Primeiro material de formação sobre a Campanha da Fraternidade 2018

No Brasil, os homicídios dolosos são uma triste realidade: 56.000 pessoas são assassinadas todos os anos no País, o que equivale a 29 vítimas por 100.000 habitantes.

Com o tema, lema e objetivos da Campanha da Fraternidade 2018 definidos, podemos começar os nossos estudos.

O grande desafio daqui pra frente não é somente saber conteúdos, posto que esses estão disponíveis na Internet, mas quais informações são importantes e relevantes para o seu crescimento e da comunidade, como essas informações vão mudar o modo de ver o mundo e de fazer as pessoas crescerem espiritualmente.

A sociedade do conhecimento inaugurou uma nova era. Participe de redes sociais, se inscreva, interaja mais, colabore com o que você sabe e pergunte mais, procure saber, trocar ideias e informações. Não basta ter acesso ao dicionário gigante de informações é preciso que ele faça sentido a todos nós e o laboratório de troca de experiências são as redes sociais. E tenha um filtro para as chamadas “Fake News” (notícias e artigos falsos), não compartilhe sem saber a fonte e a veracidade dos fatos.

Acompanhe aqui no Portal Kairós todos os materiais e notícias da Campanha do ano que vem.


Baixe o primeiro material de formação e estudo sobre a CF 2018 – 155 páginas:


Objetivo geral:
“Construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência.

Objetivos específicos:
01 – Anunciar a Boa Nova da fraternidade e da paz, estimulando ações concretas que expressem a conversão e a reconciliação no espírito quaresmal.

02 – Analisar as múltiplas formas de violência, considerando suas causas e consequências na sociedade brasileira, especialmente as provocadas pelo tráfico de drogas;

03 – Identificar o alcance da violência nas realidades urbana e rural de nosso país, propondo caminhos de superação a partir do diálogo, da misericórdia e da justiça em sintonia com o Ensino Social da Igreja.

04 – Valorizar a família e a escola como espaços de convivência fraterna, de educação para a paz e de testemunho do amor e do perdão.

05 – Identificar, acompanhar e reivindicar políticas públicas de superação da desigualdade social e da violência.

06 – Estimular as comunidades cristãs, pastorais, associações religiosas e movimentos eclesiais ao compromisso com ações que levem à superação da violência.

07 – Apoiar os centros de direitos humanos, comissões de justiça e paz, conselhos paritários de direitos e organizações da sociedade civil que trabalham para a superação da violência.

 

Portal Kairós