Notícias católicas – Sempre notícias atualizadas

A CNBB emite nota sobre o desrespeito à fé cristã

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota na tarde desta quinta-feira, 12 de dezembro, na qual critica a postura de “artistas” que, em nome da liberdade de expressão, vilipendiam símbolos sagrados da fé cristã. “Ridicularizar a crença de um grupo, seja ele qual for, além de constituir ilícito previsto na legislação penal, significa desrespeitar todas as pessoas, ferindo a busca por uma sociedade efetivamente democrática, que valoriza todos os seus cidadãos”, diz o texto. Confira abaixo a íntegra do documento. No áudio abaixo, a nota é lida pelo arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo:

Nota ofical da CNBB sobre o desrespeito à fé cristã

Examinai tudo e ficai com o que é bom! (1 Ts 5,21)

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) repudia recentes fatos que, em nome da liberdade de expressão e da criatividade artística, agridem profundamente a fé cristã. Ridicularizar a crença de um grupo, seja ele qual for, além de constituir ilícito previsto na legislação penal, significa desrespeitar todas as pessoas, ferindo a busca por uma sociedade efetivamente democrática, que valoriza todos os seus cidadãos.

A Igreja nunca deixou de promover a arte e a liberdade de expressão. Por isso, a CNBB reitera que toda produção artística respeite “os sentimentos de um povo ou de grupos que vivem valores, muitas vezes, revestidos de uma sacralidade inviolável”. Quando há desrespeito em produções midiáticas, os meios de comunicação tornam-se violentos, verdadeiras armas que contribuem para ridicularizar e matar os valores mais profundos de um povo.

Vivemos em uma sociedade pluralista. Nem todos têm as mesmas crenças. Devemos, no entanto, como exigência ética e democrática, respeitar todas as pessoas. Nada permite a quem quer que seja o direito de vilipendiar crenças, atingindo vidas. O direito à liberdade de expressão não anula o respeito às pessoas e aos seus valores.

Neste tempo de Advento, somos convocados a permanecer firmes na fé, constantes na esperança e assíduos na caridade. Não podemos nos deixar conduzir por atitudes de quem, utilizando a inteligência recebida de Deus, agride esse mesmo Deus. Um dia, haveremos de prestar contas de todos os nossos atos.

Diante, pois, dessas agressões, respeitando a autonomia de cada pessoa a reagir conforme sua consciência, a CNBB clama a todos os cidadãos brasileiros a se unirem por um país com mais justiça, paz, respeito e fraternidade.

Brasília-DF, 12 de outubro de 2019
Festa de Nossa Senhora de Guadalupe

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte – MG
Presidente da CNBB

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre – RS
1º Vice-Presidente da CNBB

Dom Mário Antônio da Silva
Bispo de Roraima – RR
2º Vice-Presidente da CNBB

Dom Joel Portella Amado
Bispo Auxiliar de S. Sebastião do Rio de Janeiro – RJ
Secretário-Geral da CNBB

O compromisso de defesa do direito do ser humano

No dia 10 de dezembro, comemorou-se o Dia Internacional dos Direitos Humanos, data em que a Assembleia Geral das Nações Unidas oficializou a Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948. O Papa Francisco tuitou na manhã de ontem, ressaltando a sacralidade e a inviolabilidade do ser humano em todas as fases do seu desenvolvimento. O bispo de Rio Grande (RS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Ricardo Hoepers, comentou a mensagem do pontífice.

“O ser humano é sempre sagrado e inviolável, em qualquer situação e em cada fase do seu desenvolvimento. Se esta convicção ruir, não permanecerá fundamentos sólidos e permanentes para a defesa dos #DireitosHumanos”, era o texto divulgado na conta do Papa:

“Diante de tantos chavões, polarizações e controvérsias sobre os direitos humanos em nossos dias, o Papa Francisco ontem nos ajudou a focar no que é essencial: a vida humana é inviolável e sagrada. E essa inviolabilidade e sacralidade tem que ser respeitada desde a concepção até o fim natural. Se não compreendermos esse fundamento do sentido e da existência de todo ser humano, nenhum direito humano subsistirá”, comentou dom Ricardo Hoepers.

O presidente da Comissão para a Vida e a Família da CNBB ainda destacou o papel da Igreja de salvaguardar os direitos humanos: “A Igreja Católica, como mãe, como especialista em humanidades, é a portadora desta mensagem de modo completo e sublime. Temos esta responsabilidade social de defender a vida em todas as fases”.

A fé dá a certeza de que tudo foi criado, amado e desejado por Deus, reflete dom Ricardo. E é por esta fé que “temos esse compromisso de ajudar a humanidade a reencontrar o seu caminho de felicidade, não baseado somente em ideias pessoais, em projetos políticos ou em ideologias, mas, acima de tudo, baseado no compromisso na defesa do ser humano em toda a sua integridade”.

No Dia Internacional dos Direitos Humanos, as comunidades eclesiais são chamadas a testemunhar profundo respeito por todo ser humano e ser “casas de acolhida, de amor e de caridade, principalmente aos mais vulnerabilizados”, como destacou dom Ricardo: “Como Igreja, sejamos os primeiros a abrir as portas àqueles que perderam seus direitos e possamos mostrar que a vida vale a pena e que precisamos acreditar no ser humano”.

Esta atitude de crer no ser humano está também relacionada ao mistério do Natal. Dom Ricardo explicou que o primeiro que acreditou no ser humano foi o próprio Deus, “que quis se encarnar homem, plenamente homem nosso meio, Emanuel, Deus conosco. Este é o sentido do Natal”.

CNBB / Portal Kairós

Quem são os 5 novos Santos e Santas de 2019?

Santos e Santas de 2019

Foram apresentadas, na manhã deste sábado dia 11 de outubro, na Sala de Imprensa da Santa Sé, pelos seus respectivos Postuladores, as biografias dos cinco novos Santos, que serão canonizados pelo Papa, no próximo domingo, na Praça São Pedro.

Os novos Santos e Santas de 2019

01 – João Henrique Newman, convertido do Anglicanismo, fundador do Oratório de São Felipe Neri, na Inglaterra; e quatro mulheres:

02 – Irmã Dulce Lopes Pontes, no civil Maria Rita, primeira santa brasileira, da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus;

03 – Margarida Bays, virgem, Terciária da Ordem de São Francisco de Assis;

04 – Josefina Vannini, no civil Judite Adelaide Águeda, fundadora das Filhas de São Camilo; e

05 – Maria Teresa Chiramel Mankidiyan, Fundadora da Congregação das Irmãs da Sagrada Família.

Eis alguns breves dados biográficos dos novos Santos

Cardeal João Henrique Newman

João nasceu em Londres, em 1801. Foi ordenado sacerdote pela Igreja Anglicana tornando-se pároco de São Clemente, em Oxford.

Em 1845, Newman converteu-se ao catolicismo e, alguns anos depois, foi ordenado sacerdote da Igreja Católica. Fundou o Oratório de São Felipe Neri e foi criado Cardeal em 1879, com o lema “O coração fala ao coração”.

Joao Newman faleceu em 11 de agosto de 1880 e foi beatificado por Bento XVI em 19 de setembro de 2010.

Irmã Dulce Lopes Pontes

Maria Rita nasceu, em Salvador, Bahia, em 1914. Tinha 6 anos quando sua mãe faleceu. Aos 18, entrou para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, onde recebeu o nome de Dulce. Fundou a União dos Trabalhadores de São Francisco, um movimento operário cristão, e o hospital Santo Antônio.

Irmã Dulce faleceu na capital baiana em 1992. Foi beatificada em 2011, durante o Pontificado de Bento XVI.

O milagre que a levou à canonização é a cura milagrosa de José Maurício Bragança Moreira, que ficou cego por causa de um glaucoma grave. Ao sofrer de conjuntivite, colocou uma pequena imagem da Irmã Dulce sobre os olhos, pedindo a sua intercessão. Quando acordou, voltou a ver de novo.

Josefina Vannini

Josefina Vannini nasceu em Roma, em 1859. Aos quatro anos de idade, perdeu o pai e, três anos depois, a mãe. Durante os exercícios espirituais, conheceu o sacerdote camiliano, Padre Luigi Tezza, que reconheceu nela a pessoa indicada para iniciar uma nova Congregação, fundada em 1892, com o nome de Filhas de São Camilo.

Madre Josefina faleceu em 1911 e, em 1994, foi beatificada por São João Paulo II.

O milagre que a levou à canonização, refere-se a Arno Klauck, mestre de obras de Sinop (MT), que caiu do terceiro andar enquanto colocava vigas de madeira. Enquanto caía, invocou a intercessão da religiosa, salvando-se, milagrosamente, com apenas alguns hematomas.

Maria Teresa Chiramel Manki-diyan

Maria Teresa nasceu em 1876, em Puthenchira, estado indiano de Kérala. Recebeu muitas graças místicas de Deus, como visões de Nossa Senhora e de Santos, além dos estigmas de Cristo, em 1909, que sempre manteve em segredo.

Em 1914, Maria Teresa fundou a Congregação das Irmãs da Sagrada Família. Sofrendo de diabetes, faleceu em 1926.

Madre Maria Teresa Chiramel foi beatificada por São João Paulo II, em 9 de abril de 2000.

Margarida Bays

Margarida nasceu em Friburgo, na Suíça, em 1815. Filha de agricultores, trabalhou toda a sua vida como costureira. Acometida por um câncer, com a idade de 40 anos, ficou, inexplicavelmente, curada, em 8 de dezembro de 1854, dia em que Pio IX proclamou o Dogma da Imaculada Conceição.

Margarida teve muitas experiências místicas e experimentou os estigmas. Faleceu em 27 de junho de 1879 e foi beatificada por São João Paulo II, em 29 de outubro de 1995.

Músicas e subsídios da Irmã Dulce para baixar

Vatican News / Portal Kairós

Fotógrafo remove celulares para mostrar nosso mundo estranho e solitário

Fotógrafo remove celulares para mostrar nosso mundo estranho

A hora de sair da internet (Abre numa nova aba do navegador)

Você está lendo isso em um dispositivo portátil? Há uma boa chance de você estar. Agora imagine como você ficaria se esse dispositivo desaparecesse repentinamente. Solitário? Ligeiramente louco? Talvez ao lado de uma pessoa que está sendo ignorada? À medida que somos cada vez mais atraídos pelas telas que carregamos, mesmo na companhia de amigos e familiares, a pose curvada do telefone absorvido parece cada vez mais normal.

O fotógrafo americano Eric Pickersgill criou “Removed“, uma série de fotos para nos lembrar de como essa pose é estranha. Em cada retrato, os dispositivos eletrônicos foram “editados” (removidos antes da foto ser tirada das pessoas que os usavam) para que as pessoas olhem para as mãos ou para o espaço vazio entre as mãos, ignorando frequentemente belos cenários ou oportunidades para a conexão humana.

Os resultados são um pouco tristes e assustadores – e talvez um lembrete para guardar nossos telefones um pouquinho.

Veja as fotos

Portal Kairós

Abertas inscrições para o encontro dos editores de folhetos de missa

Editores de Folhetos e Subsídios Litúrgicos

O próximo encontro dos Editores de Folhetos e Subsídios Litúrgicos acontecerá na cidade de São Paulo de 30 de julho a 01º de agosto, no Centro de Formação Sagrada Família. O evento é uma iniciativa da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia e recebe editores de todo o Brasil.

Este ano, a proposta central do encontro gira em torno do Documento 108 da CNBB, intitulado “Ministério e Celebração da Palavra”, à luz das novas Diretrizes para Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, aprovadas durante a última Assembleia Geral da entidade.

Dom Edmar Peron, novo presidente da Comissão para a Liturgia convida a todos os interessados a participarem do encontro. “Sua participação é indispensável para favorecer e enriquecer a troca de experiências, estudos, aprofundamentos, atualizações e outros encaminhamentos que estes momentos proporcionam”, assegura.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas entre os dias 01º e 30 de junho, através do link: servico.cnbb.org.br/evento/inscricao. O interessado deverá pagar uma taxa de participação e o valor referente às diárias onde ficará hospedado, mesmo lugar onde o encontro será realizado.

O padre Leonardo Pinheiro, assessor da Comissão para a Liturgia da CNBB é o responsável pela organização. Mais informações em: (61) 2103-8300 ou (32) 98426-4826. “Contamos com a sua tão importante presença”, finaliza dom Edmar Peron.

Confira a carta-convite do encontro:

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL
Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia SE/Sul Quadra 801 Conj. B / CEP 70200-014 -Brasília -DF –Brasil
Fone:(61) 2103 8300 / 2103 8200 / 98173 5967 / 98173 5958e-mail: liturgia@cnbb.org.brSite: cnbb.org.br

Brasília, 22 de maio de 2019 LIT–Nº.0212/19

Prezados Irmãos e Irmãs, Responsáveis por Folhetos e Subsídios Litúrgicos: graça e paz lhes sejam concedidas em abundância!

Sou Edmar Peron, Bispo da Diocese de Paranaguá (PR), eleito na última Assembleia Geral do episcopado brasileiro para presidir a Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB, sucedendo o querido irmão Dom Armando Bucciol, que realizou um rico serviço à Igreja do Brasil à frente da mesma Comissão, durante oito anos.

Escrevo-lhes para saudá-los cordialmente e, ao mesmo tempo,convidá-los a participaremdo Encontro de Editores (as) Responsáveis por Folhetos e Subsídios Litúrgicos, promovido anualmente pela já mencionada Comissão da CNBB. Sua participação é indispensávelpara favorecer e enriquecer a troca de experiências, estudos, aprofundamentos, atualizações e outros encaminhamentos que estes momentos possibilitam.

Como foi combinado no encontro do ano passado, ocorrido em Vitória –ES, este ano nossas atividades acontecerão na cidade de São Paulo –SP. Contando com sua preciosa participação, pedimos que confirme sua inscrição, seguindo as indicações abaixo:

Data: 30 de julho a 01 de agosto de 2019(iniciando com o almoço às 12hs do dia 30 e encerramento com o almoço do dia 01).

Local: Centro de Formação Sagrada Família.Rua Padre Marchetti, 237, Ipiranga – São Paulo-SP, tel.: (11) 2271-0070.
centrosagradafamilia.com.br

Diárias e taxas a serem pagas ao Centro de Formação Sagrada Família. O valor total das diárias será de R$ 350,00 por pessoa,incluindo:café da manhã e lanches, almoço e jantar, hospedagem com uso de roupa de cama e de banho. Trata-se, portanto, de duas diárias que serão acertadas diretamente com a casa de encontro no dia de chegada ao evento. Além desse valor, está prevista ainda uma taxa de R$ 600,00 pelo uso de sala multimídia, a qual será rateada entre os participantes do encontro.

Taxa de Inscrição e participação: R$ 30,00 (trinta reais). Esse valor deverá ser pago através de boleto bancário gerado no momento da inscrição no link abaixo.

Inscrições: solicitamos que façam antecipadamente sua inscrição, entre os dias 01 e 30 de junho, através do link: servico.cnbb.org.br/evento/inscricao

Nossa proposta central será o estudo do tão esperado Documento 108 da CNBB “Ministério e Celebração da Palavra”, à luz das novas Diretrizes para Ação Evangelizadora da  CNBB (2019-2023).

Peço-lhes que adquiram antecipadamente o referido documento através das Edições CNBB. O responsável pelo encontro será o Padre Leonardo José de Souza Pinheiro, assessor nacional da Comissão Episcopal para Liturgia da CNBB.

Contato: (61) 2103-8300 ou (32) 98426-4826. Desde já, agradecidos, contamos com sua tão importante presença.

Dom Edmar Peron
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia

CNBB / Portal Kairós