25 de dezembro: Natal do Senhor

É Natal! O Verbo se fez carne e habitou entre nós. É o próprio Deus que se manifesta por meio do seu Filho, Jesus Cristo, a fim de nos envolver com a luz por ele emanada. De todas as luzes que brilham no Natal, Jesus é a principal, aquela que ilumina toda a nossa existência. Trata-se de luz que nunca se apaga nem se ofusca, porque é eterna e, presente no mundo, quer iluminar todo ser humano, concedendo-lhe uma nova vida, plena de justiça e de paz.

Embora Jesus seja a luz divina que brilha em nossa vida com toda a sua força, ainda são muitos os que se negam a aceitá-lo e acolhê-lo, insistindo em viver nas trevas do egoísmo, da injustiça e da indiferença. São pessoas e realidades que – insensíveis aos apelos do Senhor e na contramão do evangelho – promovem a cultura do ódio, da indiferença e da morte. O pior é que, muitas vezes, tais atitudes são justificadas com a própria Palavra de Deus, ou seja, traindo a verdade revelada. De fato, o que o Senhor nos oferece é um projeto de vida e de combate a todo tipo de mal que queira prevalecer e se impor sobre a luz da verdade.

Celebrar o Natal é, portanto, acolher o Verbo encarnado, que nos concede a graça de sermos chamados de filhos e filhas de Deus. E, como bons filhos, temos o compromisso de ouvir a voz do Pai, a fim de seguirmos sempre o caminho da luz da verdade, e não o caminho das trevas, que obscurecem e destroem a vida no mundo. Quando os filhos se dispõem a ouvir o conselho dos pais, a chance de errar em suas atitudes é mínima. Da mesma forma somos nós, cristãos, quando, atentos aos ensinamentos do Senhor, tomamos a decisão de compreender os desígnios que ele tem para nós sem nos distanciarmos da sua presença.

Que neste Natal, possamos renovar a luz de Cristo na nossa caminhada, de modo que sejamos sinais dessa luz, transformando as realidades de sombras com nosso testemunho de fé. Comprometidos com a Palavra de Deus, digamos ao mundo que cremos no Senhor da vida, que se fez homem para redimir e salvar a humanidade pecadora.

Santo e feliz Natal a todos!

 

Pe. José Erivaldo Dantas, ssp / Portal Kairós