Posts

Que dia começa a Semana Santa 2020?

Semana Santa 2020

De domingo, 5 de abril até sábado, 11 de abril
Páscoa, 12 de abril

Que dia começa a Semana Santa 2020?
Confira as datas

Dia 05/04/2020 – Domingo de Ramos

Dia 06/04/2020 – Segunda-feira Santa

Dia 07/04/2020 – Terça-feira Santa

Dia 08/04/2020 – Quarta-feira Santa

Dia 09/04/2020 – Quinta-feira Santa / Missa do Crisma / Missa da Ceia do Senhor / Vigília eucarística

Dia 10/04/2020 – Sexta-feira Santa (Celebração da Paixão)

Dia 11/04/2020 – Sábado Santo (Vigília Pascal)

Dia 12/04/2020 –  Domingo da Páscoa da ressurreição

 

Cartaz para a Semana Santa 2020:

[wpdm_package id=’41160′]

Na Área Especial

E-book Meditações para a Semana Santa:

[wpdm_package id=’41166′]

Os mais lindos e melhores Cantos para Semana Santa e Páscoa 2020

Mais músicas

Imagens para a catequese

Confira a cobertura da Campanha da Fraternidade 2020

Tema e lema da CF 2020
Lema: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)
Tema: “Fraternidade e vida: dom e compromisso”

Confira em breve a cobertura da Campanha da Fraternidade 2021

Tema e lema da CF 2021
Tema: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”
Lema: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef. 2.14)

QUINTA-FEIRA

Jesus vence a desobediência
“Não a minha vontade, mas a Tua seja feita”

Com o cair do sol da Quinta-feira Santa, a Igreja inicia o Tríduo Pascal: síntese dos principais eventos que marcam a fé cristã e ápice da missão de Cristo entre nós. Nele revivemos a Paixão, Morte e Ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. Diz o Catecismo da Igreja Católica que “o mistério pascal da Cruz e da Ressurreição de Cristo está no centro da Boa Nova que os apóstolos e a Igreja, na esteira deles, devem anunciar ao mundo” (CIC 571). Acompanharemos, assim, nesses dias, os últimos passos de Jesus entre nós, e o faremos com um olhar atento e piedoso, sem querer perdê-Lo de vista por um momento sequer.

 

SEXTA-FEIRA

Jesus vence o orgulho
“Victor quia victima”: vitorioso enquanto vítima

Entregue por Judas nas mãos das autoridades judaicas, Jesus entra na Sexta-feira Santa, dia mais doloroso e sangrento de sua Paixão, dia também em que ela encontra o seu clímax, o seu ponto mais alto: a morte na Cruz. Esta, contudo, não é derrota, mas exatamente o contrário: a vitória de Cristo, o meio pelo qual a salvação alcança todos os homens e toda a criação. O ato litúrgico é marcado pelo silêncio e pela penitência. A Palavra de Deus ocupa boa parte dele, ensinando-nos a contemplar o acontecimento que rememoramos. Não há missa: o sacramento que atualiza a Cruz cede neste dia espaço para o evento em si. Reflitamos um pouco sobre esse evento neste segundo dia do nosso Tríduo Pascal.

 

SÁBADO SANTO

Jesus vence as aparências
“No repouso e na esperança reside a vossa força” (Cf. Is 30,15)

“Que está acontecendo hoje? Um grande silêncio reina sobre a terra. Um grande silêncio e uma grande solidão.” Luzes e velas estão apagadas, os altares despojados, sem flores nem paramentos, os sinos, mudos. As igrejas estão escuras, vazias e silenciosas. É o único dia do ano em que não se pode receber a Eucaristia, salvo caso de viático para um moribundo. Neste dia, celebramos o mistério terrível, escandaloso e paradoxal de Deus, que desce dentro do seio da morte. Na Sexta-feira Santa podíamos ainda olhar para o Transpassado. Hoje deparamo-nos com a solidão e o silêncio. Mesmo as igrejas testemunham uma ausência de Deus. Com efeito, os próprios discípulos de Jesus neste dia viveram o vazio opressor da solidão e da desilusão e se preparavam, cheios de angústia e vergonha, para voltar para Emaús (Cf. Lc 24,13-35).

 

DOMINGO DE PÁSCOA

Jesus vence o mundo
A vitória como transfiguração do mundo a partir dos filhos

Nasce um novo dia, dia que marcou profundamente a história dos discípulos de Cristo e que mudou o destino da humanidade. É o dia da vitória definitiva de Cristo! Hoje Cristo venceu o mundo, vencendo a morte que o assolava, recriando-o segundo os eternos desígnios do Pai.

Sim, Jesus Ressuscitado, nosso Esposo, Tu venceste o mundo, fora e dentro de nós! Não porque exterminaste toda forma de mal, mas porque assumiste sobre Ti todo mal que nos oprimia, percorreste até o mais recôndito e escuro ângulo da nossa alma, até os nossos sepulcros, anunciando o Teu Evangelho. Nós, então, experimentamos a força da Tua Ressurreição que, devolvendo-nos a comunhão com o Pai, renova-nos e faz com que possamos enxergar no mundo a potência e a providência de Deus. Neste mundo contemplamos os sinais da Tua obra de transfiguração: mesmo o mal concorre em bem maior para aqueles que foram ressuscitados Contigo. Nós, Tuas almas esposas, a quem Tu escolheste manifestar o Teu amor, queremos Contigo percorrer as estradas do mundo proclamando a Tua vitória.

 

Portal Kairós