Posts

Bispos avaliam positivamente a Campanha da Fraternidade 2022

A avaliação da Campanha da Fraternidade 2022 é positiva, a partir das partilhas realizadas na manhã desta quarta-feira, terceiro dia da etapa virtual da 59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (AGCNBB). Após breve relato do secretário executivo de Campanhas da CNBB, padre Patriky Samuel Batista, os bispos reagiram com partilhas e elogios à ressonância do tema trabalhado neste ano.

Segundo o padre Patriky, a CF 2022, cujo tema é “Fraternidade e Educação”, teve uma acolhida “positiva e significativa” e “ajudou a potencializar o Pacto Educativo Global”, proposto há três anos pelo Papa Francisco. Em todo o país, há várias iniciativas programadas para realização nos próximos meses. O lema, “Fala com sabedoria, ensina com amor”, foi “de singular beleza”. Nas reações, unanimidade na avaliação positiva da proposta. O bispo de Campos (RJ), dom Roberto Francisco Ferrería Paz, elogiou a ressonância da CF 2022 e disse que esta edição “apontou caminhos de esperança”.

O arcebispo de Santa Maria (RS), dom Leomar Antônio Brustolin, partilhou sobre a abertura da CF numa escola localizada na periferia da região com o envolvimento de diversas autoridades. Ele destacou que a CF 2022 “resgata um dos valores mais importantes que são as questões sociais mais profundas que temos que enfrentar”. O bispo de Guarapuava (PR), dom Amilton Manoel, destacou “a profundidade, a grandeza e o impacto” que o tema da CF causou em todos os setores de sua diocese, chegando às escolas, universidades e na casa legislativa municipal.

Pacto Educativo Global

O arcebispo também sublinhou a relação com o Pacto Educativo Global, que tem sido bandeira para iniciar processos em vista de uma educação transformadora.

Outros bispos também destacaram a relação com o Pacto. Dom Vital Corbellini, bispo de Marabá (PA), lembrou da aldeia educativa que precisa estar empenhada para realizar a educação integral motivada pelo Papa.

O bispo da diocese de Patos de Minas (MG), dom Claudio Sturm, partilhou que a CF contribuiu para que a equipe diocesana do Pacto Educativo Global se reanimasse, após o arrefecimento por conta da pandemia. Em sua diocese, foi realizado um encontro com o prefeito da cidade para acolher sugestões e propostas da CF 2022.

Leia mais

Apresentando a Campanha da Fraternidade 2022

Campanha da Fraternidade 2022

A Campanha da Fraternidade 2022

Educar é um ato eminentemente humano. Somos renovados quando aprendemos mais a respeito da vida e seu sentido, quando nos ensinam novos conhecimentos e quando, percebemos que em nós existe a profunda sede de aprender e ensinar.

Educar é também uma ação divina. A Bíblia nos mostra a história de um Deus que educa seu povo, caminhando com ele, compreendendo suas fragilidades, respeitando suas etapas e alertando diante dos erros. Quando contemplamos as ações e palavras de Jesus, encontramos um caminhar educativo. Sua presença atenciosa junto às pessoas, a relação entre os milagres e a conversão, o uso de exemplos recolhidos do cotidiano, tudo, enfim, nos apresenta Jesus como o grande educador.

É, pois, com essa certeza que a Campanha da Fraternidade 2022 nos convida a refletir sobre a indispensável relação entre fraternidade e educação. Já tendo, por duas vezes, se debruçado sobre essa relação (1982 e 1998), a realidade de nossos dias fez com que o tema educação recebesse destaque, dentre os vários sugeridos, e fosse escolhido para mais uma Campanha da Fraternidade.

De fato, o mundo e nele o Brasil estão diante de um desafio: redescobrir caminhos para uma reconstrução que não é parcial, mas global; que não atinge somente alguns aspectos, mas que deve chegar às raízes do modo como pessoas e povos compreendem e organizam a totalidade da vida. O mundo de nosso tempo precisa encontrar caminhos para se reconstruir, ouvindo os clamores dos vulneráveis em uma casa comum cada vez mais vulnerabilizada. Por isso, pergunta-nos o Papa Francisco: “O que acontece quando não há a fraternidade conscientemente cultivada, quando não há uma vontade política de fraternidade, traduzida em uma educação para a fraternidade, o diálogo, a descoberta da reciprocidade e o enriquecimento mútuo como valores?”

Roma – O afresco Jesus no ensino na igreja Santa Maria em Monticelli

Trata-se, portanto, de uma Campanha da Fraternidade em forte linha de continuidade com os temas que nos vêm sendo propostos pelo menos desde 2018, quando éramos convidados a encontrar caminhos para a superação da violência. Esses caminhos passam por políticas públicas (CF 2019), fundados na ética do cuidado (CF 2020), em profunda atitude de diálogo (CFE 2021). Nada disso poderá, entretanto, ocorrer se não se considerar a importância da educação: educarmo-nos para o cuidado dialogal, nas relações interpessoais, e para o compromisso socioambiental; educarmo-nos para a redescoberta das motivações mais profundas ao próprio ato de educar.

Essa é a razão pela qual, em 2022, mais do que abordar um ou outro aspecto específico da problemática educacional, a Campanha da Fraternidade nos convoca a refletir sobre os fundamentos do ato de educar. Ao longo da caminhada quaresmal, em que a conversão se faz
meta primeira, recebemos o convite para buscar os motivos de nossas escolhas em todas as ações e, por certo, naquelas que dizem respeito mais diretamente ao mundo da educação. Leia mais

Divulgado o hino oficial da Campanha da Fraternidade 2022

O hino oficial da Campanha da Fraternidade 2022 é a expressão musical da mensagem que se quer fazer ecoar por meio do tema da Campanha “Fraternidade e Educação” e o lema “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31,26).

Veja o versão do hino pela CNBB (abaixo) e em breve a versão do Portal Kairós e amigos:

De autoria de Eurivaldo Silva Ferreira, a letra do hino da Campanha da Fraternidade 2022 aborda a educação na formação integral da pessoa humana e destaca em seu refrão a imagem de Cristo que “fala com sabedoria e ensina com amor”, cuja vida “em total maestria é pra nós luz, caminho, vigor”.

“E quem fala com sabedoria
É Aquele que ensina com amor,
Sua vida em total maestria
É pra nós luz, caminho, vigor” (Refrão do Hino da CF 2022).

Já Miguel Philippi que é maestro do Coral Nossa Senhora da Lapa (Ribeirão da Ilha) e do Coral Vozes do Mar, é o compositor da música do hino oficial da Campanha da Fraternidade 2022.

Em uma postagem em sua rede social Miguel disse: “Bastante surpreso, mas cheio de alegria, recebi a notícia de que minha sugestão de música foi acolhida para ser o Hino da Campanha da Fraternidade de 2022. Que ela realce o belo texto preparado pelo Eurivaldo, e ajude a levar a todas as comunidades a reflexão preparada pelos nossos bispos para esta campanha com o tema “Fraternidade e Educação“, lema: “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31,26). Deixo um agradecimento especial às amigas Ailce, Gabriela e Najla que gravaram comigo o áudio que foi enviado como proposta, e a todos aqueles que ficaram na torcida!”

Materiais da CF 2022

A letra

Leia mais

Divulgado o cartaz da Campanha da Fraternidade 2022

Em março deste ano, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou o edital para a escolha da identidade visual da Campanha da Fraternidade (CF) 2022 cujo tema é “Fraternidade e Educação” e o lema “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Cf Pr 31,26).

O edital oferecia elementos teóricos que ajudavam na elaboração da arte além de estimular a criatividade dos artistas. O certame (concurso) informava, dentre outras coisas, que o cartaz deveria conter os dizeres do tema e lema da CF 2022, dando ênfase à passagem bíblica. Explicava também que sua elaboração deveria primar pela técnica e criatividade, mas acima de tudo pela inspiração e meditação que o lema e o tema podem trazer. Além disso, o candidato ao concurso deveria pensar uma arte viável para ser aplicada além do Cartaz da Campanha da Fraternidade 2022, como por exemplo: adesivo, camiseta, bonés, mochilas.

Mais de 11 000 cifras e partituras

Passado o período de recebimento das propostas, que era até o dia 17 de maio, o padre Patriky Samuel Batista, secretário executivo de Campanhas da CNBB, anunciou que a comissão organizadora fez uma avaliação técnica e o Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da CNBB procedeu a escolha da obra vencedora.

“Foi com alegria que na última reunião do CONSEP os bispos escolheram o Hino e o cartaz da CF 2022. É a terceira vez que a Educação figura como tema da Campanha da Fraternidade, agora sobre o horizonte do Pacto Educativo Global proposto pelo Papa Francisco.

Creio que a realidade da educação nos interpela e exige profunda conversão de todos, verdadeira mudança de mentalidade, orientação de vida, revisão das atitudes e busca de uma educação que promova o desenvolvimento pessoal, integral e formação para a vida fraterna e para o compromisso com o bem comum. Refletir e atuar a favor da educação é uma forma de viver o caminho quaresmal. É reconhecer que algo pode e deve mudar neste cenário e, principalmente, em nossas relações. É permitir que a Palavra de vida e salvação nos eduque a fim de que possamos refletir sobre este tema tão importante, ainda mais impactado pela pandemia. É tempo de cuidar da educação”, disse o padre.

Cartaz da Campanha da Fraternidade 2022

Cartaz oficial da Campanha da Fraternidade 2022 / Divulgação CNBB

Explicação do cartaz da Campanha da Fraternidade 2022

Pensando a educação em todos os âmbitos da vida, a identidade visual da Campanha da Fraternidade de 2022, feita pelo leigo Antonio Batista de Souza Júnior, tem como inspiração o capítulo oitavo do Evangelho segundo João, eco do lema que é proposto.

No cartaz , diante da mulher, surpreendida em flagrante adultério, e que está prestes a ser apedrejada, Cristo, Divino Mestre e Educador, apresenta um novo ensinamento que se revela como um verdadeiro ato de esperança no ser humano. Jesus educa de maneira pedagógica, integral e a partir de uma ação repleta de sabedoria e amor. Este é o único momento em que o Evangelho mostra Jesus escrevendo. Não se sabe o que Ele escreveu. Sob a luz da espiritualidade quaresmal, o autor apresenta uma releitura da cena com uma possível escrita sobre o chão: AMOR E SABEDORIA palavras retiradas do lema: “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31, 26).

As pedras espalhadas pelo chão resumem parte do desfecho daquilo ensinado por Jesus. “Vai e não peques mais.” Palavra que inaugura um novo estilo de vida marcado pela conversão. O cartaz direciona o interlocutor ao Mestre Jesus, o centro da fé. Convertidos pela Palavra e comprometidos com a vida, dom e compromisso, nosso olhar se dirige a Jesus que é mostrado em perfil, em pé e com disposição corporal curva em direção a mulher posta a juízo. A cabeça de Jesus, emoldurada por um círculo, auréola, é o eixo do cartaz, lugar onde parte a inteligência, a sabedoria e por consequência, a “Palavra de vida eterna.” (Jo 6.68).

A disposição da mulher, também curva no cartaz, se coloca a ouvir, aprender e percorrer uma nova vida que brota da Cruz. Sua cabeça é aparelhada com os pés da Santa Cruz, esta que aparenta suave como marca d’água ao fundo do cartaz. Duas cores predominam no Cartaz, verde e Laranja. A cor verde a lembrar o que é vivo e a cor laranja a instigar a fidelidade criativa, própria do seguimento. Estas duas cores darão a qualidade visual de todo material da CF, a fim de induzir a lembrança ao tema e ao lema escolhidos para o ano de 2022. Tanto a mulher, quanto Jesus tem-se na área peitoral, o repouso da mão, gesto que reflete a interação pedagógica de quem ensinou e de quem aprendeu.

Sobre o peitoral de Jesus, um pequeno coração em cor vermelha, este, a comprimir o gesto misericordioso e educador refletido nesta arte. Inspirados por Ele, todos são convocados a pensar a integralidade da educação. Ela perpassa todos os aspectos da vida humana. “Com Cristo, aprendamos a falar com sabedoria e ensinar com o amor. Eis o tempo de conversão e compromisso!”.

Cartaz da Campanha da Fraternidade 2022 em jpg:

Cartaz da Campanha da Fraternidade 2022 em png:

Cartaz da Campanha da Fraternidade 2022 em preto & branco:

O autor

Antonio Batista de Souza Júnior (foto) é natural de Angical (BA) e foi o vencedor do concurso. Ele elaborou o cartaz da CF 2022 cuja proposta, segundo ele, é o de responder “de forma sintética e ampla toda a temática da educação proposta pela CF 2022”.

Antonio contou que desde adolescente já produzia arte em sua comunidade. Em 1997, por exemplo, quando ainda tinha 13 anos foi convidado pelo padre de sua paróquia a reproduzir o cartaz da CF de 1997 cuja temática era ” A fraternidade e os encarcerados” e o lema “Cristo liberta de todas as prisões”.

“O padre da minha paróquia me fez o convite para reproduzir o cartaz da CF de 97, porque eu era o desenhista da minha cidade, já era conhecido por fazer desenhos e pinturas. Foi quando o padre levou um pedaço de TNT e duas tintas de bicicleta em esmalte sintético – uma preta e uma amarela – para eu poder pintar o lema da Campanha de 97, usando a fonte que tinha sido proposta no livro da CF, para ele colocar na fachada da igreja para poder anunciar a CF. Foi muito desafiador porque era uma tinta óleo, de pintar bicicleta. O padre não sabia que tinta usar, mas queria daquela maneira”, conta.

E foi a partir daí que a Igreja se tornou vitrine para o trabalho do Antonio, que naquela altura já tinha virado o artista da cidade. “Todos os trabalhos as pessoas me chamavam para fazer, pelo anúncio de que eu tinha feito a fachada. Dali em diante tudo que envolvia arte na cidade eu estava”, brinca.

Antonio também afirmou que foi a partir de sua história – com a reprodução do cartaz da Campanha de 97 -, que ele se interessou ainda mais pela Igreja. “Fui coroinha, líder da Pastoral da Juventude, líder do grupo de jovens, e tudo isso a partir dessa reprodução desse cartaz, porque até então eu não participava da Igreja. Isso fez eu me engajar e isso me levou até a ser seminarista da diocese de Barreiras, da Bahia, de onde eu continuei fazendo meu trabalho para as Igrejas de todo o Brasil”, contou.

Hoje, Antonio já não é mais seminarista, mas continua a desenvolver seu trabalho com o Espaço Litúrgico, no que compreende a arte sacra, para todo o Brasil.

A CF 2022

A proposta da CF 2022 é promover um diálogo sobre a realidade educativa no Brasil, à luz da fé cristã, propondo caminhos em favor do humanismo integral e solidário. Além disso, buscará refletir sobre o papel da família, da comunidade de fé e da sociedade no processo educativo com a colaboração das instituições de ensino; incentivar propostas educativas que, enraizadas no Evangelho, promovam a dignidade humana, a experiência do transcendente, a cultura do encontro e o cuidado com a Casa Comum.

 

CNBB / Portal Kairós

Primeira apresentação da Campanha da Fraternidade 2022 (CF 2022)

Tema “Fraternidade e Educação”
Lema “Fala com sabedoria, ensina com amor” (cf. Pr 31, 26)

Promover o diálogo sobre a realidade educativa no Brasil, à luz da fé cristã. Este é um dos objetivos da Campanha da Fraternidade 2022 (CF), que terá como tema “Fraternidade e Educação” e como lema “Fala com sabedoria, ensina com amor” (cf. Pr 31, 26). A proposta foi apresentada, na tarde do dia 13/04/2021, aos bispos que seguem reunidos durante a 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que pela primeira vez é realizada na modalidade online.

De acordo com o secretário executivo de Campanhas da CNBB, padre Patriky Samuel Batista, o caminho de construção da CF 2022 tem como uma das motivações a celebração dos 40 anos da Pastoral da Educação no Brasil, e o texto-base – documento que norteia as ações da Campanha da Fraternidade – e que segue em elaboração. “Quando nós falamos da realidade educativa, tal realidade não se restringe ao ensino científico e técnico, mas o desejo é lançar o olhar sobre a educação de forma integral”, afirmou.

Para que a Campanha da Fraternidade seja melhor desenvolvida, foram propostos sete objetivos específicos, que são: analisar o contexto da educação, bem como os desafios potencializados pela pandemia; verificar o impacto das políticas públicas na educação; identificar valores e referências da Palavra de Deus e da Tradição Cristã em vista de uma educação humanizadora; refletir sobre o papel da família, da comunidade de fé e da sociedade no processo educativo com a colaboração das instituições de ensino; incentivar propostas educativas que, enraizadas no Evangelho, promovam a dignidade humana, a experiência do transcendente, a cultura do encontro e o cuidado com a casa comum; estimular a organização do serviço pastoral junto às escolas, universidades, centros comunitários e outros espaços educativos; e promover uma educação comprometida com novas formas de economia, de política e de progresso verdadeiramente a serviço da vida humana, em especial, dos mais pobres.

Escutar, propor e discernir

Anualmente, os temas propostos pela Campanha da Fraternidade são trabalhados a partir do método “Ver, Julgar e Agir”. Em 2022 o “Ver” será na perspectiva de escutar; o “Agir” seguirá no caminho do propor; e o “Julgar” voltará o olhar para o discernimento. “O desejo da equipe executiva e do que foi proposto pelos bispos tem em vista o que o Papa Francisco propõe no Pacto Educativo Global”, disse o padre Patriky.

Família e educação

Além das ações próprias da Campanha da Fraternidade, os bispos deverão escrever uma carta aos educadores brasileiros. “O Texto-base é fundamental, mas não é um texto que chega às famílias como um texto integral. Nós pensamos que seria oportuno que um grupo de bispos pudesse escrever uma carta aos educadores e às famílias, de modo que possa ser amplamente divulgada. Não precisa ser um documento, mas uma carta que o Conselho Permanente, que será realizado em outubro, pudesse aprovar. A sugestão tem como pano de fundo a palavra do episcopado para a Quaresma de 2022 sobre a importância da educação”, afirmou o arcebispo de Montes Claros (MG) e presidente da Comissão Episcopal para a Cultura e Educação, dom João Justino.

O arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Pedro Scherer, destacou que é necessário dar espaço ao papel da família como base educacional. “A família tem um papel importante na educação, papel que não é suprido na escola. Eu acredito que seja muito importante dar este espaço, porque a família foi sendo muito alijada, a educação vem sendo terceirizada”, afirmou.

“Dentro da temática que foi proposta, eu vejo que é muito importante, porque hoje vemos uma educação bastante técnica e uma educação carente de valores. A Campanha da Fraternidade sempre foi bem aceita nas escolas e nas universidades, que sempre solicitam material. A educação está carente de valores humanitários e éticos que favoreçam os valores cristãos como nos pede o Papa Francisco”, destacou o arcebispo de Santarém (PA), dom Irineu Roman.

É importante destacar que, no contexto atual, a pandemia é abordada por um eixo transversal, que perpassa por todos os objetivos propostos. As contribuições apresentadas pelos arcebispos e bispos serão levadas, pelo padre Patrick Samuel, à equipe executiva da CF 2022.

 

CNBB / Portal Kairós

Downloads

Estamos trabalhando...

Nada encontrado!