Nas comunidades – Campanha da Fraternidade 2020

Planejando e organizando as equipes para a CF 2020

Além de um compromisso pessoal, o cuidado com a vida é uma tarefa a ser cumprida comunitariamente. A proposta de conversão quaresmal da Campanha da Fraternidade 2020 (CF-2020), cujo tema é “Fraternidade e Vida: dom e compromisso”, pode ser colocada em prática a partir da articulação de uma equipe de animação na comunidade, paróquia, diocese ou regional.

O objetivo geral da CF 2020 é conscientizar, à luz da Palavra de Deus, para o sentido da vida como Dom e Compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, a família, na comunidade, na sociedade e no planeta, nossa Casa Comum.

Para promover estas relações de mútuo cuidado, o texto-base da Campanha da Fraternidade 2020 resgata das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE 2019-2023) o termo “comunidade-casa” e indica que este deve ser “o lugar do afeto, da ternura e do abraço, do encontro fraterno em torno da Palavra e da Eucaristia que geram vida”. Também indica que “a comunidade gera vida pela proclamação da Palavra e pela vivência da fraternidade”.

O texto fala do convite à construção de comunidades-casas – as comunidades eclesiais missionárias – que são enviadas a enfrentar “todo tipo de exclusão” e a promover ações concretas de solidariedade e de inclusão. “Essa comunidade é chamada a atuar no mundo como comunidade em saída rumo às periferias humanas e existenciais”.

Seja nestas comunidades ou num grupo específico de reflexão ou animação da Campanha da Fraternidade, alguns passos podem ser dados para esta articulação:

01 – Aprofundar o tema com a equipe

O primeiro passo é estudar o tema. As equipes podem aproveitar os vários materiais impressos e os encontrados aqui no Portal Kairós, com todo o aprofundamento da temática da Campanha da Fraternidade e as propostas de celebrações, retiros, círculos bíblicos. O texto-base é o principal material da Campanha. Nele estão elencados: a fundamentação bíblica do tema, as referências nos documentos da Igreja, o resgate da atuação da Igreja no Brasil na temática e as sugestões de iniciativas práticas a partir da CF.

Várias dioceses e regionais em todo o Brasil realizam, desde o ano passado, seminários para estudo do texto-base, oportunidade de maior articulação entre os diversos agentes de pastoral para a montagem de uma equipe de campanhas.

02 – Apresentar os materiais

A equipe de campanhas e as comunidades eclesiais missionárias, ao levarem a proposta da Campanha da Fraternidade para o seu local (bairro, comunidade, aldeia, condomínio, empresa, associação, etc), além de favorecerem o conhecimento acerca dos objetivos e iniciativas, também apresentam os materiais disponíveis para a vivência da CF nestes locais.

O Portal kairós é o mais completo local para encontrar materiais extras e subsídios gratuitos para a CF 2020.

03 – Conhecer ações práticas propostas no texto-base

Agir como o bom samaritano, que viu, sentiu compaixão e cuidou, é a principal motivação da Campanha da Fraternidade 2020. Neste sentido, o texto-base, em sua terceira parte, “Cuidou dele”, indica uma série de iniciativas que podem inspirar a ação das comunidades eclesiais missionárias em vista do cuidado com o próximo. Essas indicações, tomadas da exortação apostólica Evangelii Gaudium, estão no texto-base a partir dos verbos “Primeirar” – ter iniciativa; “Envolver” – intercâmbio de cuidado; “Acompanhar” – iniciar processos fundamentados no Evangelho; “Frutificar”; e “Festejar” com momentos de confraternização.

Ainda são indicados outros quatro verbos inspirados na relação com os migrantes proposta pelo Papa Francisco: acolher, proteger, promover e integrar.

Veja os infográficos sobre as ações práticas preparado na última edição da revista Bote Fé:

Ações práticas a partir do Texto-base da CF 2020

PRIMEIREAR

Ter iniciativa. São indicadas ações como: ser presença de vida onde não há uma comunidade eclesial missionária; criar espaços de partilha da vida e da experiência de fé; valorizar o protagonismo dos cristãos leigos e leigas por meio de serviços e ministérios; ofertar atendimentos e atividades evangelizadoras em dias, horários e locais acessíveis às pessoas; favorecer o diálogo entre gerações e com a sociedade.

ENVOLVER

No intercâmbio de ternura e cuidado, a CNBB propõe: formação para convivência a partir do resgate de valores humanos; promoção de rodas de conversa sobre a realidade local; promoção e valorização da agricultura familiar e das cooperativas; envolvimento em iniciativas voltadas para a ecologia integral; parcerias com organizações que cuidem da vida a partir dos valores do Reino de Deus.

ACOMPANHAR

Neste conjunto de ideias, são sugeridos processos fundamentados no Evangelho, como iniciativas na perspectiva da iniciação à vida cristã; redescoberta da importância da Liturgia; proximidade missionária com as famílias enlutadas; valorização das celebrações da Palavra de Deus e formação de ministros da Palavra, e programas de visitas missionárias.

FRUTIFICAR

Individualmente, é necessário fazer um exame de consciência tendo em vista o pecado da omissão. A comunidade é chamada a se tornar uma casa da acolhida, da amizade, do fraterno cuidado, com o desafio de chegar ao Domingo da Páscoa do Senhor com novas comunidades formadas. Para a sociedade, o chamado é para redescobrir a esperança como força agregadora do sentido à vida, com os leigos assumindo a participação social e política.

FESTEJAR

Aqui, a indicação é para que não se descuide dos momentos de confraternização na ação evangelizadora, como aniversários, nascimentos e conquistas. Todos são chamados a promover iniciativas que favoreçam a amizade entre as pessoas, como passeios, mutirões, ações caritativas e ecológicas.

4 verbos do Papa Francisco

04 – Planejamento

Para que tudo isso aconteça, a equipe de animação da Campanha da Fraternidade precisa olhar adiante e fazer um planejamento. Devem ser pensadas as ações antes da abertura da campanha, na Quarta-feira de Cinzas, durante o período quaresmal e depois. Algumas perguntas podem ajudar: O quê? Quem? Quando? Assim, são definidas as prioridades, os responsáveis e os prazos.

Antes da CF, o foco pode ser a preparação com estudo do texto-base. Durante a Quaresma, a articulação das iniciativas, a continuidade do estudo e as celebrações quaresmais em família, grupos e comunidades, além da sensibilização para a colaboração fraterna na Coleta Nacional de Solidariedade. Após a Quaresma, a campanha continua com as iniciativas projetadas pelos grupos locais e talvez a apresentação de projetos que podem ser contemplados com os recursos do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS).

CNBB / Portal Kairós

Literatura popular: cordel da Campanha da Fraternidade 2020

Literatura de cordel também conhecida aqui no Brasil como folheto, literatura popular em verso, ou simplesmente cordel, é um gênero literário popular escrito frequentemente na forma rimada, originado em relatos orais e depois impresso em folhetos.

Cordel da Campanha da Fraternidade 2020

Cordel da Fraternidade 2020

Bastinha Job

Fraternidade e Vida,
o dom e o compromisso
um tema que dá guarida
e que ninguém fuja disso;
2020 – A Campanha
ao ser humano acompanha
passo a passo seu problema:
viu e sentiu compaixão,
cuidou dele, do irmão
o pilar forte do lema.

Nessa era de egoísmo
que reina no universo,
consumismo, egocentrismo
tornando o homem perverso;
ver, mas finge que não ver
na frieza a se esconder
não age como humano;
esquece aquela passagem
que explica a fé e a coragem
de um bom samaritano.

Ao longo de muitos tempos
a nossa Igreja católica
ultrapassa contratempos
nessa missão apostólica:
são vários e vários temas,
diversificados lemas,
políticas públicas, saúde
família, ecologia
educação, moradia
e, melhor, dar atitudes.

De modo atento olhar
o próximo, com atenção,
a si, ao outro enxergar
e tomar a decisão:
planeta, ou casa comum
onde dois possam ser um
isso é a grande pedida;
o evangelho ensinou
o Mestre assim rubricou
na prática que é a vida.

A Campanha sempre foca
preceitos dos evangelhos
e tudo que ela enfoca
serve pra moços ou velhos;
Lucas, além de doutor,
foi grande investigador
e nos evangelhos seus
de Marcos e de João
detalham com perfeição
como o fez também Mateus.

A conferência oferece
um panorama completo
referência que se tece
com relevância e afeto:
quaresma em 2020,
ser compassivo é requinte
é ver, sentir e cuidar;
ninguém deve ser omisso
e ter como compromisso
mesmo pouco partilhar.

Com Irmã Dulce dos Pobres
nossa Campanha se alia
pelas atitudes nobres
da Santa, que a Bahia
fez dela a inspiração
de fecunda doação
dedicada a pobreza
a cada um ajudava
bálsamo que aliviava
a dor de tanta incerteza.

Quer a CNBB
a vida em mutirão
que todos, eu e você
sejam verbos de ação
o homem substantivo
é parasita, inativo
deve mudar esse texto;
tem que sentir e ajudar
jamais os braços cruzar;
aí, sim, muda o contexto.

LEIA MAIS

Retiro Quaresmal 2020 dos Jesuítas

Quaresma é tempo de preparação para a Páscoa. Seu itinerário fundamental, para todo cristão, é o da conversão do coração e da solidariedade para com o próximo. A oração é o melhor meio para orientar cada um de nós a viver sua vocação fundamental à santidade.

O que se busca no Retiro Quaresmal ?

Busca-se fazer uma experiência da presença amorosa de Deus na vida cotidiana, experimentar como toda ela está habitada, envolvida e dinamizada pelo amor de Deus. Dessa experiência deverá brotar em nós, como resposta ao amor de Deus, o desejo e a prática de um relacionamento pessoal e amoroso com Ele em todos os momentos e situações de nossa vida.

As pessoas que, nesta experiência, respondem com empenho e fidelidade à graça de Deus, tem obtido como fruto um notável crescimento em sua vida de fé, de oração, na convivência familiar e comunitária, no trabalho pastoral-evangelizador e no desejo de aprofundar sempre mais sua intimidade com Deus.

A Campanha da Fraternidade é o modo com o qual a Igreja no Brasil vivencia a Quaresma. Há mais de cinco décadas, ela anuncia a importância de não se separar conversão e serviço à sociedade e ao planeta. A cada ano, um tema é destacado, assim, a Campanha da Fraternidade já refletiu sobre realidades muito próximas dos brasileiros: família, políticas públicas, saúde, trabalho, educação, moradia e violência, entre outros enfoques.

Em 2020, a CF convida, por meio de seu texto-base, a olhar de modo mais atento e detalhado para a vida. Com o tema “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34), busca conscientizar, à luz da palavra de Deus, para o sentido da vida como dom e compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta, casa comum.

Faça uma boa divulgação da proposta em sua paróquia… Também avisando nas missas, encontros e reuniões das comunidades, fazendo o convite a jovens e adultos (crianças talvez não), mas o bom mesmo é o convite boca-a-boca, você conhece seu povo, sabe de suas lideranças, e o quanto uma experiência assim é importante!

Quem se interessar seria bom fazer a inscrição na secretaria de sua paróquia (nome, pastoral/comunidade, fone e e-mail) para terem uma ideia da quantidade de folhetos a fotocopiar. Deixe bem claro para as pessoas estas exigências básicas:

Elementos básicos para cada pessoa fazer este Retiro Quaresmal são

01 – Dedicar trinta (30) minutos à oração pessoal diária; rever esta oração durante alguns minutos (ver revisão da oração);
02 – Participar de um encontro semanal para partilha da oração, orientações e entrega do material da próxima semana;

– Ver a possibilidade do uso do data-show para abordar algum tema ligado ao tempo quaresmal, a letra dos cantos, etc.
– Ver um grupo pequeno de tocadores/cantores para ajudar no encontro. A música sempre ajuda muito na animação e mística das reuniões;
– Caso o número de participantes seja grande, seria bom contar com a ajuda de algumas pessoas “mais experientes na vida espiritual” (lideranças?) para acompanhar os pequenos grupos de partilha a partir do 2º encontro?

Sugestão para o encontro semanal de partilha

– Ambientação: preparar o lugar com símbolos mais ligados ao tempo quaresmal (tecidos, velas, símbolos que sugerem cada semana da quaresma);
– Iniciar sempre com acolhida e cantos, refrões meditativos para criar um clima mais orante;
– Oração inicial (elementos do ODC);
– Partilha da oração da semana (em pequenos grupos caso tenham muita pessoas);
– Pequena colocação a partir do tema da semana da quaresma (ou/e orientações metodológicas) e distribuição do próximo material;
– Oração final e despedida;

Que tal formarmos uma pequena Equipe para acompanhar este Retiro Quaresmal na Paróquia? Seria bom? Seria possível?

Na Área Especial

Pe. Renato, SJ /  Portal Kairós

Formação da CF 2020 já começou nas regionais pelo Brasil

Encontro de Preparação para a Campanha da Fraternidade 2020, promovido pelo Regional Sul 1

Depois da realização do Seminário Nacional da Campanha da Fraternidade (CF) 2020 realizado de 1º a 3 de outubro deste ano, do qual participaram representantes de todos os 18 regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), regionais e dioceses se mobilizam em encontros de Formação da CF 2020 pelo Brasil.  Com o tema “Fraternidade e vida: dom e compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34), assessores das atividades apostam que esta campanha enfrentará o desafio de sair da “globalização da indiferença” para a “revolução do cuidado” com a vida.

O padre Danilo Vitor Pena, do clero da Arquidiocese de Curitiba (PR), que assessorou encontro realizado em São Paulo, destacou a necessidade de promover trabalho pastoral com vivência madura de fé, que se torne presença e leve a experiências de proximidade. “Não podemos levar apenas uma sopa noturna para quem vive nas ruas e, no dia seguinte, fazer como quem não conhece seu rosto”, provocou o padre Danilo. “Nós queremos agir localmente para influenciar globalmente”, completou, ressaltando a necessidade de unir uma iniciativa individual, eclesial e comunitária com uma iniciativa de busca de solução por meio de políticas públicas, ligando com a temática da CF 2019.

O padre Valdecir Badzinski, secretário executivo da CNBB Sul 2, que coordenou o seminário para as dioceses do Paraná realizado de 26 e 27 de outubro, afirmou que o tema é muito presente e instigante para o contexto atual: “Quando pensamos em fraternidade e vida estamos dizendo que é preciso ter um olhar profundo sobre a vida em todas as instâncias, desde o seu princípio até o seu fim natural e também sobre a vida do planeta, a nossa casa comum”, disse.

Para Mônica Pimentel, coordenadora regional de Campanhas do Nordeste 1, o tema da CF 2020 é de muita responsabilidade para quem é agente de pastoral. “Se nós entendermos a função da campanha e o papel que ela pode desempenhar na vida do agente pastoral, nós podemos fazer um grande trabalho de humanização”, disse. Para ela, a importância desse momento, com a realização dos Seminários Regionais, é preparar as lideranças diocesanas que estão à frente do processo da campanha nas dioceses. Acompanhe, abaixo, um giro sobre os eventos que estão acontecendo e agendados para este ano.

Materiais e subsídios para a Campanha da Fraternidade 2020
Materiais de formação sobre a Santa Dulce

Atividades da CF 2020 realizadas nos regionais da CNBB

Regional Oeste 1
(Regional Oeste/ Diocese de Jardim / Diocese de Dourados)
A Comissão Regional se reuniu, dia 15 de outubro, para o repasse do Seminário Nacional e para preparar o Seminário Regional marcado para os dias 23 e 24 de novembro próximo em Campo Grande.

Regional Sul 1
(Arquidiocese de Campinas)

João Francisco Teixeira – coordenador diocesano da Campanha da Fraternidade, a irmã Maria Bernadete Meneghello – coordenadora diocesana das Pastorais Sociais, e o seminarista Carlos Araki participaram, entre os dias 08 e 10, no Mosteiro de Itaici, em Indaiatuba/SP, do encontro formativo para a Campanha da Fraternidade 2020.

De 8 a 10 de novembro, em Itaici, Indaiatuba (SP), ocorreu, em São Paulo, o Encontro Estadual da Campanha da Fraternidade 2020, que terá como tema “Fraternidade e vida: dom e compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34). Agentes das sete sub-regiões trabalharam os desafios para sair da “globalização da indiferença” para a “revolução do cuidado”. A figura da primeira santa brasileira com dois milagres reconhecidos, Santa Dulce dos Pobres, esteve também presente em toda a reflexão, assim como ocorre nos textos inspiradores propostos pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O Anjo Bom deve será a patrona e inspiradora de ações individuais e comunitárias.

Regional Sul 2

LEIA MAIS