para que o adore e o glorifique, mas sim para revelar-se como vida para o mesmo povo. 0 ato contínuo de dar a vida a seu povo é selado com a aliança que garante, da parte de Deus, a compaixão e a misericórdia. Em uma palavra, Deus se doa por seu povo para mantê-lo unido consigo em comunhão de vida.

A experiência de Deus, feita pelo povo, vai se amadurecendo e se aprofundando a ponto de descobri-lo sempre mais como fonte de comunhão e de amor. No evangelho, Jesus declara a Nicodemos que a doação de Deus pela humanidade chega ao ponto mais alto, no momento em que ele, o Filho unigênito, é enviado não para condenar, mas para salvar o mundo. Salvação significa comunhão de todos no mesmo amor de Deus.

Sendo um Deus fonte de comunhão, não é possível ser um Deus solitário. O mistério da Santíssima Trindade- Pai e Filho e Espírito Santo – é a realidade que verdadeiramente nos apresenta o Deus único, mas não solitário; o Deus Trino, mas não dividido. O amor só se compreende na relação e na doação mútua entre as três Pessoas Divinas. A Santíssima Trindade é fonte e testemunho do puro amor, que nos acolhe e nos envolve em um só mistério de salvação.

Louvemos a Trindade Santa

Nosso coração e nossa mente não são capazes de abarcar todo o mistério de Deus Uno e Trino. Mas, porque temos nossa origem e nosso fim no coração da Trindade, fomos feitos também para amar. No amor, podemos sentir a presença de Deus no outro, na comunidade. No amor, podemos nos doar uns pelos outros para fazer a vida florir e frutificar. A saudação de Paulo à comunidade de Corinto, mostra que nossa vida de fé não se compreende fora do mistério de comunhão do Deus, que é Pai, Filho e Espírito Santo. Diante de tão grande mistério do mais puro amor, resta-nos louvar a Deus não somente por nos salvar, mas por fazer-nos participantes tão íntimos de seu amor. E estejamos convencidos de que não há louvor mais belo e profundo a Deus do que o amor cantado com nossa própria vida de comunidade.

Sugestões litúrgicas da Santíssima Trindade 2020

– Ato Penitenciai: realizar a aspersão com água benta, como recordação das águas batismais.
– Hino de Louvor: enquanto se canta, entrar três jovens de branco, dançando, cada um com uma pira de incenso nas mãos.
– Entrada da Palavra: os jovens que foram recentemente crismados podem entrar com a Palavra de Deus, precedidos pela frase: “Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo”. Convidar três desses crismandos para proclamarem as leituras.
– Oferendas: pais e mães podem entrar com as crianças que foram recentemente batizadas, precedidos pela frase: “Eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. Diante do altar, apresentar as crianças. Em seguida, a comunidade pode oferecer seus dons.
– Oração de envio: uma oração missionária pode ser rezada neste momento por toda a assembleia, enquanto os mesmos jovens passam com a pira de incenso junto ao “povo”.

Sugestões de repertório da da Santíssima Trindade 2020 (O Domingo)

Abertura: Bendito Sejas
Aclamação: Aleluia! Glória
Oferendas: Ó Trindade
Comunhão: Deus Eterno ou Salmo 8

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – catequético – Cantos para a Celebração – Solenidade da Santíssima Trindade 2020

 

Áudios para a Solenidade da Santíssima Trindade 2020 CNBB:

 

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

O Espírito Santo além da pombinha branca

Alguns teólogos brincam afirmando que, no cisma entre Oriente/ Ocidente cristão de 1054 d.C., o lado oriental ficou com o Espírito Santo, enquanto, nós, ocidentais, com a razão.

Uma das grandes redescobertas do Concílio Vaticano II, criticado por alguns de trair o espírito eclesial tradicional, foi “desengaiolar” o Espírito, que nós ocidentais sufocamos com nossas burocracias, racionalização e institucionalização.

As primeiras palavras da oração de São João XXIII na inauguração do Concílio foram mais que poesia, para bom entendedor, se constituem verdadeira exortação: “Renova as tuas maravilhas na vida da Igreja, Senhor, com o novo Pentecostes”, esta simples atitude ocasionou um movimento irreversível, pois o Espírito Santo deixou de ser conhecido apenas como a “terceira pessoa da Santíssima Trindade”, como muitos decoravam na catequese e, num retorno às fontes bíblicas e patrísticas, a busca por reconhecê-lo, sobretudo, como mencionado no Símbolo niceno-constantinopolitano, o “senhor que dá a vida”, aquele que inspirou os profetas.

A pneumatologia, ciência teológica que aborda o Espírito Santo, é recente se comparada aos dois milênios de cristianismo. Formalmente, data da segunda metade do século passado. Se o Espírito era mencionado, tratava-se logo de associá-lo ao Pai ou ao Filho. Perdemos muito tempo, não ouvíamos falar Dele.

O “esquecimento” do Espírito Santo deixou um vácuo na igreja ocidental que deve ser urgentemente preenchido, como bem notou o teólogo J. Moltmann, seguido de Karl Barth, John Wesley, Yves Congar, José Comblin, Victor Codina e outros, e isso não será possível apenas com produções literárias e teológicas, mas com experiências místicas reais, elementos que a Igreja Oriental nunca perdeu de vista.

Que o Espírito Santo não seja “propriedade” de movimentos dentro da Igreja, mas seja a Igreja em contínuo movimento e atualidade. Pois como canta e reza a Sequência de Pentecostes, “sem a luz que acode, nada o homem pode, nenhum bem há nele”…

Mensagem oficial do Papa para o Dia Mundial da Paz 2020

“O Espírito e a Esposa dizem: “Vem!”. Apocalipse 22,17.

Baixe materiais de formação sobre o Espírito Santo

Vivendo com Espírito Santo:

Novena de Pentecostes em Família 2020:

Novena em honra ao Espírito Santo para imprimir:

Cartaz da Novena de Pentecostes Tradicional 2020:

Novena de Pentecostes Beata Elena Guerra:

Cartaz da Novena de Pentecostes 2020:

Imagem do Cartaz da Novena de Pentecostes 2020 Tradicional – Alta resolução:

Cartaz de Pentecostes 2020 da RCC:

Novena de Pentecostes 2020 Tradicional – Versão Web:

 

Na Área Especial

Novena de Pentecostes 2020 Tradicional para imprimir:

 

Narcélio F. de Lima / Portal Kairós