Padre Zezinho: A Imaculada sem mácula alguma

Eu tinha dez anos quando perguntei ao Frater André o que era “Imaculada!” Ele mostrou minha camisa de domingo, branca e sem mancha e disse: “Imagine a sua alma sem nódoa e sem mancha como esta camisa e imagine Nossa Senhora toda vestida de branco e a alma dela que nunca foi manchada”.

Minha mãe em casa acrescentou mostrando uma outra camisa com nódoa de manga. Estava lá com a marca que não saia.
Nunca esqueci aquela catequese. Maria nunca conheceu a mancha do pecado, em vista do Filho que teria. Pura como o Filho e por causa do Filho! Esta é Maria de Nazaré!

Há cristãos que não celebram isso. Eu celebro. Jesus nunca pode ser acusado de pecado, por ser o Filho que o Pai nos mandou.
Maria não pode ser comparada com qualquer mãe, que também é pura como muitas mães que vivem por seus amores: marido e filhos.
Mas Maria, segundo nós católicos, foi a mais pura das virgens e a mais pura das esposas e das mães.

A festa de 8 de Dezembro é nosso jeito de dizer: Isto mesmo: Nós temos mãe.
E Ela é a puríssima mãe do puríssimo Jesus.

Não é idolatria. É o reconhecimento de que Jesus nasceu da pessoa mais santa depois dele.
Por isso eu creio e celebro a festa da IMACULADA!

 

Oração a Nossa Senhora Imaculada Conceição

Conheça a devoção a Nossa Senhora Imaculada Conceição

Santa Maria, Rainha dos céus,
Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo,
Senhora do mundo, que a nenhum pecador desamparais nem desprezais;
Lançai sobre mim vosso olhar Imaculado
e alcançai-me de Vosso amado Filho o perdão de todos os meus pecados,
para que eu, que agora venero com devoção a Vossa santa e Imaculada Conceição,
mereça alcançar o prêmio da vida plena nos céus .
Por intermédio do vosso Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor,
que, com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina para sempre.
Amém.

 

Padre Zezinho, scj

O que o Padre Zezinho acha da CNBB e você?

Ao contrário do que muitos pensam, a CNBB é uma organização oficial da igreja católica.

Você que usa minha página do Facebook para dialogar já deve ter lido os que aprovam a CNBB e os que mostram seu descontentamento e até sua raiva contra os bispos do Brasil.

Se você é católico e continua querendo ser católico entenda que isto de ofender os bispos do Brasil nunca foi nem nunca será catolicismo. Quem os ataca, em geral vem do viés conservador e anticomunista. Então, qualquer coisa que os bispos dizem, se não for conservador será todo como marxista, comunista ou anticatólico.

Por outro lado, os esquerdistas juramentados também agridem a CNBB toda vez que ela não defende ideias da esquerda.

Não lhes ocorre que estes bispos falam baseados nas encíclicas sociais dos últimos 9 papas desde o Concilio Vaticano II. Então, estão atacando 9 papas desde Leão XIII que escreveram sobre nossa doutrina social que não é nem conservadora nem comunista.

O viés desses católicos que atacam a CNBB é político. E eu também faço e prego política católica. Não sou nem esquerdista nem direitista. Sou padre católico que defende os papas e as mais de 50 encíclicas sociais que eles escreveram.

Não poderia ser diferente a reação desses católicos direitistas ou esquerdistas contra a CNBB. Não querem doutrina católica. Querem uma CNBB ou direitista ou esquerdista, mas não querem a CNBB católica.

Estudo e escrevo e leio a doutrina católica há 50 anos e impressiona-me a agressão e o quase ódio de alguns católicos contra a CNBB.

Eles têm opinião e eu também tenho. Eles não têm medo de bater contra a CNBB e eu não tenho medo desses católicos políticos irados. Já faz tempo que decidiram ser mais direitistas ou esquerdistas do que católicos.

Os bispos falaram. Quem era a favor continua a favor e quem era contra vai continuar contra. Para eles, a questão não é a fé nem catequese: é sua visão política radical. Não querem diálogo. Não querem ouvir os bispos.

Alguns deixaram minha página me ofendendo. Outros continuam ofendendo nossos bispos até que eu os exclua. E outros aceitam o diálogo. Como a página é minha, minha opinião é a favor da CNBB e dos bispos do Brasil.

E assino em baixo disso!

 

Pe. Zezinho, scj
https://www.facebook.com/padrezezinhoscj/

Pe. Zezinho: romeiros de pés inchados

Romeiros de Aparecida, de Belém, Fátima, de Santiago de Compostela e de outros lugares de peregrinação ao redor do mundo, em geral terminam a peregrinação com os pés inchados e feridos.

Então, porque fazem isso? Em 85% a 90% dos casos, segundo enquete, caminham para agradecer por graça alcançada. Prometeram e agora cumprem. Acreditam que Jesus vê e que os santos a quem pediram intercessão junto a Jesus estão vendo.

Mas o mais bonito é que mais de 80% dos romeiros de pés inchados e joelhos esfolados fazem isso por pai, mãe, irmão, filhos e até por amigos. Os médicos não acharam a cura, mas Nossa Senhora ou o santo intercederam junto a Jesus e caminharam dois ou três dias, uma semana, 100 a 300 km para agradecer ou pedir.

Católico crê em prece solidária. Ora e se sacrifica pelo outro que não pode. Faz parte da nossa ascese e da nossa Teologia.

E como cremos que o céu está apinhado de Santos que já se salvaram, nada mais justo que peçamos que intercedam junto a Jesus por nós. Jesus leva a gente para o Pai onde faz trindade com o Espírito Santo. É a nossa ascende: amar como Jesus e levar um pedaço da Cruz dos outros. MARIA estava lá, aos pés da Cruz do Filho.

Cristão que não leva a própria Cruz e não carrega ao menos um pedaço da Cruz dos outros não entendeu Jesus. A recomendação foi dele.

Admiro romeiros de pés inchados e joelhos esfolados. Quando passam do limite os padres aconselham a levar a Cruz de outro jeito para que sua penitência não acabe num hospital. Mas que é bonito orar e ajudar os outros, isto é!

Romeiros saem de casa e caminham longe, mais para agradecer e pedir graças para os outros do que para si mesmos. E Deus vê tudo isso.

Fico em Aparecida onde me escondo e, de lá, vejo o povo católico orando mais pelos outros do que para si mesmos.

Entre eles há muita gente santa! É uma das minhas alegrias de padre e de católico!

A Catedral Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, também conhecida como Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, é um templo religioso católico localizado no município brasileiro de Aparecida, no interior do estado de São Paulo. É o maior templo católico do Brasil, segundo maior do mundo, menor apenas que a Basílica de São Pedro no Vaticano.

Romarias de súplica e de gratidão!

No grande dia dos 300 anos do resgate da imagem com sinais de que não foi por acaso, penso nos romeiros que caminham para os santuários de Aparecida e de Belém do Pará.

E minha experiência com eles é que caminham para suplicar a intercessão de Maria junto ao seu Filho Jesus. E caminham para agradecer as graças recebidas. E a maioria ora mais pelos outros do que por si mesma.

É uma das catequeses mais sólidas da nossa Igreja. Orar mais pelos outros do que em proveito de si mesmo.

Gosto desses romeiros. Tudo termina no sacrário porque 99% são corações solidários!

 

Pe. Zezinho, scj

Meu grande louvor e amor a Maria

Sei que alguns ateus e até cristãos de outras correntes de fé, põem objeções a nosso culto à mãe Jesus.

E não faço parte dos que desmerecem um ateu ou um evangélico que estudou a Bíblia e conhece a História do Cristianismo.

Eu também li e estudei centenas de livros e até me deram um título de doutor. Uma grande universidade, a PUC de Curitiba, achou que sei o bastante para defender a teologia que prego.

E na teologia que prego por escrito e por canções, MARIA, a mãe de Jesus está viva e está no céu junto ao seu Filho.

Seria um fracasso um cristão duvidar que Jesus não está no céu e não nos ame!

E seria estranho demais se, depois de 2 mil anos, Jesus ainda não tivesse levado sua mãe para o céu.

Mais estranho ainda se bispos, padres e pastores e pregadores da Bíblia pudessem interceder pelos fiéis pedindo curas a Jesus; e a mãe de Jesus não pudesse, porque ela está morta e não pode fazer nada pelos cristãos de agora. Eu penso diferente! .

Eu creio que Jesus levou bilhões de almas para o céu porque “ o sangue de Jesus tem poder”. E o céu está repleto de Santos que Jesus salvou. E a mãe dele está lá ao lado dele, como esteve sempre ao seu lado, desde Belém até à Cruz.

E é por isso que não adoro Maria, porque ela não é deusa.

Mas também é exatamente por isso que eu a venero porque, depois de Jesus nenhuma pessoa foi mais privilegiada do que a mulher que o gerou e viveu com ele até seu último instante neste mundo.

Eu sou padre e, se eu posso abençoar quem me pede uma bênção, tenho certeza de que a oração da mãe de Jesus vale mais do que as minhas pobres preces.

Jesus tem o poder. Mas nós temos o pedir. E o pedir de Maria é mais profundo porque vem com o conhecimento que ela teve e tem sobre Jesus.

Entre a sabedoria dos doutores laureados em teologia em tantas igrejas e a sabedoria de Maria, eu fico com a sabedoria dela. Para mim, Maria está viva e no céu. Para mim ela não está dormindo o sono de quem espera o soar da última trombeta. Jesus já disse que viria buscar os seus discípulos. É só conferir outras passagens da Bíblia! Jesus realmente salva!

Se alguém pensa diferente será respeitado. Mas, sendo padre católico que estudou Bíblia e HISTÓRIA DO CRISTIANISMO, esta é a minha convicção.

Não adoro Maria. Ela não é minha salvadora. Quem salva é Jesus. Mas o filho dela chamou Deus de MEU PAI e VOSSO PAI. E ele a chamou de Senhora e de Mãe e a confiou aos cuidados de João, o mais jovem dos apóstolos. Sinal de que Jesus não teve outros irmãos.

Mas creio que ela nos adotou e nós a vemos como nossa mãe.

É isso que prego e é isto que me leva a fazer centenas de páginas e centenas de canções para homenageá-la.

Isto! Eu amo a mãe de Jesus. E proclamo: “Quem está perto de Maria, nunca está longe de Jesus “. Até porque ela nunca ficou longe dele, nem aqui nem lá no céu! E creio que é para lá que um dia iremos!

E quando chegar a minha hora, espero ver os dois na glória eterna, como eles estão agora!

Dois tipos de evangélicos

Recebi no meu Facebook e em outras páginas que escrevo, muitas mensagens de amizade e de orações conosco, católicos, pela nossa alegria de nestes 300 anos festejarmos nosso amor por Maria. Eles sabem que não adoramos Maria porque eles também amam a mãe de Jesus, embora a cultuem da outra maneira.

Mas também recebi muitas agressões dizendo que sou um padre herege e inimigo de Jesus e ignorante de Bíblia.

Um deles enviou quase cem textos contra mim e nossa Igreja. Ele é agressivo e desafiador. E está na minha página que ele invadiu e deu um jeito de permanecer me provocando.

Sabem o que faço? Respondo a tudo dizendo a mesma coisa:

“Severino, você está na minha página. Eu não invadi a sua. Se quer debate procure outro evangélico como vc. Sou obrigado a deletar você porque você não quer diálogo. Quer provar que é sabe mais Bíblia do que eu! Procure seu pastor. Não invado o púlpito do seu pastor e você não invada o meu! ”

 

Pe. Zezinho, scj

Por que alguns “artistas” estão contra a família?

O Problema com estes “artistas” performers intocáveis é que sabem atacar e se defender, mas não aceitam que erram. Para eles errado é a Igreja, são as igrejas. Eles encaram sua performance como arte sagrada, mas desprezam nossa arte sacra! Até urinam e cospem na nossa arte!

Eles garantem que conhecem arte, mas os cristãos só sabem religião. A arte deles é uma religião, mas a nossa religião é coisa ultrapassada enquanto a arte deles é de vanguarda.

A arte avançada deles não tem defeito, mas a nossa tem porque nossa cultura não bate com a deles. Alguns deles nos mandam estudar arte antes de critica-los. Só esquecem que nos também estudamos ética, estética e história e sociologia. E também nós somos críticos de artes como eles são críticos da religião.

Eles são cultos e nós também somos. Elas sabem o que criticam em nós e nós sabemos o que criticamos neles.
Arte e Ética costumam andar juntas. Mas quando a ética falha a arte deve ser criticada e quando religião falha a religião deve ser criticada.
A diferença é que aceitamos críticas e estes performers raramente admitem que exageraram! Pela rede eles raramente aceitam que passaram do limite. Sua arte está acima de qualquer crítica. E é aí que ela deixa de ser arte!

A família

ELES, que discordam de nós, proclamarão até o fim que há novos conceitos de família.
Nós que discordamos deles, proclamaremos até o fim, que família é homem + mulher + filhos.
E não precisamos nos agredir por causa de nossas discordâncias, a menos que um dos lados queira impor seus conceitos no outro lado! Um não calará a voz do outro!

E se aprendermos a nos respeitar será bom para a sociedade. Jamais concordaremos nesse assunto, mas palavrão, apelidos, ódio e agressão não nos levarão a lugar nenhum!

Esta birra burra de “esquerda x direita” leva tudo para uma birra política. Moral e ética vão além dos partidos e da ideologia!
Certo e errado vai além de ser esquerda ou direita. Nossa Constituição protege os pais e os filhos. Se os pais não querem, o direito de educar seus próprios filhos é deles. E se os pais falham, há juízes para proteger uma criança! Mas não se deve expor uma criança a tal tipo de hapening ou exposição!

Palavras do Papa

Vejam o que o Papa João XXIII dizia em 1962 abrindo o Concílio Vaticano II. Parece que foi hoje!

Observem a data do texto

“De fato, vemos como de uma época para outra as incertas opiniões dos homens se contradizem mutuamente e muitas vezes os erros se dissipam logo ao nascer como a névoa ao raiar o sol.

Sempre a Igreja se opôs a estes erros, muitas vezes até os condenou com severidade.
Nos nossos dias, porém, a Esposa de Cristo prefere usar a medicina da misericórdia, em vez de recorrer às armas do rigor; ela pensa que é melhor ir ao encontro das necessidades atuais mostrando a validez da sua doutrina do que recorrendo às condenações.

Não é porque faltem doutrinas falsas, opiniões e ideias perigosas, contra as quais nós devemos precaver e opor, mas porque todas estas coisas estão tão abertamente em contradição com os retos princípios da honestidade e produziram frutos tão perniciosos que hoje os homens parecem espontaneamente inclinados a reprová-las, sobretudo aquelas formas de viver que ignoram a Deus e a sua lei, a confiança excessiva nos progressos da técnica e o bem-estar fundado exclusivamente na comodidade da vida.”

*Das alocuções de São João XXIII, papa (Abertura solene do Concílio Ecumênico Vaticano II, 11 de Outubro de 1962)

Minha posição em relação ao Brasil

De um lado: católicos de esquerda. Do outro, católicos de direita. E eu sou classificados como católico em cima do muro (risos). Só porque querem. E os três lados sabem defender seus argumentos. Os três lados adoram pichar os outros.

Sou amigo de alguns católicos radicais de esquerda. Não muito amigo dos da direita. É meu direito de tomar posição. Mas reconheço que há doutores dos dois lados e não se sai por aqui pichando os doutores da esquerda ou os doutores da direita.

Leio as encíclicas dos últimos 60 anos e para mim está claro que a Igreja optou pelos mais pobres. Mas não sou tão radical como alguns doutores da USP ou da PUC. Talvez porque eu não seja tão culto como eles. É o que dizem!

Mas o artigo do Dr. Fernando Altemeyer de quem creio ser amigo, mostrou uma posição bem radical. Ele é muito culto e inteligente e vou querer conversar com ele.

Vou ouvir o que ele tem a dizer além do que escreveu batendo de frente com Aparecida e vou querer mostrar meu ponto de vista. Afinal sempre dialogamos. Ele é bom de teologia e de sociologia e eu acho que sou bom de comunicação e de catequese.

Ele costuma dizer o que pensa e eu também. Quanto aos que me situam em cima do muro, cada dia me convenço mais que é preciso muito equilíbrio para situar-se entre os católicos radicais da esquerda ou da direita.

Além do que aos 76 anos de vida e 51 de sacerdócio, alguma coisa eu li e sei para assumir as posições que assumo. Bom para ele, bom para mim. Bom para nossa Igreja!

Finalizando

Sou padre católico e quando me perguntam sobre o que acho politicamente correto respondo que me direciono pelo que é catolicamente correto!

 

Pe. Zezinho, scj
https://www.facebook.com/padrezezinhoscj/