Citações da sagrada escritura para trabalhar a CF 2020

Citações da sagrada escritura para trabalhar a CF 2020

Gn 1,2-15; 2,1-25: Criação do mundo e do homem.
Jó 42, 3: A criação está repleta de maravilhas que ultrapassa o conhecimento.
Dn 3, 57: A simples existência de cada ser é sinal da grandeza e convite a louvar a Deus.
Sl 8: Contemplar a grandeza das mãos de Deus.
Sl 23: A Ele pertence a terra e o que ela encerra.
Jó 5, 25; Sl 36,37; Gn 33,22: Somente Deus concede vida e posteridade.
Jó 2,4: Para salvar a vida, o homem dá tudo que tem.
Jo 15,13: Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a própria vida por seus amigos.
Sl 36,10: Pois em ti está a fonte da vida, e na tua luz veremos a luz.
Ez 18,23; Jr 21,8; Mt 7,13-14: O mandamento de Deus é caminho de vida.
Ecle 11,5: Deus é o autor soberano da vida.
Mt 22,37-39: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
Hb 05,01-10: Acima de tudo Jesus continua fiel e obediente a vontade do Pai.
Ap 01,18: O Pai o liberta das consequências da morte.
Ap 21,04: Toda humanidade e a criação são chamados à participar desse mesmo processo de morte e ressureição.
1Cor 4,10: Trazemos em nós o sinal da vida e da morte de Cristo.
Rm 05,12-15: O inimigo pode destruir a vida nova em Cristo e a vida plena trazida por Cristo.
Mc 10,17-30: Somente Ele pode responder a pergunta do que se deve fazer para ganhar a vida eterna.
Lc 10,25-37: Proximidade e auxílio aos que sofrem.
At: Dimensão social do cuidado com os mais frágeis.
1Cor: Hino sobre a caridade.
Tg; 1Pd: O chamado a atenção dos mais frágeis que estão próximo.

Magistério

– Patrística: Ireneu de Leão “A glória de Deus é o homem vivo e a vida do homem é o olhar de Deus: A compreensão de Deus aprofunda a dignidade do homem.”
– Exemplos de vida de santos: São Maximiliano Kolbe, Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce.
–  Carta Encíclica Evangelium Vitae – Papa João Paulo II

– Oração do Papa João Paulo II no final da Carta Encíclica Evangelium Vitae:

Ó Maria,
aurora do mundo novo,
Mãe dos viventes,
confiamo-Vos a causa da vida:
olhai, Mãe,
para o número sem fim
de crianças a quem é impedido nascer,
de pobres para quem se torna difícil viver,
de homens e mulheres
vítimas de inumana violência,
de idosos e doentes assassinados
pela indiferença
ou por uma presunta compaixão.
Fazei com que todos aqueles que crêem
no vosso Filho
saibam anunciar com desassombro e amor
aos homens do nosso tempo
o Evangelho da vida.
Alcançai-lhes a graça de o acolher
como um dom sempre novo,
a alegria de o celebrar com gratidão
em toda a sua existência,
e a coragem para o testemunhar
com laboriosa tenacidade,
para construírem,
juntamente com todos os homens
de boa vontade,
a civilização da verdade e do amor,
para louvor e glória de Deus Criador
e amante da vida igreja.

 

CNBB / Portal Kairós

Objetivos da Campanha da Fraternidade de 2020

A Campanha da Fraternidade tem hoje os seguintes objetivos permanentes

01 – Despertar o espírito comunitário e cristão no povo de Deus, comprometendo, em particular, os cristãos na busca do bem comum;
02 – Educar para a vida em fraternidade, a partir da justiça e do amor, exigência central do Evangelho;
03 – Renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação da Igreja na evangelização, na promoção humana, em vista de uma sociedade justa e solidária (todos devem evangelizar e todos devem sustentar a ação evangelizadora e libertadora da Igreja).

A coleta da Campanha realizada como um dos gestos concretos de conversão quaresmal tem realizado um bem imenso no cuidado para com os pobres.

Ao percorrermos o itinerário da Campanha que nossos irmãos nos prepararam, possamos continuar seguindo Cristo, caminho, verdade e vida (Cf. Jo 14,6).

Objetivos da Campanha da Fraternidade de 2020

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2020
Tema: Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso
Lema: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (cf. Lc 10,33-34,8)

Objetivo Geral

Despertar para o sentido da vida como dom e compromisso, recriando relações fecundas
na família, na comunidade e na sociedade, à luz da palavra de Deus.

Objetivos específicos

01 – Apresentar o sentido da vida proposta por Jesus nos Evangelhos;
02 – Despertar as famílias para a beleza do amor que gera continuamente vida nova;
03 – Preparar os cristãos e as comunidades para anunciarem a vida plena, a vida do Reino;
04 – Criar espaços nas comunidades para que todos se sintam parte da vida recebida no batismo e o dom do Espírito Santo na Crisma;
05 – Despertar os jovens para o dom e beleza da vida;
06 – Propor a ética como fundamento das relações sociais;
07 – Suscitar cristãos católicos comprometidos como testemunho concreto da fé

 

CNBB / Portal Kairós

Lançado o concurso da letra do hino da CF 2020

Na sexta-feira, 07 de junho de 2019, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) lançou o edital para o concurso da letra do hino da CF 2020 (Campanha da Fraternidade 2020). Por decisão dos bispos do Conselho Episcopal de Pastoral, o Consep, o concurso será realizado em dois editais: um para a letra do hino, e outro, posteriormente, em data ainda não definida, para a música.

Com o tema “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (cf. Lc 10,33-34), a Campanha da Fraternidade 2020 tem como objetivo despertar para o sentido da vida como dom e compromisso, recriando relações fecundas na família, na comunidade e na sociedade, à luz da palavra de Deus.

Neste sentido, o edital para a letra do hino da CF 2020 traz algumas características que devem ser observadas pelos compositores. A letra do hino deverá traduzir em linguagem poética os conteúdos do tema, lema, objetivos evitando explicitações desnecessárias, moralismos ou chavões. Além disso, deve buscar inspiração na Sagrada Escritura e no Magistério da Igreja.

A força do texto deverá reavivar a esperança, a criatividade, o compromisso cristão. O compositor deve observar também o uso do emprego da função da linguagem mais adequada ao momento litúrgico: evocativa, exortativa, invocativa, narrativo-descritiva, experiencial, penitencial, informativa, laudativa, votiva, reflexivo-meditativa.

Em relação aos critérios para a análise da qualidade literária do texto, tratando-se de forma poética, serão observados em especial, o emprego da função da linguagem mais adequada ao momento litúrgico: evocativa, exortativa, invocativa, narrativo-descritiva, experiencial, penitencial, informativa, laudativa, votiva, reflexivo-meditativa.  As qualidades do estilo, em especial quanto aos princípios a correção, da originalidade e da harmonia também serão levados em consideração.

O prazo

As composições deverão ser enviadas à CNBB até o dia 21 de junho de 2019, VIA SEDEX, trazendo apenas o pseudônimo (nome de fantasia) do (a) autor (a), no remetente. Dentro da correspondência, em um envelope fechado, deve ter o nome verdadeiro do (a) compositor (a), junto com o termo de Cessão de Direitos Autorais (Cf. ANEXO I), preenchido e assinado, no endereço mencionado no edital.

Baixe o edital completo

Confira abaixo o edital

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL
CONCURSO PARA A LETRA DO HINO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE – 2020

Brasília-DF, 06 de junho de 2019 – LIT – C-N°.0231/19

Prezado(a) compositor(a),
Com alegria e expectativa, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, está lançando o Concurso para a Letra do Hino da Campanha da Fraternidade de 2020. Por decisão dos bispos do Conselho Episcopal de Pastoral (CONSEP), o concurso será realizado em dois editais: um para a letra do Hino, e outro, posteriormente, em data ainda não definida, para a música.

Tema e lema da CF 2020
Tema: Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso
Lema:“Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (cf. Lc 10,33-34)

01 – Características da letra do hino

– Traduza em linguagem poética os conteúdos do tema, lema, objetivos (conferir ANEXO II) evitando explicitações desnecessárias, moralismos ou chavões;

– Buscar inspiração em: Sagrada Escritura e Magistério da Igreja, conforme Anexo II;

– Apresente um caráter convocativo: Os fiéis serão convocados para a adesão ao que se propõe a Campanha da Fraternidade. É Deus quem convoca sua Igreja, seu povo, para este engajamento concreto da fé;

– Um embasamento bíblico: A referência bíblica é fundamental, pois ela orienta a vida e a história do povo, e confere sólidos fundamentos para o texto poético;

– A coerência entre fé e vida: Contemplar a unidade fundamental entre fé e vida, evitando intimismos ou sentimentalismos exagerados;

– A esperança de um mundo novo, “um novo céu e uma nova terra … ” (cf. Ap 21,1-7). A força do texto deverá reavivar a esperança, a criatividade, o compromisso cristão. Uma mensagem que ajudará o povo de Deus a pôr-se em marcha;

– Tenha em todas as estrofes o mesmo número de sílabas e de acentos, ou seja, uma métrica regular e fluente;

– Tenha alguma forma de rima, embora possam ser usados versos livres. Contudo, a rima, quando bem utilizada, facilita a execução e a memorização do canto.

02 – Critérios para a análise da qualidade literária do texto

Tratando-se de forma poética, serão observados, em especial, os seguintes critérios:

– Emprego da função da linguagem mais adequada ao momento litúrgico: evocativa, exortativa, invocativa, narrativo-descritiva, experiencial, penitencial, informativa, laudativa, votiva, reflexivo-meditativa.

– As qualidades do estilo, em especial quanto aos princípios da correção, da originalidade e da harmonia

– Expressividade poética mediante o emprego pertinente de figuras de linguagem (a exemplo de textos bíblicos poéticos, observar o melhor emprego de metáforas e comparações);

– O desenvolvimento do texto quanto ao ordenamento das ideias. (início, meio e fim);

– Recomenda-se a leitura do subsídio técnico: “Canto e música litúrgica pós Concílio Vaticano II: Princípios teológicos, litúrgicos, pastorais e estéticos”.

03 – Prazo

As composições deverão ser enviadas à CNBB até o dia 21 de junho de 2019, VIA SEDEX, trazendo apenas o pseudônimo (nome de fantasia) do(a) autor(a), no remetente.

Dentro da correspondência, num envelope fechado, estejam o nome verdadeiro do(a) compositor(a), junto com o termo de Cessão de Direitos Autorais (Cf. ANEXO I), preenchido e assinado, para o seguinte endereço:

CNBB (Setor Música Litúrgica) SE/Sul, Q. 801, Conj. “B” 70200-014 -BRASÍLIA -DF

Dom Joel Portella Amado
Bispo Auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro -RJ
Secretário-Geral da CNBB

Dom Edmar Peron
Bispo de Paranaguá –PR
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia

Ir. Fernando Benedito Vieira, SJ
Assessor da CNBB para Música Litúrgica

 

CNBB / Portal Kairós

CF 2019: Mensagem do Papa Francisco ao povo brasileiro

Papa: “Os cristãos devem buscar uma participação mais ativa na sociedade como forma concreta de amor ao próximo, que permita a construção de uma cultura fraterna baseada no direito e na justiça”

Como já é tradição, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) abre oficialmente nesta quarta-feira de Cinzas, (06/03), a Campanha da Fraternidade (CF). Neste ano de 2019 o tema é “Fraternidade e Políticas Públicas” e o lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27).

Nesta Campanha, que se desenvolve mais intensamente no período da Quaresma, a Igreja Católica busca chamar a atenção dos cristãos para o tema das políticas públicas, ações e programas desenvolvidos pelo Estado para garantir e colocar em prática direitos que são previstos na Constituição Federal e em outras leis.

Igreja quer estimular a participação em políticas públicas

Nesta CF 2019, a Igreja no Brasil pretende estimular a participação dos cristãos em políticas públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais da fraternidade. O texto-base da campanha descreve, entre outros tópicos, sobre o ciclo e etapas de uma política pública e faz a distinção entre as políticas de governo e as políticas de Estado, bem como apresenta os canais de participação social, como os conselhos previstos na Constituição Federal de 1988.

Todos os anos, a CNBB apresenta a CF como caminho de conversão quaresmal. É uma atividade ampla de evangelização que pretende ajudar os cristãos e pessoas de boa vontade a vivenciarem a fraternidade em compromissos concretos, provocando, ao mesmo tempo, a renovação da vida da Igreja e a transformação da sociedade, a partir de temas específicos. Em 2019, a Conferência convida todos a percorrer o caminho da participação na formulação, avaliação e controle social das políticas públicas em todos os níveis como forma de melhorar a qualidade dos serviços prestados ao povo brasileiro.

Mensagem do Papa Francisco

O Papa Francisco também este ano enviou uma mensagem por ocasião da abertura da Campanha da Fraternidade. Eis a íntegra da mensagem do Santo Padre:

Queridos irmãos e irmãs do Brasil!

“Com o início da Quaresma, somos convidados a preparar-nos, através das práticas penitenciais do jejum, da esmola e da oração, para a celebração da vitória do Senhor Jesus sobre o pecado e a morte. Para inspirar, iluminar e integrar tais práticas como componentes de um caminho pessoal e comunitário em direção à Páscoa de Cristo, a Campanha da Fraternidade propõe aos cristãos brasileiros o horizonte das “políticas públicas”.

Muito embora aquilo que se entende por política pública seja primordialmente uma responsabilidade do Estado cuja finalidade é garantir o bem comum dos cidadãos, todas as pessoas e instituições devem se sentir protagonistas das iniciativas e ações que promovam «o conjunto das condições de vida social que permitem aos indivíduos, famílias e associações alcançar mais plena e facilmente a própria perfeição» (Gaudium et spes, 74).

Cientes disso, os cristãos – inspirados pelo lema desta Campanha da Fraternidade «Serás libertado pelo direito e pela justiça» (Is 1,28) e seguindo o exemplo do divino Mestre que “não veio para ser servido, mas para servir” (Mt 20,28) – devem buscar uma participação mais ativa na sociedade como forma concreta de amor ao próximo, que permita a construção de uma cultura fraterna baseada no direito e na justiça. De fato, como lembra o Documento de Aparecida, «são os leigos de nosso continente, conscientes de sua chamada à santidade em virtude de sua vocação batismal, os que têm de atuar à maneira de um fermento na massa para construir uma cidade temporal que esteja de acordo com o projeto de Deus» (n. 505).

De modo especial, àqueles que se dedicam formalmente à política – à que os Pontífices, a partir de Pio XII, se referiram como uma «nobre forma de caridade» (cf. Papa Francisco, Mensagem ao Congresso organizado pela CAL-CELAM, 1/XII/2017) – requer-se que vivam «com paixão o seu serviço aos povos, vibrando com as fibras íntimas do seu etos e da sua cultura, solidários com os seus sofrimentos e esperanças; políticos que anteponham o bem comum aos seus interesses privados, que não se deixem intimidar pelos grandes poderes financeiros e mediáticos, sendo competentes e pacientes face a problemas complexos, sendo abertos a ouvir e a aprender no diálogo democrático, conjugando a busca da justiça com a misericórdia e a reconciliação» (ibid.).

Refletindo e rezando as políticas públicas com a graça do Espírito Santo, faço votos, queridos irmãos e irmãs, que o caminho quaresmal deste ano, à luz das propostas da Campanha da Fraternidade, ajude todos os cristãos a terem os olhos e o coração abertos para que possam ver nos irmãos mais necessitados a “carne de Cristo” que espera «ser reconhecido, tocado e assistido cuidadosamente por nós» (Bula Misericórdia vultus, 15). Assim a força renovadora e transformadora da Ressurreição poderá alcançar a todos fazendo do Brasil uma nação mais fraterna e justa. E para lhes confirmar nesses propósitos, confiados na intercessão de Nossa Senhora Aparecida, de coração envio a todos e cada um a Bênção Apostólica, pedindo que nunca deixem de rezar por mim.”

Vaticano, 11 de fevereiro de 2019.

[Franciscus PP.]

 

Vatican News / Portal Kairós

Assista a abertura da Campanha da Fraternidade 2019

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) abre oficialmente na quarta-feira de cinzas, 6/3, a Campanha da Fraternidade (CF) 2019 com o tema “Fraternidade e Políticas Públicas” e o lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27). O lançamento acontecerá na sede provisória da entidade em Brasília (DF).

Nesta Campanha, a ser desenvolvida mais intensamente no período da Quaresma, a Igreja Católica buscará chamar a atenção dos cristãos para o tema das políticas públicas, ações e programas desenvolvidos pelo Estado para garantir e colocar em prática direitos que são previstos na Constituição Federal e em outras leis. Além disso, a

Nesta CF 2019, a Igreja no Brasil pretende estimular a participação dos cristãos em políticas públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais da fraternidade. O texto-base da campanha, que será distribuído aos jornalistas na abertura, descreve, entre outros tópicos, sobre o ciclo e etapas de uma política pública e faz a distinção entre as políticas de governo e as políticas de Estado, bem como apresenta os canais de participação social, como os conselhos previstos na Constituição Federal de 1988.

Todos os anos, a CNBB apresenta a CF como caminho de conversão quaresmal. É uma atividade ampla de evangelização que pretende ajudar os cristãos e pessoas de boa vontade a vivenciarem a fraternidade em compromissos concretos, provocando, ao mesmo tempo, a renovação da vida da Igreja e a transformação da sociedade, a partir de temas específicos. Em 2019, a Conferência convida todos a percorrer o caminho da participação na formulação, avaliação e controle social das políticas públicas em todos os níveis como forma de melhorar a qualidade dos serviços prestados ao povo brasileiro.

(Paróquia São João Batista – Ribeirão Preto) A Campanha já começou em várias paróquias pelo Brasil

SERVIÇO

Lançamento Campanha da Fraternidade 2019
Presenças: Cardeal Sergio da Rocha, presidente da CNBB; dom Leonardo Steiner, secretário-geral da CNBB; Raquel Dodge, procuradora-geral da República; Vânia Lúcia Ferreira Leite, membro da Pastoral da Criança e do Conselho Nacional de Saúde; Gilberto Vieira dos Santos, secretário adjunto do Conselho Indigenista Missionário; e doutor Geniberto Paiva Campos, médico cardiologista.
Data: 6 de março – Hora: 10h
Local: Sede provisória da CNBB – SGAN 905, Bloco C – ASA NORTE – Brasília-DF – Indicação: Em frente ao autódromo (kart Ferrari), ao lado do Colégio Militar.
Contatos: Assessoria de Imprensa: Padre Rafael Vieira – Assessor de Imprensa. Jornalistas: Bruno Feittosa, Larissa Carvalho, Luiz Lopes e Willian Bonfim.
Fone: 061 2103 8300
E-mail: imprensa@cnbb.org.br

TRANSMISSÃO

O lançamento será transmitido ao vivo pela Rede Vida de Televisão, Rede Nazaré de Televisão e Rede Século 21. Na TV Horizonte os telespectadores poderão acompanhar a solenidade às 22h; na TV Imaculada às 18h45 e na TV Evangelizar às 13h.

 

CNBB / Portal Kairós