Conheça o cartaz da Campanha Missionária 2020

Arte da Campanha Missionária

A arte da Campanha Missionária de 2020 foi idealizada tendo como conceito base a missão como janela aberta para a vida. A imagem da janela representa a capacidade do ser humano interagir com o mundo ao seu redor e assim despertar o real e generoso interesse para com o seu semelhante. A janela aberta representa a atitude de acolhida para com o mundo, uma ponte que nos coloca em diálogo com os desafios da vida para além de nossas fronteiras pessoais.

No centro desta janela aberta para a vida é apresentada a figura do Papa Francisco, que tem a missão encarnada em sua vida, não somente como Pastor da Igreja universal, mas antes de tudo cristão, vocacionado e homem dedicado ao bem dos seus irmãos. Nesta imagem, o Papa é representado na espontaneidade, postura de quem acolhe, se envolve e cuida. Ele se coloca como exemplo de doação pelos valores do Reino e nesta época, tão carente de referenciais, nos dá o exemplo de uma vida onde a missão se entrelaça com as mais simples situações do quotidiano e se coloca em sintonia com os ensinamentos de Jesus.

A moldura desta construção conceitual para a Campanha Missionária 2020 é um fundo branco, como uma tela de pintura, que tem a intenção de mostrar a centralidade desta vida que ganha sentido e cor somente na medida em que é vivida como missão, como doação e entrega aos irmãos.

Baixe os materiais para trabalhar a Campanha Missionária 2020

Nesta tela em branco, o toque do pincel traz as marcas do artista. Todos são chamados a deixar a própria marca nos horizontes desta vida em missão. Nosso modo único de lidar com as situações, nossos talentos e capacidades a serviço do Reino de Deus, fazem toda a diferença e podem colorir a vida em tons extraordinários e inesperados.

 

POM / Portal Kairós

A Novena Missionária 2020

A Novena Missionária

Novena Missionária convida a mergulhar no tema da vida, vida que se faz missão em diferentes realidades do Brasil que tem presente tantas dores, feridas trazidas pela pandemia do Corona vírus. Cada um de nós aprendeu, sensíveis a essa experiência, a ser uma Igreja mais samaritana, sinodal em estado permanente de missão.

Para colaborar com a reflexão, a Novena Missionária reflete a vida e o testemunho dos diferentes sujeitos da missão que, com ousadia e a seu modo, pronunciam: “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8). Durante os nove dias rezaremos o tema “A vida é missão” que se desdobra na vida missionária das famílias; dos seminaristas; da vida consagrada; da infância e adolescência missionária; dos ministros ordenados; da juventude; da Amazônia e dos idosos e enfermos.

Em cada dia da Novena, o método da Leitura Orante da Palavra ilumina e orienta a nossa vida na missão. O objetivo é criar comunhão, rezar, refletir e incentivar para o compromisso, tendo presente os diversos aspectos da Missão. A Novena pode ser feita pelos grupos de reflexão, famílias, nas comunidades ou escolas.

A capa do livrinho também traz o Zapcode. Para utilizá-lo basta baixar gratuitamente o Aplicativo Zappar no Smartphone (celular e tablet). Depois, ao direcionar o aparelho para a capa é possível assistir a um vídeo e acessar os conteúdos da Campanha Missionária.

 

Áudios da Novena Missionária

Campanha Missionária deste ano, em parceria com a Rádio Aparecida, disponibiliza a todas as rádios do Brasil a novena missionária em áudios para podcast. A produção foi realizada a partir do material produzido pelas Pontifícias Obras Missionárias. Os áudios no formato podcast motivam a oração e a reflexão do tema “A vida é missão”.

O podcast da novena missionária pode ter livre reprodução nas rádios e mídias sociais, preservando sua qualidade técnica e informações de produção da Rádio Aparecida.

 

POM / Portal Kairós

A Campanha Missionária de 2020

Tema: A vida é missão | Lema: “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8)

As Pontifícias Obras Missionárias (POM) têm a responsabilidade de organizar a Campanha Missionária, realizada sempre no mês de outubro, na Igreja de todo o Brasil. Colaboram nesta ação a CNBB por meio da Comissão para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial, a Comissão para a Amazônia e outros organismos que compõem o Conselho Missionário Nacional (COMINA).

Mesmo vivendo um tempo diferente, em que o mundo passa por uma doença que mudou nossas relações (temporariamente), a Campanha Missionária em 2020 quer ser um sinal de esperança para tantas vidas doadas de forma solidária. O tema escolhido “A vida é missão” e o lema “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8) irão nos ajudar no crescimento da consciência missionária.

Ser discípulo missionário está além de cumprir tarefas ou fazer coisas. O Papa Francisco lembra que “a missão no coração do povo não é uma parte da minha vida, ou ornamento a ser posto de lado. É algo que não posso arrancar do meu coração” (Alegria do Evangelho, 27).

Nós cristãos somos convidados a defender e cuidar da vida em todas as suas dimensões. Jesus de Nazaré definiu sua ação no mundo como o Divino Cuidador: “Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo10,10). Esse também deve ser o compromisso de todos os missionários e missionárias, pois a vida é missão.

A vida é o bem fundamental e básico em relação a todos os demais bens e valores da pessoa. Para a ética, a vida é um bem, mais que um valor. Deus, ao contemplar a criação, “viu que tudo era muito bom” (Gn 1,31).

Todo missionário é convidado a educar o olhar sobre as realidades de dor e, sobretudo, saber contemplar o belo, como fazia São Francisco de Assis, encantando-se com as criaturas presentes pelo caminho.

Confira o clipe especial do Hino

 

 

POM / Portal Kairós

8 de outubro: o Dia do Nascituro (aquele que há de nascer)

Dia do Nascituro

O dia do nascituro, celebrado no dia 8 de outubro, encerra a Semana Nacional da Vida (1 a 7 de outubro).

Em 2020, a Semana Nacional da Vida, em sintonia com a Campanha da Fraternidade, escolheu por tema: Vida: Dom e compromisso. O objetivo é destacar o valor da vida humana, como dom de Deus, e à necessidade de promover o cuidado deste dom desde a concepção até o seu fim natural.

A Semana Nacional Vida foi instituída, em 2005, durante a 43ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O Dia do Nascituro é dedicado às crianças que são gestadas nos ventres de suas mães. A data celebra o direito à proteção da vida, à saúde, à alimentação, ao respeito e a um nascimento sadio. O objetivo é suscitar a consciência do sentido e valor da vida humana em todos os seus momentos.

No vídeo a seguir, Dom Bruno Elizeu Versari, bispo de Campo Mourão e referencial para a Pastoral Familiar no Paraná, concede a bênção aos nascituros, às gestantes e a todas as pessoas.

 

Hoje celebramos o Dia do Nascituro. Momento ainda mais propício de demostrar das mais diversas maneiras, o nosso amor pela vida em todas as suas instancias:

Este é “o grande momento de dizermos ‘obrigado, Senhor pela vida, por este grande milagre que acontece em cada ser humano que vem à existência'”, nos recorda o bispo de Rio Grande (RS) e presidente da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, dom Ricardo Hoepers.
Nesta Semana Nacional da Vida, refletimos o tema Vida: dom e compromisso.
Encerremos este momento que somou ricas experiências de oração e testemunho em todo o país nos unindo em três preces: pelos bebês, pelas mães e pelo Brasil.

Recordamos e celebramos a vida que brota no ventre das mães e também os que protegem corajosamente os que ainda não nasceram.

 

Portal Kairós

No Dia do Nascituro 2020, conheça mães que escolheram pela vida

Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB faz balanço da Semana da Vida e fala sobre importância do Dia do Nascituro

Dia do Nascituro 2020

“Milagre” e “Filho de Deus”. Essas são também as formas encontradas pela produtora de rádio e televisão, Ângela Aparecida Menezes, e pela arquiteta, Paula Caroline Marchi Corrêa, ambas mães, para se referir ao nascituro, celebrado nesta quinta-feira, 8 de outubro. Nascituro, de acordo com Antonio Roberto Hildebrand – autor do “Dicionário Jurídico”, é todo aquele que já foi concebido, cujo nascimento se espera.

Paula e Ângela viveram períodos gestacionais difíceis e, mesmo assim, optaram por seguir com a gravidez e assegurar o nascimento de seus filhos.

Para a produtora de rádio e televisão, o aborto foi uma opção no início de sua primeira gravidez. “Vivi na minha primeira gestação um momento de não aceitação. Tentei abortar por três vezes através da ingestão de remédios, mas não deu certo. Depois me indicaram uma clínica de aborto”, relata.

Ângela conta que chegou a ir até a clínica, mas que, momentos antes do procedimento, quando ouviu o coração do bebê, mudou de ideia. “Percebi que não era meu corpo, que era um outro corpo, um outro ser e que aquela criança dentro de mim era uma outra pessoa. (..) Quando ouvi o coração do bebê, ouvi Jesus falar comigo”.

Depois da escolha por seguir com a gravidez, a produtora de rádio e televisão passou por momentos de incerteza: como havia tomado três doses do remédio abortivo, tudo indicava que seu bebê nasceria com alguma deficiência. Angela revela que, após um cenáculo conduzido pelo Monsenhor Jonas Abib no Estádio do Morumbi, em São Paulo, passou a entregar seu filho e seu parto ao Espírito Santo.

“Por experiência própria posso afirmar, com propriedade, que a vida deve ser defendida desde o ventre materno, desde a sua concepção” – Angela Menezes

“Quando meu filho foi nascer, uma UTI neonatal estava preparada para receber uma criança com algum tipo de deficiência. Após o parto os médicos o levaram e depois retornaram dizendo que meu filho nasceu em perfeito estado”, recorda.

A mãe de Guilherme, hoje com 27 anos, e também de Miriam, de 14 anos, afirma que não desistiu de sua primeira gravidez, pois o poder de Deus a fez entender que seu filho era uma benção.

Descolamento de placenta e gravidez na pandemia

Leia mais