Posts

Hoje leve Maria para sua casa

A presença de Nossa Senhora não pode faltar, porque ela é o grande e verdadeiro remédio para todas as nossas dores, para todas as dificuldades pelas quais a nossa família passa. Portanto, não tenha receio, traga ela depressa para a sua casa. Fale com seu jeito, seu coração, suas palavras e, se não conseguir, fale com seus gestos. Ela não pode faltar na sua casa!

Mesmo que você já tenha levado antes, neste 12 de outubro, de maneira especial, segure na mão de Maria. Precisamos lutar contra as tribulações que vêm contra nós. O mundo não nos quer no novo céu nem na nova terra, mas Nossa Senhora estará sempre conosco nos momentos bons e nos ruins. Busquemos a presença dela em nossas vidas.

Maria tem triunfado, tem vencido as lutas e ainda triunfará muito mais no decorrer de nossa história. Ela terá a primeira participação no triunfo da Terra, e virá com Jesus buscar Seus filhos. Nossa Senhora virá para que nós também sejamos ressuscitados com ela.
Um dia, estaremos com o corpo ressuscitado, na glória, como Maria. Essa é a grande verdade! Meus irmãos, toda morte, todo luto, toda dor desaparecerá. Tudo passará! É claro que existe dor, mas se até Maria passou por ela, nós também passaremos. O próprio Senhor enxugará todas as nossas lágrimas.

Hoje, mais uma vez, Nossa Senhora vem nos dizer que está conosco. Tenhamos essa certeza: somos filhos de Maria, temos uma Mãe, nossa protetora.

Obrigado Nossa Senhora, porque és nossa Mãe e nos visitas. Obrigado por entrar em nossa vida, fazer parte do que vivemos. Anuncia-nos para uma nova terra, para junto de ti, para que assim participemos do teu triunfo.

 

Seu irmão,
Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova, presidente da Fundação João Paulo II, mantenedora do Sistema Canção Nova de Comunicação, em Cachoeira Paulista (SP) e reitor do Santuário do Pai das Misericórdias. É um dos religiosos que mais se destacou utilizando os meios de comunicação na ação evangelizadora da Igreja Católica, na América Latina. Autor de 57 livros, CDs e DVDs, além de várias palestras em áudio e vídeo.

 

Canção Nova / Portal Kairós

A restauração da imagem de Nossa Senhora Aparecida

No Domingo, 19 de agosto, foram lembrados os 40 anos da restauração da imagem original de Nossa Senhora Aparecida, depois de ela ter sido atacada, profanada e quebrada em mais de 200 pedaços, no dia 16 de maio de 1978. Uma artista habilidosa, Maria Helena Chartuni, fez o trabalho primoroso de restauro, devolvendo novamente à pequena e simples imagem de Nossa Senhora Aparecida o seu aspecto original.

O fato foi recordado numa Santa Missa celebrada na Catedral Metropolitana de São Paulo, antes que a imagem seguisse para a Basílica Nacional, acompanhada por festiva carreata de São Paulo até Aparecida (SP), exatamente como foi há 40 anos, após o restauro. Os Missionários Redentoristas organizaram o evento, contando com sua experiência de evangelização popular.

Antes da partida do cortejo, à frente da Catedral da Sé, foi apresentada a simbologia do restauro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, a começar pela experiência da própria artista que executou o trabalho. Ela conta em seu livro “A história de dois restauros” (2018) como o processo da recuperação da pequena imagem significou para a sua própria vida um processo de recuperação de sua fé e do sentido de sua vida. Escreve ela: “espero que este depoimento ajude, de alguma forma, muitas pessoas perdidas, sem esperança, como fui um dia, e que a fé em algo maior que nós mesmos as ajude a encontrar paz e o equilíbrio necessários para caminhar com mais alegria e confiança neste mundo conturbado em que vivemos todos, no mesmo barco que ameaça naufragar, diante dos graves problemas atuais”.

A restauração da imagem da Padroeira do Brasil acaba sendo uma mensagem para os nossos tempos. A destruição dessa imagem simples e pequena, embora de imenso valor simbólico para nós e para nossa fé, causou enorme comoção entre católicos e não católicos. Sua restauração trouxe igualmente grande alegria ao coração dos milhões de devotos da Virgem Mãe Aparecida. Mas não devemos esquecer que existe uma imagem infinitamente mais preciosa em nós mesmos, que não deve ser descuidada, nem destruída. Cada pessoa traz em si a imagem e semelhança de Deus!

Essa imagem viva de Deus nos dá uma dignidade imensa e inimaginável. Quantas vezes esquecemos isso e desrespeitamos essa imagem em nós e no próximo! Quanta imagem de Deus profanada pelo pecado, aviltada pela discriminação e o desprezo, humilhada pela miséria e a violência! Imagens manchadas pelo pecado, pelos vícios, aviltadas pela degradação moral… Quanta imagem preciosa por aí necessitada de restauro para recuperar a sua beleza e dignidade originária!

Nossa Senhora Aparecida nos faz pensar em nossa Pátria, cuja imagem não anda boa por esses tempos. Muita violência, corrupção e injustiças sociais, perda dos valores morais, degradação social, humores agressivos e até ódio de grupos antagônicos, como nunca antes se viu no meio deste povo pacífico! Uns perdendo a paciência, outros a compostura, outros a fé e a esperança em dias melhores! Ficamos quebrados, não apenas política e economicamente, mas também moralmente! É preciso restaurar a imagem do Brasil! Todos nós podemos ser os artistas, que colocam mãos à obra para juntar os cacos dessa imagem quebrada e recuperar a autoestima perdida.

O Brasil tem urgente necessidade de recuperar a confiança em si mesmo, contando, para isso, com a participação generosa de todos os seus filhos. Vale parafrasear o conselho de um grande político: “não perguntes o que o Brasil pode fazer por ti. Pensa naquilo que tu podes fazer pelo Brasil!” O tempo da campanha eleitoral pode ser bem mais do que a busca de argumentos para superar um partido ou um candidato concorrente: este deveria ser um tempo de reflexão e de busca de convergência sobre aquilo que será útil para o Brasil e ajuda a construir a cidadania.

Que a imagem restaurada de Nossa Senhora Aparecida nos ensine a fazer a nossa parte na recuperação da imagem do nosso Brasil! Que a “Mãe de Deus e nossa, nos ajude a cuidar bem da nossa dignidade de filhos e filhas de Deus e a promover o reconhecimento e respeito pela dignidade dos irmãos”. Que a Senhora Aparecida interceda por nós e pelo povo brasileiro!

 

Cardeal Odilo Pedro Scherer
Arcebispo de São Paulo

CNBB / Portal Kairós

Pe. Zezinho: romeiros de pés inchados

Romeiros de Aparecida, de Belém, Fátima, de Santiago de Compostela e de outros lugares de peregrinação ao redor do mundo, em geral terminam a peregrinação com os pés inchados e feridos.

Então, porque fazem isso? Em 85% a 90% dos casos, segundo enquete, caminham para agradecer por graça alcançada. Prometeram e agora cumprem. Acreditam que Jesus vê e que os santos a quem pediram intercessão junto a Jesus estão vendo.

Mas o mais bonito é que mais de 80% dos romeiros de pés inchados e joelhos esfolados fazem isso por pai, mãe, irmão, filhos e até por amigos. Os médicos não acharam a cura, mas Nossa Senhora ou o santo intercederam junto a Jesus e caminharam dois ou três dias, uma semana, 100 a 300 km para agradecer ou pedir.

Católico crê em prece solidária. Ora e se sacrifica pelo outro que não pode. Faz parte da nossa ascese e da nossa Teologia.

E como cremos que o céu está apinhado de Santos que já se salvaram, nada mais justo que peçamos que intercedam junto a Jesus por nós. Jesus leva a gente para o Pai onde faz trindade com o Espírito Santo. É a nossa ascende: amar como Jesus e levar um pedaço da Cruz dos outros. MARIA estava lá, aos pés da Cruz do Filho.

Cristão que não leva a própria Cruz e não carrega ao menos um pedaço da Cruz dos outros não entendeu Jesus. A recomendação foi dele.

Admiro romeiros de pés inchados e joelhos esfolados. Quando passam do limite os padres aconselham a levar a Cruz de outro jeito para que sua penitência não acabe num hospital. Mas que é bonito orar e ajudar os outros, isto é!

Romeiros saem de casa e caminham longe, mais para agradecer e pedir graças para os outros do que para si mesmos. E Deus vê tudo isso.

Fico em Aparecida onde me escondo e, de lá, vejo o povo católico orando mais pelos outros do que para si mesmos.

Entre eles há muita gente santa! É uma das minhas alegrias de padre e de católico!

A Catedral Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, também conhecida como Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, é um templo religioso católico localizado no município brasileiro de Aparecida, no interior do estado de São Paulo. É o maior templo católico do Brasil, segundo maior do mundo, menor apenas que a Basílica de São Pedro no Vaticano.

Romarias de súplica e de gratidão!

No grande dia dos 300 anos do resgate da imagem com sinais de que não foi por acaso, penso nos romeiros que caminham para os santuários de Aparecida e de Belém do Pará.

E minha experiência com eles é que caminham para suplicar a intercessão de Maria junto ao seu Filho Jesus. E caminham para agradecer as graças recebidas. E a maioria ora mais pelos outros do que por si mesma.

É uma das catequeses mais sólidas da nossa Igreja. Orar mais pelos outros do que em proveito de si mesmo.

Gosto desses romeiros. Tudo termina no sacrário porque 99% são corações solidários!

 

Pe. Zezinho, scj

A grande festa dos romeiros rumo a Aparecida

Rumaram para orar

Passei pela via Dutra que leva a Aparecida, como passei pelas estradas que levaram a Fátima, a Guadalupe. Em Aparecida fui conversar com os romeiros que caminharam 80, 200, 300 km.

Romeiros rumam na Itália, no Brasil, na Espanha, em Portugal, no México, na França para suplicar, pedir graças ou simplesmente para agradecer.

Romeiros são fiéis que rumam para algum lugar de oração para juntos com outros católicos, agradecer a Jesus, a Maria, mãe dele, ou a algum apóstolo ou santo que imitou Jesus em vida. Lá agradecem e pedem para amar como Jesus Amou. Fiz isso em Assis há 15 dias e estou fazendo esta semana em Aparecida,

Este mês os católicos estarão orando em Aparecida e em Belém no próximo dia 12 de outubro. É claro que não vão adorar aquelas imagens de Maria.

Somos suficientemente inteligentes para usar velas sem pôr fogo na casa, usar facas sem cortar os dedos e usar imagens de Jesus e de Maria sem adorar aquelas representações de ferro, argila ou barro. Não são nem Jesus, nem Maria, mas lembram quem eles foram.

Mas, como alguma coisa aconteceu há 300 anos em Aparecida e algumas décadas depois em Belém, os católicos lembram Maria cuja imagem foi pescada das águas e em Belém do Pará outro prodígio está sendo lembrado.

Adoramos Jesus e veneramos sua mãe! Somos católicos e temos este direito de ser cristãos desde modo!

 

Só uma observação…
Comportamento no Facebook deste Padre

Chamou-me de ignorante

Três vezes na minha página do Facebook ele me chamou de ignorante.

Na terceira vez entendi que ele não me considerava digno de dialogar com ele. Eu era ignorante demais para debater com ele que também leciona numa universidade.

Então o excluí. E ele escreveu que eu o agredira e que eu era intolerante e incapaz de diálogo, como o Concílio Vaticano II apregoava.

Você não precisa saber o nome dele. Basta saber que existe gente que quer o púlpito dos padres para dizer o que ele pensa como leigo para os seus ouvintes e leitores.

Na Igreja Católica quem prega no púlpito é o padre. Ao leigo cultíssimo e doutor, cabe pregar na internet e na sua própria página. Por enquanto, por mais culto que seja um leigo, ele não pode assaltar um púlpito e de lá pregar para outros leigos.

Assim, eu não invado a página de um leigo avançado ou conservador e ele não invade nem o meu púlpito, nem a minha página. É assim que funciona o púlpito católico. E também em todas as igrejas cristãs! Estamos conversados?

 

Pe. Zezinho, scj
https://www.facebook.com/padrezezinhoscj/posts/867160346766385

Nossa Senhora Aparecida entre nós

Nossa Senhora Aparecida está definitivamente entre nós. A imagem da Santa Padroeira, que peregrinou desde o início do ano passado, pelas Paróquias da Arquidiocese da Paraíba, ganhou um santuário nas dependências do Hospital Padre Zé, no bairro de Tambiá, em João Pessoa. Os filhos devotos podem ir em qualquer horário fazer orações e prestar homenagens a Ela.

No Padre Zé, a Padroeira do Brasil abençoa os paraibanos que precisam de amparo e assistência médica e que encontram no Hospital a única saída para um atendimento digno e de qualidade, com humanização. A caridade está presente nessa unidade, que é filantrópica, recebendo recursos do SUS, mas que depende principalmente de doações para permanecer de portas abertas. Há também parcerias com instituições como o Unipê.

São 110 leitos, sendo 60 de clínica médica, e 50 leitos numa unidade para aquelas pessoas, maioria idosos, que precisam de uma atenção maior por um período mais demorado de recuperação. É grande a diversidade de serviços oferecidos gratuitamente no Hospital, que hoje dá prosseguimento ao trabalho do seu criador, o Mons. José da Silva Coutinho – o Padre Zé. Tem laboratório de análises clínicas, unidades de fisioterapia, de radiodiagnóstico e de ultrassonografia, e ainda serviços de assistência social e psicológica, sem contar as consultas médicas em várias especialidades. No ano passado foram quase 20 mil pacientes atendidos. E a população mais carente vai poder contar, em breve, com mais opções, como atendimento em pediatria.

A imagem peregrina de Aparecida, que agora repousa em território arquidiocesano, veio nos preparar para a festa do Jubileu dos 300 anos da aparição da imagem original no Rio Paraíba do Sul, em São Paulo, que acontece no próximo mês de outubro. Este tempo é, para nós, de grande alegria e evangelização. Está sendo uma bênção para o nosso povo poder contemplar a Imagem da Rainha e Padroeira do Brasil de perto, podendo rezar e pedir a sua bênção e a sua intercessão! Aprendamos com Ela a fazer tudo o que Jesus nos diz!

Aproveito este espaço para fazer uma reflexão sobre as Bodas de Caná, quando Maria auxiliou o início da missão de Jesus com o milagre da transformação da água em vinho. Comparo aquela situação com o cotidiano das famílias hoje em dia. Todas as famílias passam por algum tipo de problema, mas é importante não perder a coragem e a fé. Não excluam Jesus de vossas casas. Convidem a Mãe Aparecida para a festa da vida de vocês, e então teremos sempre o vinho da alegria, o vinho do amor.

 

Dom Manoel Delson
Arcebispo da Paraíba
CNBB

 

Baixe materiais especiais para seu grupo