Hora da Família e Vida – Pastoral Familiar

Lançado o Hora da Família 2021, confira!

Hora da Família: 25 anos evangelizando

Hora da Família 2021

Durante o 11º Simpósio Nacional das Famílias, realizado no sábado (29/05/2021), a Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF) lançou o Hora da Família 2021. Na ocasião, também foi comemorado os 25 anos do material informativo que apoia a Igreja em todo o País a celebrar a Semana Nacional da Família. O casal coordenador nacional da Pastoral Familiar, Luiz e Káthia Stolf, fez uma recordação sobre a história do subsídio e apresentou o tema que será celebrado entre os dias 8 e 14 de agosto deste ano: Alegria do amor na família!

A iniciativa de trazer este tema é para celebrar o Ano Família Amoris Laetitia, iniciado no dia de São José (19 de março). Em 2021, a Exortação Apostólica do Papa Francisco comemora cinco anos de lançamento. O casal Hermelinda e Arturo, que fizeram parte do Sínodo das Famílias, estão na capa do livreto acompanhados do Santo Padre. O material foi desenvolvido em parceria da Pastoral Familiar com diversos serviços e movimentos que trabalham com a espiritualidade familiar. “De norte a sul do Brasil, as paróquias, as famílias refletem, aprofundam e se catequizam através do Hora da Família” disse Káthia.

Na ocasião foi possível conhecer os casais que trabalharam na edição deste ano. Eles fizeram uma roda de conversa para trocar experiências de como foi escrever os temas e o que isso representou para cada um deles. Ronaldo e Tatiana, coordenadores do setor de pós-matrimônio da Pastoral Familiar nacional, relataram a sensação. “A Amoris Laetitia veio trazer essa grande contribuição. A gente não pode ser misericordioso, se faltar com a verdade. Ao mesmo tempo, podemos continuar sendo verdadeiros e justos com a Palavra de Deus, com a doutrina Católica e tendo compaixão, porque somos todos pecadores” disse Tatiana.

Além de Ronaldo e Tatiana, o casal Claudio e Corina, que colaboram no Encontro Matrimonial Mundial, Brito e Cris, representantes do movimento das Equipes de Nossa Senhora, Fernandes e Newmann, do Caminho Neocatecumenal, e Carlos e Viviani, do Movimento dos Focolares também compartilharam suas experiências. “O matrimônio que para frutificar é necessário morrer. E não é uma morte física, mas sim a morte do dia-a-dia, da própria vontade, do egoísmo, do saber cala. A gente deve sempre lembrar que vivemos em prol da felicidade da família e que devemos viver servindo a Deus e ao irmão”, disse Viviane, dos Focolares.

Saiba Mais

Leia mais

8 de outubro: o Dia do Nascituro (aquele que há de nascer)

Dia do Nascituro

O dia do nascituro, celebrado no dia 8 de outubro, encerra a Semana Nacional da Vida (1 a 7 de outubro).

Em 2020, a Semana Nacional da Vida, em sintonia com a Campanha da Fraternidade, escolheu por tema: Vida: Dom e compromisso. O objetivo é destacar o valor da vida humana, como dom de Deus, e à necessidade de promover o cuidado deste dom desde a concepção até o seu fim natural.

A Semana Nacional Vida foi instituída, em 2005, durante a 43ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O Dia do Nascituro é dedicado às crianças que são gestadas nos ventres de suas mães. A data celebra o direito à proteção da vida, à saúde, à alimentação, ao respeito e a um nascimento sadio. O objetivo é suscitar a consciência do sentido e valor da vida humana em todos os seus momentos.

No vídeo a seguir, Dom Bruno Elizeu Versari, bispo de Campo Mourão e referencial para a Pastoral Familiar no Paraná, concede a bênção aos nascituros, às gestantes e a todas as pessoas.

Hoje celebramos o Dia do Nascituro. Momento ainda mais propício de demostrar das mais diversas maneiras, o nosso amor pela vida em todas as suas instancias:

Este é “o grande momento de dizermos ‘obrigado, Senhor pela vida, por este grande milagre que acontece em cada ser humano que vem à existência'”, nos recorda o bispo de Rio Grande (RS) e presidente da Comissão para a Vida e a Família da CNBB, dom Ricardo Hoepers.
Nesta Semana Nacional da Vida, refletimos o tema Vida: dom e compromisso.
Encerremos este momento que somou ricas experiências de oração e testemunho em todo o país nos unindo em três preces: pelos bebês, pelas mães e pelo Brasil.

Recordamos e celebramos a vida que brota no ventre das mães e também os que protegem corajosamente os que ainda não nasceram.

Portal Kairós

No Dia do Nascituro 2020, conheça mães que escolheram pela vida

Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB faz balanço da Semana da Vida e fala sobre importância do Dia do Nascituro

Dia do Nascituro 2020

“Milagre” e “Filho de Deus”. Essas são também as formas encontradas pela produtora de rádio e televisão, Ângela Aparecida Menezes, e pela arquiteta, Paula Caroline Marchi Corrêa, ambas mães, para se referir ao nascituro, celebrado nesta quinta-feira, 8 de outubro. Nascituro, de acordo com Antonio Roberto Hildebrand – autor do “Dicionário Jurídico”, é todo aquele que já foi concebido, cujo nascimento se espera.

Paula e Ângela viveram períodos gestacionais difíceis e, mesmo assim, optaram por seguir com a gravidez e assegurar o nascimento de seus filhos.

Para a produtora de rádio e televisão, o aborto foi uma opção no início de sua primeira gravidez. “Vivi na minha primeira gestação um momento de não aceitação. Tentei abortar por três vezes através da ingestão de remédios, mas não deu certo. Depois me indicaram uma clínica de aborto”, relata.

Ângela conta que chegou a ir até a clínica, mas que, momentos antes do procedimento, quando ouviu o coração do bebê, mudou de ideia. “Percebi que não era meu corpo, que era um outro corpo, um outro ser e que aquela criança dentro de mim era uma outra pessoa. (..) Quando ouvi o coração do bebê, ouvi Jesus falar comigo”.

Depois da escolha por seguir com a gravidez, a produtora de rádio e televisão passou por momentos de incerteza: como havia tomado três doses do remédio abortivo, tudo indicava que seu bebê nasceria com alguma deficiência. Angela revela que, após um cenáculo conduzido pelo Monsenhor Jonas Abib no Estádio do Morumbi, em São Paulo, passou a entregar seu filho e seu parto ao Espírito Santo.

“Por experiência própria posso afirmar, com propriedade, que a vida deve ser defendida desde o ventre materno, desde a sua concepção” – Angela Menezes

“Quando meu filho foi nascer, uma UTI neonatal estava preparada para receber uma criança com algum tipo de deficiência. Após o parto os médicos o levaram e depois retornaram dizendo que meu filho nasceu em perfeito estado”, recorda.

A mãe de Guilherme, hoje com 27 anos, e também de Miriam, de 14 anos, afirma que não desistiu de sua primeira gravidez, pois o poder de Deus a fez entender que seu filho era uma benção.

Descolamento de placenta e gravidez na pandemia

Leia mais

Eu e minha casa serviremos ao Senhor: áudio, cifra e letra

Conheça e assine o Canal do Matheus Zelanti – Louvores a Deus

Letra

EU E MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR – PE JONAS

Eu e minha casa / serviremos ao Senhor
Eu e minha casa / serviremos ao Senhor

Deus não quer nos condenar, / quer de nós uma decisão
Para o nosso bem, pra nos salvar, / pergunta hoje então:

A quem você quer servir/ A quem você quer servir (2x)

Refrão

O pecado quer nos dominar / e Deus quer nos Santificar
É preciso decidir / ser de Deus, não se enganar

A quem você quer servir/ A quem você quer servir (2x)

Refrão

Áudio e Cifra

Baixe os áudios e a cifra da música tema da Semana Nacional da Família 2020:

Por Matheus Zelanti

Conheça e assine o Canal do Portal Kairós

Portal Kairós

As famílias em tempos de Pandemia

Neste momento em que vivemos, devido a pandemia da Covid-19, no qual muitas famílias se encontram mais tempo dentro de casa é necessário se reinventar de diversas formas, para que o convívio familiar durante mais horas no decurso do dia não se torne pesado e acabe causando desentendimentos entre os familiares.

Uma das maneiras de se reinventar seria em determinadas horas do dia se reunir para conversar. Ter um tempo para ajudar os filhos que estão fazendo a lição em casa, já que as escolas estão fechadas, dando mais atenção para eles. Ter espaço no dia para rezarem juntos em família, seja no período da tarde ou a noite. Assistir à Santa Missa juntos pela televisão ou meios digitais, rezar o terço, fazer novenas, particularmente as novenas marianas, como a de Nossa Senhora da Assunção, que se iniciou nesta semana.

Procurar um espaço no dia para dividir as dores e as alegrias e juntos procurarem resolver os problemas. Não focar o tempo apenas em notícias ruins, vendo tragédias, mortes ou notícias que deixem os membros da família deprimidos ou tristes. Sintonizar os canais de inspiração católica procurando a formação sadia da fé católica ou mesmo o santo entretenimento.

É importante até dividirem o cardápio do dia juntos, aquilo que em determinado dia da semana um membro da família queira comer. E se ajudarem mutuamente nas tarefas domésticas. Lavando a louça, secando, guardando e assim todos se sentem úteis durante o dia. Mas é importante se movimentar e não ficar parados durante o dia, não sobrecarregar apenas uma pessoa.

Os pais devem servir de modelo para o comportamento que esperam de seus filhos. Deixem claro para todos que o momento não é de férias, mas um período transitório em que as atividades cotidianas devem ser cumpridas, e que em breve voltarão às rotinas habituais.

Nunca, de certo, passaremos tanto tempo com nossos filhos quanto agora. Aproveitem para inventar brincadeiras, criar lembranças positivas e dedicar um pouco do seu tempo para acompanhar de perto o crescimento deles. E, mais do que tudo isso, tempo de redobrada oração e de crescimento espiritual familiar.

Para aquelas famílias que não moram na mesma casa é importante nesse momento em que não podem estar juntos de alguma maneira estarem ligados entre si, fazendo chamadas de vídeo, ligando e procurando manter contato para que todos se sintam amados e lembrados, pois quando tudo isso passar poderão se encontrar novamente. É sempre diferente, também, gravar um vídeo para uma pessoa que há tempos não temos contacto enviando-lhe à nossa saudação e à nossa proximidade espiritual.

Por enquanto as famílias podem até rezar por chamada de vídeo, dividirem fotos, compartilharem celebrações, conversarem e dividirem as dores e alegrias desse período de pandemia. É importante unir as forças para se superar tudo isso e saírem de uma forma ou de outra mais unidos depois que a pandemia passar.

A pandemia pode ser ruim agora, com tudo o que ela vem causando, mas pode servir para de certa maneira mudar as pessoas, suas atitudes. As pessoas podem sair mais amadurecidas depois de tudo isso e, com certeza, o reencontro depois dessa pandemia será mais forte, mais cheio de emoção. Essa pandemia nos serviu de lição para as pessoas pararem e pensarem nas atitudes que tinham antes e mudarem agora.

Já o fortalecimento do sistema imunológico pode auxiliar para que aconteça uma recuperação mais rápida das doenças infecciosas e com menos danos à saúde. Por isso, vamos às dicas:

–  Pratique atividades físicas regularmente;
– Tenha um sono de qualidade;
– Controle o estresse;
– Evite o consumo de álcool, tabaco e drogas;
– Regule seus níveis de vitamina D (Exposição o sol) / Zinco e outras;
– Tenha uma alimentação saudável;
– Comece o tratamento em qualquer sintoma atípico;
– Converse com seu médico

Muitas famílias perderam seus entes queridos durante essa pandemia e precisam ser fortes para superar essas perdas. Confiar em Deus e acreditar que todos nós nos reencontraremos na ressurreição no último dia. É preciso se alimentar da fé nesses tempos de pandemia e ter forças em Deus para superar esse momento difícil.

Façamos o esforço para nos reinventar neste tempo de pandemia e atravessarmos com prudência e sabedoria esse momento difícil. Confiantes vamos nos apegando com Deus e pedindo que a Santíssima Virgem nos cubra com seu manto sagrado, consolando e confortando o nosso coração, especialmente se perdemos algum ente querido. E dando-nos o alento e força de que tão logo tudo isso passará.

Que possamos estar mais perto, na medida do possível, de nossos filhos interagindo com eles e sempre se reinventando e educando-os no caminho da verdade e do amor.

Rezemos, também, nesta semana em que comemoramos a Semana do dia dos Pais e a Semana Nacional da Família neste ano de 2020 ocorre de 9 a 15 de agosto, tendo início no Dia dos Pais, tendo como tema “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Na alegria do Evangelho queremos viver plenamente a vontade do Senhor em nossas vidas, em nossas famílias, em nossas casas. Neste ano, o subsídio “Hora da Família” convoca todos os grupos de reflexão para vivenciarem a dimensão do serviço. Esse subsídios se coloca a serviço da Igreja e da construção do Reino de Deus começando em nossas casas. A sugestão é a vivência dos encontros como um “itinerário de aprofundamento da fé em família a serviço da comunidade”.

Que Deus nos abençoe e ilumine e nos ajude a passar por tudo isso e que logo encontrem a cura para essa doença, para voltarmos a nossa rotina normal.

Cardeal Orani João Tempesta – Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ) / Portal Kairós