O que os catequistas deveriam saber antes de começar na catequese?

01 – Você está sendo convidado para uma missão e não para uma simples tarefa que qualquer um executa. Encare a catequese como algo sério, comprometedor, útil. Suas palavras e suas ações como catequista terão efeito multiplicador se forem realizadas com ânimo e compromisso;

02 – Sorria ao encontrar seus catequizandos. Um catequista precisa sorrir mesmo quando tudo parece desabar. Execute sua tarefa com alegria e não encare os encontros de catequese como um fardo e ser carregado;

03 – Se no primeiro contratempo que aparecer você desistir, é melhor nem começar. A catequese, assim como qualquer outra atividade, apresenta situações difíceis. Mas que graça teria a missão de um catequista se tudo fosse muito fácil? Seja insistente e que sua teimosia lhe permita continuar nesta missão e não abandonar o barco na primeira situação adversa;

04 – Torne os pais de seus catequizandos aliados e não inimigos. Existem muitos pais que não querem nada com nada na catequese. Mas procure centrar o seu foco naqueles que estão empolgados, interessados e são participantes ativos. Não fiquem apenas reclamando as ausências. Vibre com as presenças daqueles que são compromissados com a catequese e interessados pela vida religiosa de seus filhos;

05 – Lembre-se sempre que você é um catequista da Igreja Católica. Por isso você precisa defender as doutrinas e os ensinamentos católicos. Alguns catequistas que se aventuram da tarefa da catequese, as vezes, por falta de preparo, acabam fazendo, nos encontros, um papel contrário aquilo que a Igreja prega sobre diversos assuntos. Isso é incoerência das maiores;

06 – Não esqueça da sua vida pessoal. Por ser catequista, a visibilidade é maior. Então cuide muito dos seus atos fora da Igreja. Não precisa ser um crente, mas é preciso falar uma coisa e agir da mesma forma. A incoerência nas ações de qualquer cristão, passa a ser um tiro no pé;

07 – Saiba que você faz parte de um grupo de catequistas e não é um ser isolado no mundo. Por isso, se esforce para participar das reuniões propostas pela equipe da sua catequese. Procure se atualizar dos assuntos discutidos e analisados nestas reuniões. Esta visão comunitária é essencial na catequese. Catequista que aceita a mudar catequese e acha que o seu trabalho é apenas com os encontros, está fora de uma realidade de vivência em grupo;

08 – Frequente a missa. Falamos tanto nisso nos encontros, reuniões e retiros de catequese e cobramos que os jovens e os pais não frequentam as celebrações no final de semana. O pior é que muitos catequistas também não vão à missa. Como exigir alguma coisa se não damos o exemplo?

09 – Seja receptivo com todos, acolhedor, interessado. Mas isso não significa ser flexível demais. Tenha regras de conduta, acompanhe a frequência de cada um de seus jovens, deixe claro que você possui comando. Fale alto, tenha postura corporal nos encontros, chegue no horário marcado, avise com antecedência quando precisar se ausentar, mantenha contato com os pais pelo menos uma vez por mês. Você é o catequista e, através de você, o reino de Deus está sendo divulgado. Por isso, você precisa não apenas “aparentar”, mas ser catequista por inteiro;

10 -Seja humilde para aprender. Troque ideias com os seus colegas catequistas. Peça ajuda se for necessário. Ouça as sugestões e nunca pense que você é o melhor catequista do mundo. Não privilegie ninguém e trate todos com igualdade. Somos apenas instrumentos nas mãos de Deus. É Ele quem opera quem nos conduz e, através de nós, evangeliza. Seja simples, humilde e ao mesmo tempo forte e guerreiro para desempenhar a sua missão.

Texto do livro “Paixão de Anunciar”
Alberto Meneguzzi / Portal Kairós

Precisamos aprender a viver a catequese da convivência

Todo aquele que cresce sem a catequese da convivência jamais estará apto para a vida em comunidade.
Acontece conosco que, de tanto usar determinadas palavras, não damos importância ao que elas realmente querem dizer.

“Bom dia!”
“Como vai?”
“Bem, graças a Deus!”

Nem sempre quem pergunta quer resposta, nem sempre quem responde está respondendo. Falamos, porque todo mundo fala isso quando se encontra. Mas será que pensamos o que essas frases, de fato, significam?

O que é catequese do “COM”?

Há uma mística profunda na preposição ‘com’, sem a qual o cristianismo seria uma religião só de fachada. É o ‘com’ que dá sentido ao cristianismo. Ex.: comum, comunidade, comungar, comunicar, companheiros, compaixão, condescendente, compreensão, Deus conosco, convivência entre outras.

Quem for ao dicionário olhar a raiz dessas palavras que começam com a preposição ‘com’ descobrirá o outro entrando em nossa vida ou nós entrando na vida dele, pois o significado supõe sempre a presença dos outros, aponta para a existência e a importância deles para nós. Só é sábio quem sabe conviver.

Os pais procuram pessoas para serem padrinhos e madrinhas de seus filhos, compadres e comadres dos pais, ou seja, pessoas que compartilham da educação da criança, ajudando a educá-las. Deus é Emanuel – EL – Deus; Manu – conosco. A essência da fé cristã está em crer que Deus pôs em comum, comunicou, veio ter conosco, porque tinha compaixão de nós.

Viver bem com as pessoas

A Trindade é uma comunhão de pessoas divinas. Nós confessamos, isto é, professamos juntos, comungamos do mesmo Pão, que é Jesus, e formamos comunidades de fé. Nossas Igrejas precisam ensinar a sabedoria da convivência, até porque nenhuma religião ensinará a viver sem a catequese do conviver. Afinal, foi de um ato comum e de um amor especial que ela nasceu.

Seus filhos não crescerão felizes se crescerem egoístas. Todo aquele que cresce sem a catequese do ‘com’ jamais estará apto para a vida comum ou para a democracia. Vai sempre “dar um jeitinho” de impor o seu jeito.

No início, havia o Verbo. O Verbo estava em e COM Deus.

 

Por Padre Zezinho, scj
Canção Nova / Portal Kairós

Conhecendo Deus – Dinâmica para a catequese

Objetivo

Promover momento de descontração e reflexão sobre a importância de conhecer Deus e Seu filho Jesus, sabendo que Ele nos ama e quer que amemos nossos irmãos

Material

* 01 cópia do texto(vejam no procedimento)
* 04 presentes (sugestão: 4 caixas vazias. Comprar uma caixa de bombom e colocar um pouco em cada caixa e embrulhar para presente) em cada caixa deve conter um bilhete escrito assim: ” Parabéns! Você foi o contemplado a conhecer Deus. Você sabe o que mais agrada a Deus? Ama-lo e amar os seus irmãos, por isso divida o presente que você ganhou com os irmão que ficaram sem.”

Procedimento

– Organizem os alunos em círculo.
– Entreguem quatro presentes a quatro pessoas, elas devem estar uma longe do outra.
– Falem: Será realizada a leitura de um texto. Toda vez que a palavra “direita” for falada, os quatro presentes devem ser movidos para a direita, isto é, a pessoa que está com o presente passa para a pessoa da direita. Se for a palavra “esquerda”, os presentes passam para a pessoa à esquerda.

Esta leitura, com movimentos dos presentes e ansiedade de saber quem serão os donos, trará dinamismo a leitura do texto sugerido.
– Enfatizem que no final da história quem estiver segurando o presente, será o dono dele.
– Comecem a leitura do texto:

Conhecendo Deus

Uma menina vivia muito triste e ninguém sabia o motivo. Certo dia, alguém perguntou-lhe o que havia acontecido e então a garotinha respondeu:
– Sou triste porque não conheço Deus.
Então lhe falou que a indicaria o caminho a Deus.

– Siga por esse caminho e vire a primeira rua a esquerda. Ali abrirá um campo verdinho a sua frente, siga pela esquerda em poucos passos avistará um rio a sua direita. Atravesse a ponte de madeira a direita e siga pela direita novamente. Se olhar pela direita haverá lindos pomares e a esquerda um curral cheio de boizinhos. Vire a direita entre as árvores. Caminhe sempre pela direita quando acabarem os pomares vire a direita novamente a sua frente haverá uma pequena cidade. Vire a esquerda após passar pela delegacia, depois vire direita e direita novamente, você verá um armazém a sua direita e uma loja de presentes a sua esquerda. Vire a direita após passar a loja de presentes a sua direita revelará uma linda igreja. Entre a igreja pela porta da direita e quando chegar próximo ao altar verá a sua direita uma portinha bem estreita a maçaneta esta do lado direito da porta. Ao atravessar a porta haverá um longo corredor, iluminado com algumas velas do lado direito. Siga em frente até avistar um clarão do lado direito. Entre nessa sala. Ali avistará um ancião.

A menininha fez todo esse trajeto, chegando lá quando entrou na salinha a sua direita um ancião de voz trêmula, que disse:
– Deus está aí dentro de você, do lado esquerdo do seu peito, dentro do coração.

Então a garota levou a sua mão direita ao seu peito esquerdo e deu um suave sorriso. Assim a garota nunca mais ficou triste e nas noites de véspera de natal geralmente faz uma oração a Deus, ao pé de sua cama que está simbolicamente representado por uma Bíblia numa mesa de cabeceira do lado direito de sua cama. Agradece a Deus, nesta oração, por ter tido a oportunidade de deixar Jesus nascer no seu coração.

– Em seguida, as pessoas que ficaram com os presentes deverão abri-los e e ler em silencio o bilhete dentro da caixa

 

Autoria do texto desconhecida
Ideia original desconhecida

Catequese Católica / Portal Kairós

Qual a importância da catequese para a fé das crianças, jovens e adultos?

Quando se fala em catequese, muitos pensam naquela que prepara as crianças para a Primeira Eucaristia ou a Crisma. Engana-se quem acha que catequese é o mesmo que “dar catecismo”, pois ela faz parte da ação evangelizadora da Igreja que envolve aqueles que aderem a Jesus Cristo. Catequese é o ensinamento essencial da fé, não apenas da doutrina, como também da vida, levando a uma consciente e ativa participação do mistério litúrgico e irradiando uma ação apostólica.

Doutrina Cristã

Segundo o documento de Puebla e a afirmação dos Bispos do Brasil, a catequese é um processo de educação da fé em comunidade, é dinâmica, é sistemática e permanente.
O Papa João Paulo II disse: “A catequese é uma educação da fé das crianças, dos jovens e dos adultos, a qual compreende especialmente um ensino da doutrina cristã, dado em geral de maneira orgânica e sistemática, com fim de iniciá-los na plenitude da vida cristã” (CT). Segundo o Novo Catecismo da Igreja Católica (1992), “no centro da catequese encontramos essencialmente uma Pessoa, a de Jesus Cristo de Nazaré, Filho único do Pai (…)”.

“A finalidade definitiva da catequese é levar à comunhão com Jesus Cristo: só Ele pode conduzir ao amor do Pai no Espírito e fazer-nos participar da vida da Santíssima Trindade. Todo catequista deveria poder aplicar a si mesmo a misteriosa Palavra de Jesus: ‘Minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou’ (Jo 7,16)” (NCIC, 426-427).

Proclamação da Palavra

Em sua origem, o termo “catequese” diz respeito à proclamação da Palavra. O termo se liga a um verbo que significa “Fazer”, “Ecoar” (gr. Kat-ekhéo). Assim, ela tem por objetivo último fazer escutar e repercutir a Palavra de Deus. A catequese faz parte da ação evangelizadora da Igreja, que envolve aqueles que aderem a Jesus Cristo. Catequese é o ensinamento essencial da fé, não apenas da doutrina como também da vida, levando a uma consciente e ativa participação do mistério litúrgico e irradiando uma ação apostólica.

Todo cristão que aceita Cristo por inteiro é o verdadeiro balizado; ele é responsável em anunciar a Palavra de Deus, a começar por si próprio e pela família. Para tanto, tem uma maturidade cristã de fé e de amor ao próximo e à Igreja.
A missão do catequista mais do que passar as regras, a doutrina, é promover entre a Pessoa de Jesus e o catequizando um encontro pessoal. A verdadeira catequese promove um encontro com Jesus.

Oração do Catequista

Concedei-me, Senhor, o dom da sabedoria que provém do vosso Santo Espírito. Dai-me o entendimento de vossa verdade para que eu possa vivê-la e comunicá-la a tantas pessoas que desejam conhecê-la. Iluminai-me com a luz da verdadeira fé, para que eu possa transmiti-la aos corações sedentos de autenticidade.Jesus, Mestre Divino, que formastes os apóstolos segundo os princípios do vosso Evangelho, conduzi-me sempre pelos caminhos de vossa verdadeira ciência.

Ajudai-me, Senhor, a assumir o compromisso de minha missão de catequista e fazei que eu me torne capaz de orientar muitos outros no caminho da verdadeira felicidade.

Que eu me deixe envolver profundamente pelo amor do Pai e possa comunicar esse amor aos meus irmãos e irmãs. Amém.
Minha bênção fraterna.

 

Padre Luizinho
Canção Nova / Portal Kairós

Você tem medo de enfrentar desafio? Confira a dinâmica

“Sou Eu! Não tenhais medo!

Confira a dinâmica católica:

Objetivo

Tem o objetivo de observar o quanto você tem medo de enfrentar desafios, uma vez que terá pressa de passar a caixa para o outro. A ideia dessa dinâmica é evidenciar que devemos ter coragem e enfrentar os desafios da vida para sermos bem sucedido.

Material

1 caixa de bombom enrolada em um papel para presente.

Como Fazer

O primeiro passo é: o responsável pela equipe deve reuni-la em uma sala, pedindo para que as pessoas fiquem em círculo. Fale aos participantes que na caixa há um desafio surpresa, que deve ser feito por quem estiver com ela nas mãos quando a música parar. Coloque uma música animada para tocar, e alguém de costas para desligar quando quiser.

Em seguida, comece a passar a caixa de mão em mão no círculo formado pela equipe. Ao desligar a música, o organizador faz um breve suspense e dá a alternativa, para que a pessoa que está com a caixa, possa passá-la para frente.
Faça perguntas como, por exemplo, ‘Está preparado?”, “Você vai ter que pagar um mico, sabia?”, “O que estiver aí, você vai ter que obedecer, quer abrir mesmo assim?”.

Repita este processo até que algum participante se prontifique a abrir a caixa, quando isso acontecer, ele vai encontrar o chocolate. A moral da história é que quando aceitamos um desafio, podemos encontrar surpresas agradáveis.

Quando somos batizados, somos chamados a evangelizar, não devemos ter medo dos desafios para cumprir nossa missão, pois Jesus está conosco e nos diz: “Sou Eu! Não tenhais medo!”

 

Catequese Católica / Portal Kairós