Reflexão e sugestão para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 do Ano B

Para o dia: 12/09/2021

Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

Is 50,5-9a; Sl 114; Tg 2,14-18; Mc 8,27-35

24° Domingo do Tempo Comum 2021

Andarei na presença de Deus, junto a ele, na terra dos vivos.

Mais materiais e subsídios de formação

Pedro fez a profissão de fé. Fé é um dom de Deus, como lemos em Mateus: “Não foi carne ou sangue que te revelaram isso, mas meu Pai que está nos Céus” (Mt16,17). Crer significa também aceitar Jesus como ressuscitado e como humano.

Por essa razão, os outros acreditavam que Jesus fosse um personagem do passado que voltara. A proclamação de Pedro o coloca no caminho de Jesus. Por isso, a seguir, Jesus lhes mostra o que iria acontecer com Ele, que é o sofredor, como o Servo (Is 50, 5-9). A fé assume também essa condição de Servo Sofredor e participa com Ele de seus sofrimentos, como nos disse Paulo: “Justiça que vem de Deus na base da fé. Esta consiste em conhecer a Cristo, experimentar a força de sua Ressurreição, ficar em comunhão com seus sofrimentos, tornar-me semelhante a Ele em sua morte para ver alcançar a ressurreição de dentre os mortos” (Fl 3,9-10). Jesus foi recusado por não corresponder a uma fé criada pelos homens. Ele, que viveu a condição humana, tem condições de acolher o coração humano em sua fragilidade. É nessa condição que obtemos a salvação e a construímos.

Obediência é um dom, que é estar atento ao projeto de Deus. Abrir para compreender e defender contra a tendência de recuar, mesmo nos momentos de duro sofrimento por estar no exercício da vontade de Deus. Assim o fez Jesus. Rezamos no salmo: “Nosso Deus é compassivo”.

Quem rejeita o caminho de Jesus é um satanás, que quer dizer, aquele que divide. Pedro queria desviar Jesus de seu caminho de fidelidade ao Pai: “Arreda-te de mim, satanás, porque não pensas as coisas de Deus, mas as dos homens” (Mc 8,33). O dom da obediência une o cristão ao caminho redentor de Jesus.

São Tiago enfrentou uma interpretação errada sobre Paulo, que diz que só a fé salva, afirmando: “A fé, se não tiver obras, será morta em seu isolamento” (Tg 2,14-18). Paulo ensina que a fé deve “agir na caridade” (Gl 5,6). Jesus realizou essa verdade da fé na caridade quando foi proclamado Messias por Pedro. Mostrou que sua missão passava pela morte e ressurreição. Para seguir Jesus, cada cristão deve deixar muitas coisas para ter tudo, isto é, salvar sua vida (Mc 8,35). Cristo manifestou sua caridade em sua abnegação e entrega total.

Sugestões litúrgicas para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

– Antes da procissão de entrada: como estamos no mês em que inicia a primavera, destacar o tema, de forma planejada, dando destaque à consciência ecológica.

– Ato penitencial: pedir perdão pela destruição do planeta, pela poluição da natureza e, especialmente, pelo desrespeito à obra-prima da criação: a pessoa.

– Ação de graças: motivados pelo amor à natureza, pode-se rezar um dos salmos que destacam a beleza da obra da criação de Deus.

– Antes da bênção final: simbolicamente, pede-se para destronar a Bíblia, que está junto ao altar, para entronizá-la no coração de cada um.

Sugestões de repertório para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B (O Domingo)

Abertura: Senhor, escuta
Aclamação: Aleluia! Ó Senhor
Oferendas: As mesmas mãos
Comunhão: O Mal que Sai

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – Catequético – Cantos para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B

 

Áudios para a Missa do 24° Domingo do Tempo Comum 2021 – Ano B CNBB:

 

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós