Formação católica – Verdades da sua fé católica

Você conhece ou já ouviu falar da Catequese do Bom Pastor

A importância das crianças participarem da catequese e se sentirem parte da Igreja

As crianças precisam vivenciar a educação religiosa, por isso a importância da catequese para os pequenos. Nesse período muitos pais se questionam e ficam na dúvida: qual a melhor forma de ensinar os filhos sobre religião?
Conheça um pouco do modelo de catequese que é conhecido e estruturado, de uma forma que respeita as fases do desenvolvimento infantil de cada criança.

Quem nos apresenta esse modelo, é o coordenador pedagógico, e também, o idealizador do blog “Como Educar seus Filhos”, professor Carlos Nadalim.

O que é a Catequese do Bom Pastor, porque ela é eficaz?

Prof. Carlos Nadalim: A Catequese do Bom Pastor, é uma dica do blog “Como educar seus filhos”.
Eu não a criei, mas como ela surgiu no meu universo? Primeiro, comecei a estudar a questão do movimento linguístico, alfabetização e quais são os métodos mais eficazes e aqueles que devemos evitar. Depois disso, comecei a estudar a parte de motricidade e analisar qual é a modalidade esportiva mais adequada para a formação de uma criança, ou seja, prepará-la para os jogos de linguagem e atividades escolares em geral.

Estudei tudo isso durante anos, depois fui para os Estados Unidos tentar saber qual é o método mais eficaz para estudar música com as crianças, enfim, fui estudando e, chegou um momento, que me deparei com o problema da catequese, porque tenho um filho que na época tinha dois anos e meio (hoje ele tem quatro anos), e me veio um questionamento: como vou catequizar meu filho e que método devo utilizar?

Todo mundo fala que os pais são os catequistas dos filhos, isso é verdade, mesmo com nossas limitações podemos ser exemplos de católicos para os filhos, entretanto, chega um momento em que precisamos seguir uma metodologia e uma sequência de conteúdos que sejam adequados a cada criança. E foi graças a um amigo, Antony, que estava lá nos Estados Unidos, que soube da Catequese do Bom Pastor. Ele a descobriu de uma forma bem curiosa: foi fazer um curso sobre o Método Montessori, e descobriu que a Catequese do Bom Pastor é inspirada nessa metodologia. Então, ele visitou uma escola e lá, a diretora apresentou a ele essa Catequese.

Ele filmou tudo e me mandou os vídeos. Guardei esses vídeos com muito carinho durante dois anos, mas ano passado, recebi um convite para ministrar umas palestras em Cuiabá, convidado pelo padre Elísio, para falar sobre alfabetização, música, ginástica e a educação religiosa de crianças. Foi então, que decidi ir à São Paulo conhecer as catequistas que, já trabalham com a catequese do Bom Pastor, e fiquei vislumbrado.

Fiz o curso da catequese Bom Pastor e fui para Cuiabá, levar essa novidade. Nesse período que gravei aquele vídeo, que ficou famoso na internet, em que eu apresento a catequese Bom Pastor.

Fale um pouco sobre a catequese do Bom Pastor

Prof. Carlos Nadalim: Sofia Cavalletti (1917 – 2011) é o desenvolvedora da ”Catechesis of the Good Shepherd” – Catequese do Bom Pastor, junto com sua colega Gianna Gobbi. Sua abordagem da educação religiosa depende muito do Método Montessori de educação.
A Catequese do Bom Pastor é divida em três níveis. O nível 1 é destinado às crianças de 3 a 6 anos. Nós apresentaremos às crianças temas especiais que são adequados a esse momento da vida delas.

O primeiro tema é o do ”bom pastor”, porque as crianças nesse período precisam sentirem-se amadas e protegidas. Portanto, a parábola do bom pastor é essencial para que elas tenham essa experiência, além do bom pastor, elas também vão se deparar com temas relacionados ”a luz”.

Como crianças têm medo do escuro, na catequese do Bom Pastor vamos apresentar para elas ”a luz”- o batismo – onde mostramos o Cílio Pascal, as crianças o acende, e se recordam do batismo, descobrem que no dia do batismo receberam o Menino Luz, que é o menino Jesus. Esse é um momento muito interessante da catequese e muito emocionante.

Ainda no nível 1, temos um outro tema, que é a abordagem em relação as coisas pequenas que ficam grandes. Sofia Cavalletti, selecionou várias parábolas que abordam justamente isso. Por exemplo, fazemos a experiência com a semente de mostarda, então, as crianças na catequese descobrem que aquela sementinha, vira uma árvore frondosa, e assim, entram as comparações com o reino dos céus.

As parábolas foram selecionadas e pensadas para ajudar as crianças, e também, podem aprenderem os gestos litúrgicos. Quando a criança vai à missa, ela se depara com uma síntese confusa. Está ali, tudo misturado, podemos comparar a uma canção, que você ouve a melodia, padrões rítmicos e a letra, tudo misturados, contudo, se você estuda música, precisa decompor a canção e separar esses elementos, para depois voltar para o todo com mais consciência. É isso que acontece na Catequese do Bom Pastor, as crianças aprendem de um lado os gestos litúrgicos, conhecem o calendário litúrgico e começam a perceber o porquê do sacerdote usar aquela casula, daquela cor e naquele período do ano.

Os citados acima, são alguns apontamentos da Catequese do Bom Pastor, mas ainda há os outros níveis – o 2 e o 3, que ficarão para um próximo momento. Vale ressaltar que, a Catequese Bom Pastor é bíblico litúrgica, pois sempre faz essa transição das Sagradas Escrituras para a liturgia. Vale muito a pena conhecer a Catequese Bom Pastor. Os resultados são impressionantes. Tudo o que a Sofia Cavalletti descreve em seus livros, acontece mesmo com as crianças.

Canção Nova / Portal Kairós

Balanço do legado do Ano Nacional do Laicato 2017 / 2018

Dom Severino Clasen faz balanço do legado do Ano Nacional do Laicato no Brasil

O bispo de Caçador (SC) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, dom Severino Clasen, em entrevista, fez um balanço da vivência e dos legados do Ano Nacional do Laicato na Igreja do Brasil, cujo início se deu dia 26 de novembro de 2017, na Festa de Cristo Rei.

Ao contrário do Ano Mariano, em 2017, não haverá uma data de encerramento, mas um momento de culminância que será marcado pela 9ª Assembleia Nacional dos Organismos do Povo de Deus de 22 a 25 de novembro, em Aparecida (SP), especialmente pela Romaria Nacional do Laicato ao Santuário Nacional.

Segundo dom Severino, as conquistas do Ano Nacional do Laicato têm reflexos no Brasil, no Celam, na América Latina, e no Dicastério para o Laicato, Família e Vida, em Roma. “O Ano fez com que as dioceses no Brasil assumissem gestos concretos de evangelização tendo os leigos como protagonistas”, disse. O lema que inspirou a realização de inúmeras experiências espalhadas pelo Brasil foi: “Sal da Terra e Luz do Mundo”, Mt 5, 13-14.

Leia, abaixo, a íntegra da entrevista:

Qual o balanço da realização do Ano Nacional do Laicato?

As conquistas do Ano Nacional do Laicato têm reflexos no Brasil, na América Latina, no Celam e em Roma, no Dicastério para o Laicato, Família e Vida. Os resultados são muito positivos. É maravilhoso ouvir e constatar os êxitos da semana missionária que vem trazendo frutos de conversão, um rosto de Igreja alegre. O espírito missionário tem levado a mensagem de Jesus Cristo para muitos âmbitos da sociedade.

O clamor dos cristãos leigos e leigas, “sal da terra e luz do mundo” atingiu outras esferas da sociedade, abrindo as portas e deixando que a luz do Evangelho trouxesse novos ares nos corações humanos. Apresentou uma Igreja com rosto de portas abertas como pede o papa Francisco, fez com que as dioceses no Brasil assumissem gestos concretos de evangelização tendo os leigos como protagonistas, como: semana missionária, palestras sobre temáticas pertinentes a Evangelização propostas pela Comissão Nacional sobre o Ano do Laicato, formação permanente para o clero em inúmeras Dioceses refletindo sobre a teologia do laicato, Congressos diocesanos e regionais, caminhadas e peregrinações levando o estandarte da Sagrada Família, pedindo luzes e coragem para que a presença, o testemunho e ação dos cristãos leigos e leigas transformassem as relações machucadas da sociedade em fraternidade universal.

Quais legados a celebração deste ano deixa para a Igreja no Brasil?

Os frutos do Ano Nacional do Laicato colheremos nos anos seguintes ao percebermos que a presença dos cristãos leigos e leigas no tecido da sociedade estão agindo de forma coerente, sólida nos mecanismos que mobiliza a sociedade na área da saúde, da política, da educação, do trabalho, da comunicação, da família sendo sal da terra e luz do mundo.

Na área eclesial oferecendo formação continuada, presença nos serviços e nos ministérios eclesiais, sendo fermento na massa para que a Igreja seja sinal do Reino de Deus já acontecendo entre nós. Esperamos uma atuação e presença mais coerente e profética dos cristãos leigos e leigas para que a Igreja seja, na figura da mãe, que acolhe e vai ao encontro dos batizados que abandonaram a Igreja. Portanto, o Ano Nacional do Laicato abriu portas e janelas para arejar o conceito, o modo de ser Igreja e testemunha do Evangelho em toda a sociedade em muitas Dioceses.

Como será o encerramento deste ano?

Não está na nossa agenda um encerramento do Ano do Laicato. Temos sim, a culminância do Ano Nacional do Laicato nos dias 22 a 25 de novembro em Aparecida, na casa da Mãe. Nos dias 22 a 24/11, teremos a 9ª Assembleia dos Organismos do Povo de Deus. No dia 25/11, a grande Romaria do Ano do Laicato para Aparecida na casa da Mãe. Nessa romaria teremos a celebração litúrgica na Basílica às 7h30, seguida com apresentações artísticas na praça.

Todos os cristãos leigos e leigas que puderem participar dessa romaria sejam bem-vindos e vindas.

CNBB / Portal Kairós

Os efeitos da oração do Rosário

Pe. Juan Phalen, sacerdote da Congregação da Santa Cruz, é conhecido pelo seu trabalho no Apostolado do Rosário em Família. Neste mês do Rosário, apresentamos 7 coisas que todo cristão deve conhecer sobre o profundo significado e os efeitos curiosos do Santo Rosário, que Pe. Phalen compartilhou.

01 – O Rosário é cristocêntrico

Embora seja uma das orações marianas mais populares, Pe. Phalen sublinha que a oração do Rosário é “cristocêntrica”, porque tem a ver com a vida de Jesus.“Quando era criança, pensava que o Rosário era sobre a vida de Maria – contou o sacerdote –, mas aprendi ao longo do tempo que é uma coleção de mistérios que se concentram completamente na vida de Jesus” e ao rezá-lo “estamos conhecendo melhor Cristo”.

02 – A sua origem está na Bíblia

Tanto as orações como os mistérios que formam o Rosário vêm de pequenas passagens e palavras da Bíblia. “As orações principais são o Pai Nosso, a Ave Maria e o Glória. Tudo isso está na Bíblia”, recordou o sacerdote.
“Os mistérios são acontecimentos centrais na vida de Jesus, no grande mistério da redenção”, explica e acrescenta que é uma contemplação da Escritura.

03 – Une as famílias que rezam

Uma frase muito popular entre os católicos é “família que reza unida, permanece unida”. Foi pronunciada pelo Servo de Deus, Pe. Patrick Peyton, membro da Congregação da Santa Cruz e fundador do Rosário em Família e de Holy Cross Family Ministeries (Pastoral da Santa Cruz).
Como membro desta congregação, Pe. Phalen explica que segundo o lema de Pe. Peyton, quando a família se reúne em nome de Jesus e rezam juntos o rosário, torna-se mais forte.

04 – Traz paz para o mundo

Outro lema de Pe. Peyton foi “um mundo em oração é um mundo em paz” e surgiu a partir da experiência deste Servo de Deus durante a Segunda Guerra Mundial.
Naquela época, “todo o mundo estava concentrado na oração pedindo pela paz e realmente conseguiram a paz com muitas pessoas rezando o Rosário. É possível ter paz no mundo se todos começarem a rezar”, disse Pe. Phalen.

05 – É um sacramental

O Santo Rosário pertence ao grupo dos “sacramentais” que, de acordo com o Catecismo (1667), são “são sinais sagrados por meio dos quais, imitando de algum modo os sacramentos, se significam e se obtêm, pela oração da Igreja, efeitos principalmente de ordem espiritual”.
Por meio deles, explica o Catecismo, “dispõem-se os homens para a recepção do principal efeito dos sacramentos e são santificadas as várias circunstâncias da vida”.

06 – Tranquiliza a pessoa que reza e diminui a pressão sanguínea

O Rosário ajuda a pessoa a se tranquilizar, o qual é muito importante na vida familiar.
“Os médicos dizem que a pressão alta diminui quando a pessoa reza o Rosário. É verdade, foi provado cientificamente. A pessoa se tranquiliza ao repetir as orações ‘Ave Maria’, enquanto estamos pensando nos acontecimentos da vida de Jesus e o que aconteceu na nossa vida”, acrescentou o religioso.
Na verdade, um estudo de 2001 publicado na Grã-Bretanha diz que rezar o Rosário é uma prática particularmente saudável para aqueles que sofrem de hipertensão arterial porque ajuda a estabilizar a frequência cardíaca.

07 – Ao rezar viva os mistérios da fé

Pe. Phalen garante que é possível revisar e reviver a própria vida em cada dezena do Santo Rosário ao meditar os mistérios. O sacerdote propõe pensar nos momentos que se teve um “anúncio” importante na nossa vida de fé, a “visita” de alguém especial ou quando se espera o “nascimento” de um bebê.

O sacerdote encoraja a recordar essas experiências, especialmente quando se reza em família. “O que mais importa na nossa vida é a fé, a fé em Deus e como estamos diante de Deus. Queremos falar sobre isso e a melhor maneira de fazê-lo é rezando o Santo Rosário”, acrescentou.

ACI Digital / Portal Kairós

Divulgada a arte tema do ano 2019 da RCC

Divulgada a arte tema do ano 2019 da RCCBRASIL e sua versão infantil

Foram divulgadas a imagem tema do ano de 2019, o manual de aplicação e versão infantil da imagem. A figura inspirada na passagem bíblica de Romanos 5, 5 “O amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”, tema do ano da RCCBRASIL de 2019, ilustra a moção espiritual que vai acompanhar o novo ano.

A imagem traz tons vermelhos, significando o sangue redentor do Senhor e o Espírito sendo derramado nos corações. A cor amarela remete ao brilho da verdadeira luz, que é o amor de Deus em nós.

A celebração dos 50 anos de presença do Movimento Carismático no Brasil será a grande festa do ano de 2019. Todavia, para esse mesmo ano, o Senhor inspirou, a partir de um momento de escuta profética do Conselho Nacional, todos os brasileiros a agradecerem e a clamarem a Sua poderosa presença do em nossas vidas.

Dessa forma, toda a RCC do Brasil é convidada a abrir-se ao Espírito Santo que, ao derramar o maravilhoso amor de Deus, torna-nos um povo que vive a comunhão fraterna, o transbordamento desse amor em nós, alcançando a muitos irmãos e irmãs.

É imprescindível que todos que irão produzir materiais com a arte respeitem as orientações contidas no manual que está disponíve para download:

Tem vinheta também!

Você receberá vinhetas (download acima) para vídeo com a imagem tema do ano. As vinhetas devem ser utilizadas da seguinte forma:

-No início do vídeo será aplicada a vinheta do tema do ano.

-No encerramento do vídeo deve ser utilizada a vinheta com a imagem comemorativa dos 50 anos e da RCCBRASIL.

É desautorizada qualquer modificação nas vinhetas (cortes, efeitos, passagens…), isso, para manter a identidade das artes e harmonia do seu uso em todo o Movimento.

Arte Tema do Ano 2019

A imagem tema do ano da RCCBRASIL em 2019 ilustra a moção espiritual que vai acompanhar o novo ano do Movimento. A passagem bíblica de Romanos 5, 5 será o tema vivido pela RCC: “O amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”.

Já a arte na versão infantil tem como objetivo aproximar este público do tema trabalhado pelo Movimento. Com traço mais suave, a marca tema do ano de 2019 adaptada poderá ser utilizada nos eventos do Ministério e Grupos de Oração para Crianças e Adolescentes.

Baixe a arte do tema da RCC 2019:

Modelos disponíveis
Neste pacote de arquivo estão disponíves artes nos formatos .cdr, .eps, .png, .jpg e .psd.

Arte aberta
A Arte do Tema 2019 está aberta para aplicações em materiais gráficos e web.

Normas de Uso
Para a utilização dessas artes, pedimos que seja respeitada a identidade visual criada. Dessa forma, manteremos a unidade e evitamos distorções da imagem ou acréscimo de elementos que não fazem parte da composição. Para isso, basta seguir as orientações contidas no manual.

Informações
Para mais informações referentes à comunicação ligue para (12) 3151-9999, (12) 98138-4000 ou envie um e-mail para dpto.comunicacao@rccbrasil.org.br

Versão Infantil

A criançada também ganhou uma versão da marca! A arte adaptada tem como objetivo aproximar o público infantil do tema trabalhado pela RCC. Com traços mais suaves, cores delicadas e uma linguagem toda infantil, a marca tema do ano de 2019 poderá ser utilizada nos eventos do Ministério e Grupos de Oração para Crianças e Adolescentes, inclusive, em outras atividades de evangelização infantil.

Baixe a arte do tema da RCC 2019 – Versão infantil:

50 anos da RCC no Brasil

A marca comemorativa pelos 50 anos da RCC no Brasil, especialmente em 2019, deve ser amplamente valorizada, pois, com o chamado à Comunhão Fraterna, a marca vai ajudar a reforçar a importância desta festa e também deve nos levar a reflexão e ao compromisso de vivermos os frutos de Pentecostes em nossa principal característica comunitária de Efusão do Espírito Santo: O Grupo de Oração.

É muito importante que as duas imagens (comemorativa e tema do ano) sejam igualmente divulgadas e utilizadas de acordo com as orientações contidas no manual de aplicação de cada imagem.

Manual de Aplicações da Logo dos 50 anos da RCCBRASIL

Neste ano, no qual celebramos os 50 anos desse mover de Deus no mundo, que se chama Renovação Carismática Católica, queremos nos colocar em feliz expectativa e lançar os fundamentos de nossa preparação espiritual para o Jubileu de Ouro da RCCBRASIL, que se dará em 2019. Para este tempo viveremos 3 moções:

PERENE PENTECOSTES
CONVERSÃO SINCERA
COMUNHÃO FRATERNA

Baixe a logomarca dos 50 anos da RCC no Brasil:

Carnaval, Pentecostes e Cenáculo com Maria

Na reunião do Conselho Nacional, que definiu o tema do ano, também foram discernidos os temas que serão trabalhados nos encontros de Carnaval, no Pentecostes e nos Cenáculos com Maria. Confira abaixo:

Tema do Carnaval – “Deus nos amou primeiro” (1Jo 4,19b).

Tema de Pentecostes – “Unidos de coração vivemos um novo Pentecostes” (cf. At 2,1-4).

Tema Cenáculo com Maria – “Visitados por Maria, visitados pelo Amor” (cf. Lc 1, 39-45).

A Arte de Carnaval e Pentecostes serão disponibilizadas em breve.
Já para o Cenáculo com Maria, cada diocese ou Grupo de Oração que realiza o evento pode defini-la conforme inspiração e necessidade própria do local.

RCC / Portal Kairós

Evangelista de Maria e da infância de Jesus e padroeiro dos médicos

Igreja celebra em 18 de outubro o evangelista São Lucas, autor do terceiro Evangelho e dos Atos dos Apóstolos. Dentre os 4 evangelistas, é ele quem mais dá destaque à infância de Jesus e à Santíssima Virgem Maria.

Ao contrário de São Mateus e São João, por exemplo, São Lucas não conheceu Jesus pessoalmente: ele começou a abraçar a fé cristã por volta do ano 40, quando Jesus já tinha sofrido a Paixão, ressuscitado e ascendido aos céus. No entanto, conheceu São Paulo, de quem foi discípulo direto, e é possível que tenha conhecido também Nossa Senhora. Ele é, de fato, o evangelista que mais dedica espaço em seu relato aos mistérios que envolvem diretamente a pessoa de Maria: a Anunciação do Arcanjo Gabriel, a Visitação à prima Santa Isabel e o Nascimento de Nosso Senhor em Belém.

São Lucas é ainda o único dos 4 evangelistas que não nasceu em Israel – aliás, no seu relato evangélico, ele se dirige prioritariamente aos cristãos de fora da Terra Santa, em especial aos gregos, como propagador da mensagem do Cristo. Já no prólogo do seu Evangelho, ele afirma que o escreveu para que os seguidores de Jesus conhecessem melhor a Sua revelação e os Seus ensinamentos, enfatizando com particular esmero a misericórdia de Deus e o Seu perdão aos pecadores que se convertem de coração.

Culto, versado em literatura e formado em medicina, São Lucas veio a se tornar padroeiro de todos os médicos, bem como dos solteiros e dos artistas da pintura e da escultura, entre outros trabalhadores, porque, segundo a tradição, ele retratou a imagem de Nossa Senhora não apenas ao falar dela em seu texto evangélico, mas também ao pintar o seu retrato.

Seus símbolos na arte cristã são o livro e o touro, às vezes representado alado, porque ele começa o seu Evangelho descrevendo o sacrifício do sacerdote Zacarias no templo em que eram imolados bois nos rituais judaicos.

A tradição conta que São Lucas teria morrido mártir dependurado em uma árvore na Acaia.