Posts

Reflexão e sugestão para a Festa do Batismo do Senhor 2021 – Ano B

Para: 10/01/2021

Batismo do Senhor 2021 – Ano B

Is 42,1-4.6-7; SI 28; At 10, 34-38; Mc 1,7-11

Batismo do Senhor 2021

Reggio Emilia – O ícone do Batismo de Jesus nas iconostas na igreja Chiesa di San Giorgio em Reggio Emilia desde o século 20.

Cartaz Batismo do Senhor 2021 (Alta Qualidade):

A vida cristã começa com o Batismo. Os evangelhos narram que Jesus começou sua vida pública ao se deixar batizar por João Batista, no Rio Jordão. Marcos, em seu Evangelho, que vai nos guiar neste Ano Litúrgico, também inicia seu livro com o batismo de Jesus, contando seus gestos e suas palavras durante seu ministério evangelizador. Os sinais grandiosos, que se manifestam no batismo de Jesus, revelam-nos a Trindade Santa. É como se Marcos iniciasse seu Evangelho “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. O Espírito desce sobre Jesus em forma de pomba, e a voz do Pai, vinda do céu, atesta que Jesus é o Filho bem amado. Por meio dessa manifestação do Espírito, o batismo recebe um novo e profundo significado. As pessoas batizadas pela água se tornam templos de Deus, já que o Espírito de Jesus habita nelas com toda sua força e plenitude (cf. ICor 3,16).

A primeira leitura, do profeta Isaías, ajuda-nos a compreender a missão de Jesus. O batismo o revela como o Servo de Deus, obediente ao Pai e aos apelos do povo. Ao se deixar batizar por João; Ele torna-se um sinal da presença de Deus, colocando-se em uma atitude de serviço às pessoas mais humildes. Jesus mostra que Deus vem em socorro dos pobres, dos enfermos, dos marginalizados. Para Jesus colocar-se a serviço dos pobres não será uma opção fácil. Haverá reações e resistências a sua proposta. O Servo de Deus é também o Servo Sofredor. Jesus viverá sua paixão por fidelidade ao Pai e à Humanidade. Jesus vem para servir aos pobres e necessitados, aos que estão excluídos da convivência humana por causa dos preconceitos e das violências.

A segunda leitura nos apresenta Jesus como o anúncio vivo da Boa-Nova de Deus. Por meio da boca de Pedro, recebemos o anúncio da comunidade cristã primitiva. Deus unge Jesus com o Espírito e o poder para anunciar a Boa Notícia do Reino de justiça, paz e alegria. Na missão de Jesus, Deus cumpre todas as suas promessas. Sendo o guia da caminhada do povo em direção ao Reino, Jesus age em nome do Pai, trazendo uma resposta aos anseios mais profundos do ser humano. Dessa fidelidade de Jesus ao Pai e ao povo, surge sua autoridade para agir e falar, para ensinar e conduzir. Verdadeiramente, Ele é o Filho de Deus.

Sugestões litúrgicas para a Festa do Batismo do Senhor 2021 – Ano B

– Diante do altar: deixar bem visível para o povo os elementos, os símbolos, os objetos que são usados no sacramento do Batismo.
– Procissão de entrada: pedir para algumas crianças entrarem com frases sobre o que significa a teologia, a catequese do Batismo: Pertença ao Reino, Compromisso, Missão de Jesus e minha, Vida nova, Filho e filha de Deus, Comunidade, Bênção do Céu…
– Batismo: poderá ser celebrado um batismo nessa celebração, se for conveniente para a Comunidade, pois significativo o é, sem dúvida. É bom pensar sobre isso e procurar realizá-lo.

Sugestões de repertório para a Festa do Batismo do Senhor 2021 – Ano B (O Domingo)

Abertura: Eis que veio
Aclamação: Aleluia! Pois nós vimos
Oferendas: Cantai ao Senhor
Comunhão: Da cepa brotou

Cifras e partituras das sugestões CNBB

Semanário litúrgico – catequético – Cantos para a Celebração – Batismo do Senhor 2021

 

Áudios para a Festa do Batismo do Senhor 2021 – Ano B CNBB:

 

Padre Anísio Tavares, C.Ss.R. / Portal Kairós

Leituras de Domingo: Festa do Batismo do Senhor 10/01/2021

Leituras de Domingo

(Branco, glória, creio, prefácio próprio – ofício da festa)

Batizado o Senhor, os céus se abriram e o Espírito Santo pairou sobre ele sob forma de pomba. E a voz do Pai se fez ouvir: Este é o meu Filho muito amado, nele está todo o meu amor! (Mt 3,16s)

Concluindo o ciclo do Natal, reunimo-nos para celebrar o Batismo de Jesus. Contemplemos nesta festa a proclamação de Jesus como o Filho querido e amado de Deus que assume publicamente a missão recebida de seu Pai. A páscoa de Cristo se revela e continua em todos os batizados conscientes e comprometidos com o Reino da justiça e da paz.

Primeira Leitura: Isaías 42,1-4.6-7

Leitura do livro do profeta Isaías – Assim fala o Senhor: 1“Eis o meu servo – eu o recebo; eis o meu eleito – nele se compraz minha alma; pus meu espírito sobre ele, ele promoverá o julgamento das nações. 2Ele não clama nem levanta a voz, nem se faz ouvir pelas ruas. 3Não quebra uma cana rachada nem apaga um pavio que ainda fumega, mas promoverá o julgamento para obter a verdade. 4Não esmorecerá nem se deixará abater, enquanto não estabelecer a justiça na terra; os países distantes esperam seus ensinamentos. 6Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o centro de aliança do povo, luz das nações, 7para abrires os olhos dos cegos, tirar os cativos da prisão, livrar do cárcere os que vivem nas trevas”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 28(29)

Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!

1. Filhos de Deus, tributai ao Senhor, / tributai-lhe a glória e o poder! / Dai-lhe a glória devida ao seu nome, / adorai-o com santo ornamento! – R.

2. Eis a voz do Senhor sobre as águas, / sua voz sobre as águas imensas! / Eis a voz do Senhor com poder! / Eis a voz do Senhor majestosa. – R.

3. Sua voz no trovão reboando! / No seu templo, os fiéis bradam: “Glória!” / É o Senhor que domina os dilúvios, / o Senhor reinará para sempre! – R.

Segunda Leitura: Atos 10,34-38

Leitura dos Atos dos Apóstolos – Naqueles dias, 34Pedro tomou a palavra e disse: “De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas. 35Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença. 36Deus enviou sua palavra aos israelitas e lhes anunciou a Boa-nova da paz por meio de Jesus Cristo, que é o Senhor de todos. 37Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do batismo pregado por João: 38como Jesus de Nazaré foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder. Ele andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os que estavam dominados pelo demônio, porque Deus estava com ele”. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Marcos 1,7-11

Aleluia, aleluia, aleluia.

Abriram-se os céus e fez-se ouvir a voz do Pai: / Eis meu Filho muito amado; escutai-o, todos vós! (Mc 9,7) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 7João Batista pregava, dizendo: “Depois de mim virá alguém mais forte do que eu. Eu nem sou digno de me abaixar para desamarrar suas sandálias. 8Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo”. 9Naqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galileia e foi batizado por João no rio Jordão. 10E logo, ao sair da água, viu o céu se abrindo e o Espírito, como pomba, descer sobre ele. 11E do céu veio uma voz: “Tu és o meu Filho amado, em ti ponho meu bem-querer”. – Palavra da salvação.

Reflexão

João Batista cumpre sua missão encomendada por Deus, isto é, prega a vinda do Messias e batiza com água. E avisa: “Depois de mim, vem aquele que é mais forte do que eu”. Anuncia, pois, a chegada de outro superior a ele em força, pois possuirá a plenitude do Espírito Santo. Será superior a ele também quanto à missão, que consistirá em fundar uma sociedade nova (nova aliança). A Jesus caberá o papel de esposo da nova comunidade. “Tirar as sandálias” significa justamente apropriar-se do direito de esposo. Será com o Espírito Santo e com água que Jesus formará o homem novo, fundamento e construtor da nova sociedade, etapa terrena do Reino de Deus. A expressão “viu os céus se rasgando” indica que, a partir de Jesus, se estabelece total e permanente comunicação entre Deus e o ser humano.

Oração

Ó Jesus de Nazaré, quiseste ser batizado por João. Na hora do batismo, o céu se manifestou: o Espírito desceu sobre ti em forma de pomba, e a voz do Pai celeste confirmou que és seu Filho amado. Ajuda-nos a compreender que, pelo batismo, nos tornamos habitação da Santíssima Trindade. Amém.

 

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp / Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós

10 de janeiro – Festa do Batismo do Senhor 2021

Festa do Batismo do Senhor 2021

A festa do Batismo do Senhor nos recorda que Jesus assumiu com amor a missão que o Pai lhe confiou. Pelo sacramento do batismo, também nós recebemos o Espírito Santo, tornamo-nos filhos e filhas amados de Deus e participamos da missão de Cristo de anunciar o Evangelho a todas as pessoas. Esta liturgia renove nossa fé e nos encha de alegria pelo dom do batismo que recebemos.

A fé que recebemos no batismo nos torna irmãos e irmãs para vivermos o amor a Deus e ao próximo.

BATISMO DO SENHOR – O CÉU SE ABRIU

Santo Ambrósio de Milão dizia que o batismo é um desígnio de Deus e que nesse desígnio só há graça. O batismo, portanto, é a vontade divina de nos fazer plenamente felizes, santos. Não por nosso merecimento, mas porque o Senhor, na sua infinita misericórdia, permite que mergulhemos no mistério profundo do amor.

Simbolicamente, ser batizado é a entrada na Terra Prometida. Olhando pelo retrovisor da história da salvação, somos o “resto” do povo salvo pelas “águas do dilúvio”. Somos o povo que passou a pé enxuto pelo mar Vermelho. Atravessamos também as águas do Jordão. Ali, tomamos posse da Terra da Promessa. Isto é, entramos na Igreja.

O batismo de conversão, realizado por João no Jordão, recorda justamente a libertação do povo. O pecado é o peso da opressão que o povo carrega. Jesus une-se ao rito de conversão porque é solidário à humanidade sofredora.

O céu aberto revela a intimidade de Jesus com o Pai. O Senhor rasga o céu para instaurar o Reino. O Espírito que desce é a força amorosa e transformadora. Essa força renova o mundo. É um sopro sereno, não um vendaval. A pomba, por sua vez, evoca a ideia da ave mensageira, surgida após a devastação do dilúvio. Ela é a comunicação do divino com o humano. Ali o plano original de Deus é restabelecido. A voz do céu é Deus se derramando de amor. Essa mesma voz ecoará no grande grito, naquele dia, no alto da cruz. Verdadeiramente, Jesus é Filho de Deus. Nele está todo o bem-querer, a alegria, a realização do Pai. Em Jesus acontece aquilo que agrada a Deus.

O mesmo Espírito que desceu sobre Jesus desce sobre nós, batizados. Nossa missão é viver e fazer o que ele fez. Jesus só fez o bem. Por meio dele, o céu está aberto para nós.

 

Pe. Antonio Iraildo A. de Brito, ssp / Portal Kairós

12 de janeiro de 2020: Batismo do Senhor

Batismo do Senhor

A festa do Batismo de Jesus o revela como o Filho amado que tem sobre si o Espírito de Deus para conduzi-lo em sua missão. Esta liturgia nos ajude a recordar que nós também somos filhas e filhos amados do Pai e chamados a ser, no mundo, sinais do seu amor e da sua bondade.

Pelo batismo, participamos da mesma missão de Jesus de anunciar, com palavras e obras, o reino de Deus a todas as pessoas.

BATIZADOS PARA A MISSÃO

O episódio do batismo de Jesus, relatado no evangelho de hoje, conclui a etapa “silenciosa” da sua vida e inaugura nela uma nova fase. É como que uma segunda epifania, a manifestação de Jesus ao mundo como “Filho amado” do Pai. Sua missão profética e messiânica é revelada à humanidade não mais pela estrela, mas pela voz de Deus.

Jesus, ao se abaixar ao nível dos pecadores – embora sem nunca ter pecado – e entrar na fila para receber o batismo de João, revela-nos a opção de sua missão: pôr-se ao lado dos mais humildes, dos pecadores e desprezados pela sociedade. Ao dizer “eu preciso ser batizado por ti”, João Batista exprime a percepção de que Jesus estaria errado ao pedir o batismo, mas o profeta acaba aceitando esse pedido como vontade de Deus. O Mestre fala da exigência de “cumprir toda a justiça”. O termo justiça é muito caro no Evangelho de Mateus. Justa é a pessoa que se mostra fiel ao compromisso com a vontade divina.

Ao sair da água, o céu se abre. Já não há barreira entre o céu e a terra, entre o divino e o humano. A partir de então, nada impede o ser humano de ter acesso a Deus e fazer experiência com ele. Para nós, cristãos, autêntico caminho para o Pai é Jesus, que, por fim, é proclamado seu Filho amado. Ele é realmente divino e humano, capaz de cumprir a vontade do Pai. É o Deus encarnado que veio morar entre nós. Eis aí o grande mistério de um amor capaz de se abaixar ao nível dos pecadores para lhes conceder a santidade divina.

Com o batismo, Jesus inicia sua missão. E seu batismo nos faz descobrir o nosso, com o qual somos também proclamados filhas e filhos amados de Deus. Eis nossa grande alegria: sermos chamados filhas e filhos do Pai e sermos revestidos de uma dignidade que nos torna para sempre preciosos aos seus olhos. Pelo batismo, tornamo-nos membros da comunidade Igreja e, abrindo-nos à ação do Espírito Santo, recebemos uma missão para cumprir.

 

Pe. Nilo Luza, ssp / Portal Kairós

13 de janeiro: Batismo do Senhor

O BATISMO DE JESUS E O NOSSO BATISMO

“A festa do Batismo do Senhor, que hoje celebramos, nos recorda que todos somos filhos e filhas amados de Deus. O Pai do céu hoje nos chama a ouvir a sua voz e participar da missão de Jesus de anunciar ao mundo o amor, a fraternidade, a paz e a alegria da salvação”

LIÇÃO DE VIDA:
Pelo batismo nos tornamos todos irmãos e irmãs na fé, chamados a viver no amor a Deus e ao próximo.

Revestido do Espírito Santo e confirmado como Filho de Deus, Jesus inicia, de modo solene, a missão para a qual o Pai o enviou. No seu batismo, sentimos fortemente a presença da Santíssima Trindade: o Pai apresenta o Filho Jesus, e o Espírito Santo o consagra para a implantação do reino de Deus no mundo.

Ao juntar-se à multidão que João batizava, Jesus se mostra como aquele que assume os pecados da humanidade. Coloca-se no mesmo nível dos pecadores, os quais ele veio redimir e salvar. A esse respeito, o apóstolo Paulo escrevia aos coríntios: “Aquele que não conheceu pecado, por nós Deus o tratou como pecador, para que nós, por seu intermédio, fôssemos justos diante de Deus” (2Cor 5,21).

O batismo de Jesus é, na verdade, o grande momento da manifestação solidária da Santíssima Trindade. A voz do Pai celeste ecoa e esclarece: “Tu és o meu Filho amado, em ti ponho o meu benquerer”. Esse amor do Pai sustenta toda a vida de Jesus, incluindo a hora de sua morte na cruz: “Pai, em tuas mãos entrego meu espírito” (Lc 23,46). Quanto ao Espírito Santo, ele paira sobre Jesus, em forma corpórea de pomba, símbolo da criação (cf. Gn 1,2) e da nova criação (cf. Gn 8,8-12). Movido pelo Espírito de Deus, Jesus realiza nova criação. São Paulo afirma: “Se alguém está em Cristo, é nova criatura. As coisas antigas passaram…” (2Cor 5,17).

Pois bem, toda a realidade que envolve o batismo de Jesus é o que acontece quando uma pessoa é batizada em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Existe, porém, um perigo: que a catequese oferecida hoje a pais e padrinhos de batismo acentue aspectos secundários (roupa, horário, fotografia, certidão) e trate de modo superficial os aspectos fundamentais (implicações do batismo, compromissos com a Igreja).

O fato é que, a partir do batismo, passamos a pertencer à comunidade de Jesus Cristo. Nosso distintivo é a prática do amor a Deus e ao próximo. Assumimos responsabilidades com a Igreja e adquirimos o direito de participar da sua vida litúrgica e sacramental. Na qualidade de discípulos e discípulas de Jesus, decidimos caminhar no ritmo dele, observar o que ele nos ordena, certos de que ele é o único Caminho que nos leva ao Pai.

 

Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp

Downloads

Folhetos da Festa do Batismo do Senhor 2021 – 10/01/2021 para imprimir

Cartaz Batismo do Senhor (Alta Qualidade)