Campanhas da Igreja Católica – O objetivo é evangelizar

O Ano Vocacional: Corações ardentes, pés a caminho

Com o ditado popular, “ninguém ama o que não conhece”, entendemos por que a Igreja celebra um Terceiro Ano Vocacional no Brasil. A intenção é mostrar, principalmente para a juventude, que a vocação brota do coração, mas ninguém nasce sabendo os rumos de seu trajeto. Há necessidade de conhecimento do caminho a percorrer para que chegue a ser realmente consolidada na vida.

O Primeiro Ano Vocacional foi em 1983, com o tema “Vem e segue-me”. O Segundo foi em 2003, com o tema “Batismo, fonte de todas as vocações”, que procurou avançar na reflexão vocacional. A ideia é formar “uma fisionomia vocacional”. Assim é o Terceiro, com o tema “Vocação, graça e missão”. Há uma fundamentação bíblica, com o lema “Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lc 24,32-33).

Deve ser um ano de muitas reflexões, iniciado em novembro deste ano, na Festa de Cristo Rei, terminando em novembro de 2023, também na Festa de Cristo Rei. Com isto a Igreja quer despertar nos cristãos e nas famílias uma sensibilidade missionária dentro de uma dimensão chamada de “cultura vocacional”. É como criar uma vacina que consegue superar o vírus do individualismo.

A vocação está relacionada com a ação libertadora de Deus na história da humanidade. Basta entender que Jesus foi o grande vocacionado dentro do processo da salvação. Significa que Deus vem para mudar a sorte de quem vive numa realidade de sofrimento e deprimido em sua dignidade. Desta forma, a vocação na Igreja é um compromisso missionário libertador para as pessoas.

A realidade vocacional da Igreja é preocupante. Aumenta o número da população e diminui o contingente religioso e presbiteral. Não é totalmente falta de vocações religiosas, mesmo numa cultura secularizada dos últimos tempos. Talvez esteja faltando motivações e uma divulgação mais contagiosa e capaz de atingir o coração das pessoas. Foi o que fez Jesus com os discípulos de Emaús (cf. Lc 24).

Não existe Igreja sem missão. Ela não é só instituição, mas tem uma visibilidade através da ação pastoral e de preocupação com a dignidade e a vida do ser humano. Não consegue fazer isso sem a presença de agentes chamados, dispostos, indicados e preparados. É uma realidade que precisa encontrar espaço no coração das pessoas para que sejam comprometidas com a identidade de sua fé.

Dom Paulo Mendes Peixoto – Arcebispo de Uberaba (MG) / Portal Kairós

CNBB divulga o Hino da Campanha da Fraternidade 2023 na segunda-feira, 5 de dezembro

A música do Hino da Campanha da Fraternidade 2023 será divulgada oficialmente na próxima segunda-feira, 5 de dezembro, às 12h. O lançamento é preparado pela CNBB, que disponibilizará o vídeo em seu canal do YouTube.

Divulga o Hino da Campanha da Fraternidade 2023

O Hino da Campanha da Fraternidade foi escolhido em dois concursos. O primeiro para a definição da letra, realizado entre os meses de maio e agosto. Foi escolhida a letra de autoria de dois seminaristas dehonianos de Santa Catarina: Clark Victor Frena, de 17 anos, e Geovan Luiz Alberton, de 23 anos. Os dois estudam no Seminário São José, em Rio Negrinho (SC).

Já o processo de escolha da música (melodia) ocorreu na sequência ao concurso que definiu a letra. O edital foi publicado no dia 12 de agosto e o resultado do vencedor foi divulgado no dia 26 de setembro. Gabriel Belisario, de 23 anos, da diocese de Guarapuava (PR), foi o autor da melodia que animará as reflexões durante a Quaresma do próximo ano.

Leia mais

Setor de campanhas da CNBB promove lives sobre os subsídios da CF 2023

O Setor de Campanhas da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) anuncia a realização, a partir desse mês de dezembro, sempre às quartas-feiras, de uma série de lives de divulgação dos subsídios específicos da Campanha da Fraternidade 2023, com os organizadores e autores das publicações. A iniciativa poderá ser acompanhada nas redes sociais da CNBB e da Edições CNBB.

A primeira live já acontece na próxima quarta-feria, dia 7, das 17h às 17h30, e abordará os três subsídios da CF na Escola, com a mediação do assessor do Setor de Campanhas da CNBB, padre Jean Poul. Participam como convidados o assessor nacional da Pastoral da Educação, padre Júlio César Evangelista Resende, e o professor Marcelo Ribeiro, do Setor Educação da diocese de Colatina (ES).

“Nós esperamos com essas lives tornar os subsídios mais conhecidos e oferecer dicas às comunidades de como utilizá-los. O texto-base é o principal subsídio da CF, mas a partir dele esses outros subsídios são produzidos de acordo com diversas realidades para facilitar  aplicação e a reflexão da CF; por isso nós esperamos que eles sejam o mais parecidos e mais utilizados nas diversas realidades das nossas comunidades”, salienta o padre Jean Poul.

Além de tornar as publicações da CF 2023 conhecidas, o Setor de Campanhas da CNBB busca, por meio das lives, apresentar sugestões para se trabalhar o tema da CF 2023 nos ambientes escolares, com a juventude, na catequese e círculos bíblicos e nas famílias. As lives também apresentarão as propostas de retiro popular, de celebrações ecumênicas, da misericórdia e de Vigília Eucarística e a Via Sacra, entre outros.

CNBB lança o texto-base da CF 2023 que aborda o tema da fome

Calendários de lives 

Leia mais

Encontro de ex-assessores de CFs da CNBB em vista dos seus 60 anos

Ex-assessores de Campanhas da CNBB

O Setor Campanhas da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realiza, nesta semana, um encontro com ex-assessores de campanhas, responsáveis por articular os processos de produção e animação das Campanhas da Fraternidade. A abertura da reunião, na tarde de segunda-feira, 28 de novembro, teve a participação do secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado.

Durante a reunião, que segue até quarta-feira, dia 30, os convidados desenvolvem partilhas a partir de três objetivos: recordar a história dos 60 anos da CF em âmbito nacional; refletir sobre o caminho percorrido, os obstáculos encontrados e superados; e planejar a celebração dos 60 anos, buscando ‘reencantar’ a CF.

Iniciada em 1962, na cidade de Nísia Floresta, na arquidiocese de Natal (RN), a Campanha da Fraternidade ganhou dimensão nacional dois anos depois. Assim, a edição da CF de 2024 marcará a celebração dos 60 anos da ação quaresmal. Em entrevista à TV Aparecida, o atual secretário-executivo de Campanhas da CNBB, padre Jean Poul Hansen, disse que o encontro inicia a preparação para o jubileu dos 60 anos da Campanha da Fraternidade.

Participam do encontro o irmão Israel José Nery, os padres José Adalberto Vanzella, Luís Fernando da Silva, Francisco de Assis Wloch, Patriky Samuel Batista e Jean Poul Hansen e o cônego José Carlos Dias. Outros ex-secretários também foram convidados, mas, por questões de agenda, não puderam comparecer.

Setor de campanhas da CNBB promove lives sobre os subsídios da CF 2023

Instrumento para a construção de um mundo novo

Leia mais

Conselho da CNBB define data da 60ª Assembleia Geral e tema da CF 2024

Campanhas da Fraternidade 2024
Tema: Fraternidade e amizade social
Lema: Vós sois todos irmãos e irmãs (Cf Mt 23,8)

Tema da CF 2024

O Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) concluiu sua última reunião do ano no fim desta manhã, de forma virtual. Durante a sessão realizada nesta quinta-feira, 24, os bispos decidiram sobre o formato de realização da 60ª Assembleia Geral da entidade e definiram o tema e o lema da Campanha da Fraternidade 2024 (CF 2024).

Para a assembleia, foi escolhido o tradicional encontro com 10 dias de duração, presencialmente, de 19 a 28 de abril. Uma novidade é que os bispos poderão deliberar sobre a realização de uma etapa virtual, a ser realizada no mês de agosto, caso haja necessidade.
Para a CF 2024, quando serão celebrados os 60 anos de realização das Campanhas da Fraternidade, foi escolhido o tema: “Fraternidade e amizade social” e o lema: “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Cf Mt 23,8).

60ª Assembleia Geral

No início da reunião, foram apresentadas as propostas de formato para a realização da 60ª Assembleia Geral da CNBB: novamente em duas etapas, uma virtual e outra presencial, ou a realização totalmente presencial, em 7 ou 10 dias. Até o momento, são oito temas na pauta da Assembleia, entre eles, a eleição dos membros da Presidência e dos presidentes das 12 Comissões Episcopais Pastorais. Assim, a escolha levou em consideração a necessidade de debater os temas, garantir os momentos de oração e de convivência entre o episcopado.
A maioria votante escolheu o tradicional formato em 10 dias de encontro, de 19 a 28 de abril, em Aparecida (SP). Caso seja necessário, a própria assembleia geral poderá definir a realização de uma segunda etapa, dessa vez virtual, entre os dias 21 e 25 de agosto de 2023.

Campanha da Fraternidade 2024

Leia mais